Dia dos Pais

Shanks de Cordeiro

Quer curtir seu pai e toda a familía com o melhor presente? Então, cozinhe você o almoço! 

Sugerimos aqui um menu super simples, delicioso, confortante e que não levará horas para fazer. Enquanto está tudo no forno você curte o paizão e ainda ganha os méritos de cozinheira do ano!

Nota especial: Este menu foi preparado carinhosamente para os pais maravilhosos que nossos filhos tem! Feliz Dia dos Pais!

Sugestão para 6 pessoas

Entrada:  Salada de rúcula e camembert

Prato Principal:  Shank de Cordeiro com polenta cremosa

Sobremesa: Torta de maçã

Salada de Rúcula e Camembert

– 3 maços de rúcula orgânica

– 6 queijos camembert pequenos (3cm de diâmetro)

– 2 ovo

– 1  xícara de farinha de rosca

– 1 xícara de castanha de cajú moída

– 3 colheres de sopa de vinagre balsâmico com pera (este é melhor porque é mais adocicado e a pera combinha com o queijo, mas pode-se substituí-lo pelo tradicional)

– 9 colheres de sopa de azeite de qualidade

– sal e pimenta do reino a gosto

Modo de preparo:

Lavar as folhas de rúcula, secar, dispor em pratos individuais e reservar.

Bater ligeiramente com um garfo os 2 ovos em uma vasilha aberta. Misturar a farinha de rosca e castanha e colocar em outra vasilha aberta. Pegar os queijos e empanar, passando-os pelo ovo e depois pema mistura da farinha. Repetir este processo por 2 vezes, cobrindo toda a superfície do queijo.

Colocar os queijos empanados para dourar em uma frigideira antiaderente, untada com óleo,  aquecida em fogo baixo. Virar cuidadosamente com uma pinça ou espatula, até dourá-lo por completo, inclusive as laterais.

Enquanto isso, misturar o azeite, vinagre, sal e pimenta, emulsionando ligeiramente com um misturardor ou garfo até engrossar um pouco. Distribuir o molho sobre as folhas e colocar os queijos sobre tudo. Servir imediatamente.

Shank de Cordeiro com polenta cremosa

– ½ xícara de farinha de trigo
– 6 shanks de cordeiro
– Sal e pimenta-do-reino, o quanto baste
– 4 colheres (sopa) de azeite de oliva
– 2 colheres (sopa) manteiga
– 2 cenouras, finamente picadas
– 1 cebola, finamente picada
– 1 talo de salsão, finamente picado
– 1 ramo de alecrim picado
– 2 colheres (sopa) de tomilho picado
– 4 dentes de alho picados
– 2 xícaras de caldo de galinha
– 2 xícaras de vinho tinto
– 200 g tomate pelado, sem sementes e picados
– ½ litro de água
– ½ litro de leite
– 1 xícara de fubá de milho pré-cozido ou polenta pré cozida
– 4 colheres (sopa) de manteiga
– sal a gosto

Modo de preparo:

Pré-aqueça o forno a 160 graus. Cubra a ponta do osso de cada shank com papel alumínio. Isso ajudará que o pouco de carne que estiver no osso não se queime e manterá uma aparência melhor. Tempere a carne com sal e pimenta. Passe a carne pela farinha.

Em uma panela suficientemente grande que caibam os 6 shanks e que possa ir ao forno aqueça 2 colheres de azeite e 2 colheres de manteiga. Coloque a carne para dourar, uma de cada vez, para que a temperatura do azeite não caia e você não acabe cozinhando a carne ao invés de dourá-la. Reserve.

Em fogo médio, despeje as duas colheres restantes de azeite na panela. Adicione a cenoura, a cebola, o salsão, o alecrim e o tomilho e refogue, mexendo até que os vegetais estejam tenros – de 6 a 8 minutos. Acrescente o alho e cozinhe por mais 1 minuto.

Regresse a carne para a panela. Tenha o cuidado de colocá-las em pé, ou seja, os ossos para cima. Acrescente o vinho e espere que o alcool se evapore. Uns 3 a 4 minutos. Misture o caldo de galinha e os  tomates com o refogado da panela. Cozinhe em fogo baixo com alguns minutos de fervura e retire a espuma que vai se formando com uma escumadeira. Tampe a panela e leve ao forno por cerca de 2 horas, até que a carne esteja bem macia, começando a soltar do osso.

20 minutos antes de terminar o cozimento da carne, prepare a polenta. Coloque a água para ferver com a manteiga. Misture o fubá com o leite. Quando a água levantar fervura acrescente a mistura de fubá e cozinhe, em fogo baixo mexendo sempre até que a polenta esteja cremosa (o tempo de cozimento dependerá do fubá que você utilizar. Dê uma checada nas instruções da embalagem). Corrija o sal, se necessário.

Para servir (nada de panelas sobre a mesa!), retire o papel aluminio dos ossos. Coloque uma porção de polenta no prato e por cima um shank de cordeiro. Regue com o molho.

Torta de maçã

– 2 xícaras de farinha de trigo
– 2 colheres (sopa) de açúcar de confeiteiro
– 150 g de manteiga gelada, cortada em pedaços
– 4 a 6 colheres (sopa) de água

Recheio (pode ser preparado com antecedência):
– 1,5 kg de maçãs
– 1/3 xícara de farinha de trigo
– 1/2 xícara de açúcar mascavo
– 1/2 colher (chá) de canela em pó
– 1/4 colher (chá) cravo moído
– 1/4 colher (chá) anis estrelado moído
– Suco de 1 limão
– 2 colheres (chá) de conhaque

Cobertura:
– 1/3 xícara de açúcar
– 1 gema de ovo

Modo de preparo:

Aqueça o forno a 160° C. Misture a farinha, o açúcar e a manteiga num processador de alimentos utilizando a tecla pulsar até que obtenha a consistência de farofa. Não bata muito pois a manteiga se derreterá e não é isso que queremos! Transfira esta farofa para uma bancada de trabalho. Adicione a água, uma colher de cada vez e amasse delicadamente com as pontas dos dedos até formar uma massa homogênea. Leve à geladeira por aproximadamente 15 minutos para descansar.

Misture os ingredientes secos do recheio. Descasque e fatie as maçãs (para esta torta eu prefiro pedaços ou fatias grossas) acrescente o limão, o conhaque e a mistura acima aos poucos. Deixe descansar para formar caldo.

Montagem da torta:
Divida a massa em duas partes. Abra em superfície enfarinhada com um rolo na espessura de 3 mm ou entre duas folhas de clingfilm para facilitar a transferência para a forma.

Transfira a massa para uma forma ou pirex de 24 cm untada com manteiga, deixando uma borda para fechar depois com a parte superior. Coloque o recheio, mas sem muito caldo e cubra com o restante da massa. Aperte as laterais como na foto. Faça cortes na tampa para que saia o vapor.

Pincele com a gema e polvilhe o açucar. Asse em forno pré-aquecido por cerca de 45 minutos ou até dourar. Sirva quente acompanhada de uma bola de sorvete de creme.

Viciei na Noz-Moscada!

Passei uma semana assando quiches para amigas e acho que de tanto “cheirar” o pozinho da noz moscada “viciei”. De repente me vi colocando esta especiaria em tudo! Fez um friozinho, lá estava eu tomando leite quentinho com canela e noz moscada. Dia de pasta, fiz bechamel só para usar a tal especiaria.  E quanto mais usava mais queria usá-la. Pesquisei e não é que a danada é danada mesmo? “O consumo de uma noz-moscada inteira ou 5 g do seu pó, podem produzir efeitos de intoxicação como: alucinações auditivas e visuais, descontrole motor e despersonalização.” http://www.erowid.org/plants/nutmeg/nutmeg_info3.shtml.

E a ingestão de 10g de noz moscada é o equivalente a um cigarro de maconha! Wow! Será que estou intoxicada?

Fiquei mais interessada e fui pesquisar sobre a Myristica fragans a árvore de onde vem esta bendito fruto.  Sua arvore é a moscadeira, da família das Myristica fragans. Ela cresce até atingir aproximadamente 18 metros de altura e só produz frutos após 15 anos de seu plantio! Mas, também, depois que começa a produzi-los são de 30 a 40 anos produzindo em média 1.500 a 2.000 por ano! “Choosing and Using Spices – A definitive guide to spices and aromatic ingredients and how to use them – with 100 exciting recipes” Sallie Morris and Lesley Macley – Select Editions – 1999.  Paro por aqui na materia de Botânica para nao falar besteiras. Mas descobri ainda que sua madeira é muito utilizada na fabricaçâo de móveis – talvez venha daí meu vício. Vou pesquisar se meus móveis sao feitos de Myristica fragans!

Também sempre tive curiosidade de como se extrae o macis da noz. Macis é a membrana que cobre a noz propriamente dita e descobri nas minhas pesquisas que é a casca da semente! E para extraí-lo é preciso deixar secar o fruto por vérios meses. Após este período esta “rendinha” se desprende da noz e é prensado para se transformar em condimento.

Macis. Uma rendinha linda e delicada que se transforma em uma rica especiaro

Quanto trabalho… Vou usá-la com mais caute-la a partir de agora que sei de tudo isso!

Ah… Por fim descobri que não estava intoxicada, mas sim apaixonada pelo sabor embriagante desta especiaria!

E como o friozinho está por toda parte a receita de Eggnog vem bem a calhar!

Prá esquentar qualquer clima!

Egg Nog

Ingredientes:
3 gemas de ovo
1/4 xícara de açúcar
2 xícaras de leite
pitada de sal
1/2 xícara de creme de leite
2 colheres (sopa) de rum
pitada de noz-moscada

Misture as gemas com o açúcar em uma tigela que possa ir ao banho-maria, acrescente a pitada de sal e o leite morno. Leve ao banho- maria e misturando sem parar cozinhe as gemas para que o creme engrosse levemente, deve cobria as costas de uma colher de pau. Retire do banho-maria e acrescente o rum, misture e leve à geladeira para esfriar completamente. Bata o creme de leite em ponto de chantilly leve, acrescente à mistura de leite e misture delicadamente, coloque em taças e salpique com noz moscada.