Se eu não estiver por aqui, procure-me na cozinha! AKA – Cozinhando para celebrar

Confesso que sumi! (Ainda bem que tem a minha maravilhosa amiga, comadre, companheira de blog, prá alimentar as vossas almas)

Acreditem se quiser que ainda estou na novela – quase mexicana – de procura de casa. Já vejo até o capítulo de abertura onde Maria Guadalupe e José Miguel buscam insessantemente um lar para cuidar do pequeno rebento que acaba de nascer!… Bendita hora que resolvi mudar de casa achando que o mercado estava aquecido. Bem, está. Mas acho que ainda não chegou a minha vez. E já ouvi tant0: “Quem espera sempre alcança”, “O que é do homem o bicho num come”, ” Deixe nas mãos de Deus” que resolvi deixar mesmo nas mãos dEle e aproveitar meu “tempo livre” para voltar ao o trabalho. Assim continuaria sumida, mesmo!!! Mas desta vez era fácil me encontrar: na cozinha!

Esta semana cozinhei para celebrar. Foram 3 jantares maravilhosos. Um deles, um aniversário que foi um arraso! 3 da manhã e a turma, já super bem alimentada (!), não saia da pista de dança nem com reza braba! Adoro quando cozinho para celebrar. Na verdade, acho que sempre que cozinho estou celebrando algo. Pelo menos a minha oportunidade de cozinhar!!

Um dos outros jantares foi para uma amiga e excelente cliente que conheci aqui no México. É incrível como o tempo vai passando e a cada dia uma surpresa nova aparece na nossa porta! E esta amiga, para celebrar a amizade ofereceu um almoço para seis ladies who lunch regado a muita champagne, besteirol, fotos e um frango ao curry que estava divino! Eu já disse prá ela que não sei porque ela me contrata tanto para preparar seus jantares. Espero que ela não leia este post. Acho um tanto quanto remota esta possibilidade. Além de tudo ela é seguidora assídua do blog e a mais nova detentora de um Thermomix. Xiiiii. Agora acho que perdi o emprego, mesmo!!!

Frango ao Curry by AP (Serve 6)

1 frango (aproximadamente 1,2 kg) sem pele e cortado em pedaços.

2 a 3 cebolas médias picadas

3 colheres de sobremesa de genjibre fresco e ralado

5 dentes de alho picados

4 tomates médios picados

2 chiles verdes picados

3 colheres de sopa de óleo de canola

Sal a gosto

1 litro de água

2 colheres de sopa de coentro fesco picado

2 folhas de louro

2 sementes de cardamomo negro

4 sementes de cardamomo verde

2 paus de canela

4 cravos da índia

1 colher de chá de pimenta preta inteira

2 colheres de cha de cominho moído

1 colher de chá de coentro moído

1 colher de chá de garam masala *

1 colher de chá de pimenta chili moída

1 colher de chá de açafrão da terra ou cúrcuma

Lave a limpe o frango. Reserve.

Aqueça o óleo em uma panela de fundo grosso. Adicione a cebola e todas as especiarias inteiras – não as moídas! e frite até a cebola começar a ganhar um tom translucido, aproximadamente 5 minutos.

Adicione o alho, gengibre e continue refogando, sempre mexendo até a cebola estar dourada. Adicione o frango e as especiarias moídas, exceto o garam masala. Frite o frango até que esteja bem dourado e coberto por todas as especiarias.

Agregue os tomates e o chilli e cozinhe por 15 minutos em fogo lento. Adicione a éagua, garam masala e o coentro e deixe cozinhar por 10 minutos até que o frango esteja cozido e o caldo tenha espessado.

Sirva com arroz com grãos de cominho e naan.

*garam masala é uma mescla de especiarias muito usada na cozinha indiana. A composição varia de região para região, havendo uma grande variedade por toda a Índia. Alguns dos ingredientes mais comuns são grãos de pimenta preta e branca, cravo, louru, cominho, sementes de cominho, canela, cardamomo,  noz-moscada e sementes de coentro.

Profiteroles, um clássico de domingo.

Profiteroles

ProfiterolesTenho visto circular algumas listas dos top 10 / 15 de músicas, filmes etc. Confesso que  chego até  a ficar meio nervosa. Dá um branco, esqueço tudo. Na verdade, gosto de tanta coisa, um dia gosto de uma, no outro, morro de paixão por outra, sou meio ou totalmente de lua. Não sirvo para estas listas definitivas…

Mas, como nada é definitivo (rsrsrs), inspirada nesta brincadeira, resolvi fazer a minha lista de top 10 das sobremesas. Não vou me apegar a colocações, mas vou escrevendo aqui  a medida que a oportunidade de fazê-las surgir.

Começo pelos profiteroles. Definitivamente está entre as minhas tentações top. Com sorvete de creme e calda de chocolate: perfeito, quase uma unanimidade na família. Por isso,  é a sobremesa perfeita para aqueles almoços de domigo, como hoje.

Profiteroles com calda de chocolate (serve 8 pessoas)

– 1 xíc. de água

– 2 xíc. de farinha de trigo

– 1 col. (sopa) de açúcar

– 1 pitada de sal

– 1 col. (sopa) manteiga

– 3 ovos

– 1 col. (chá) pó royal

– sorvete de creme para rechear

– calda de chocolate para cobrir

Modo de preparo:

Colocar em uma panela a água, açucar, sal e manteiga. Levar ao fogo brando até ferver. Desligar o fogo, adicionar a farinha e misturar bem até ficar uma massa homogênea (o processo é o mesmo de se fazer coxinhas). Esperar uns 2 a 3 minutos para a massa esfriar. Em seguida, colocar a massa na batedeira. Acrescentar um ovo, ligar a batedeira até incorporar todo o ovo. Repetir este processo para todos os ovos. Por último, colocar o fermento e misturar (a massa deve ter uma consistência não muito mole para formar as bolinhas e não desmanchar).

Colocar a massa em um saco de confeitar (ou um saco qualquer e fazer um corte pequeno) e pingar a massa, formando gotas em forma untada. Levar para assar em forno pré-aquecido a 180 graus por cerda de 20 minutos ou até dourar. Deixar esfriar.

Partir cada profiterole ao meio e, na hora de servir, rechear com uma colherada de sorvete de creme e colocar disposto na vasilha que deseja servir. Despejar a calda ainda quente e servir imediatamente.

Cobertura de chocolate

– 1 barra de chocolate amargo (170g)

– 1/2 lata de creme de leite (185g)

– 1 dose de licor de laranja ou amêndoas (40ml)

– 1 col. (sopa) de manteiga

Modo de preparo:

Colocar o chocolate para derreter em banho maria ou no microondas. Adicionar os demais ingredientes, levar ao fogo baixo até incorporar tudo. Servir imediatamente.

Comer, Rezar e Amar… Ouro Preto

Igreja São Francisco de Assis

 Igreja São Francisco de AssisNesta última temporada em Minas, resolvi passar uns dias em Ouro Preto para matar a saudade dos velhos tempos. Porisso, pedi a ajuda de uma super guia, a Fernanda, que me indicou desde o hotel, até os restaurantes, passando pelos museus e igrejas… Enfim, roteiro completo e perfeito que divido com vocês! Tks, Fernandinha! 

 Só de andar pelas ladeiras de Ouro Preto, eu fiquei em outro ritmo. A respiração mais calma, o caminhar mais tranquilo…As ruas, muros de pedra fascinam meus olhos. Ouro PretoA arquitetura das casas, igrejas transportam meus pensamentos para outro dimensão. E a cidade está linda e bem cuidada. 

Lá, fomos a 2 restaurantes bem gostosos: Bené da Flauta e o Passo. Dois estilos diferentes, para momentos diferentes que valem a pena conferir. 

Mas quero começar com o Hotel. Sei que não é nosso metier, mas o café da manhã de lá é sim nosso assunto.  Ficamos no Solar do Rosário, casarão lindo, super bem cuidado, quartos ótimos e um charmoso fogão à lenha na sala de café da manhã. Especial! Café da Manhã - fogão à lenha Café da manhã no fogão à lenha, precisa dizer mais? Pão de queijo quentinho, bolo de milho, brevidade, bolo de côco, de banana… nham! 

Voltando aos restaurantes… fomos almoçar no Bené da Flauta.  Tínhamos acabado de visitar a Igreja São Francisco de Assis (foto da abertura, que possui obras do Aleijadinho) e fica ao lado do restaurante. Eles oferecem cozinha internacional e mineira – ficamos na mineira, é claro, acompanhados de uma cachacinha, pois ninguém é de ferro! O clima do casarão e a vista de suas janelas já valem o passeio. Passamos  a tarde batendo papo, bebendo e comendo… Pedimos feijão tropeiro, minha paixão, e língua ao vinho – não tenha preconceito: experimente! De sobremesa, um pout pourri de sobremesas mineiras. Delícia… 

Eu recomendo ir ao Passo à noite. Se você estiver lá no fim de semana, o programa fica mais completo, pois, normalmente, tem um showzinho. Nele, você encontra boas sugestões de pizza, além de massas, saladas. Não esperava muito da comida, estava lá mais pelo ambiente. Mas há muito tempo não lia o cardápio de pizzas, com desejo de experimentar algumas várias das combinações oferecidas, como a de Alho Poró com Mascarpone.Pizza do PassoElas estavam deliciosas! O atendimento, excelente! 

Entre uma comilança e outra, não deixe de visitar o Museu Casa Guignard e o Museu do Oratório, este último um espaço lindo e fruto da dedicação de uma pessoa apaixonada pelo tema. Inspirador… 

Não se assutem com a ausêcia de fotos das comidas. Toda hora que lembrava, já estava quase termimando o prato… rsrsrs… Para finalizar, deixo a imagem de uma poesia da Cecília Meireles que estava exposta na Casa Guignard. Boa viagem! 

Poesia Cecília Meireles 

Hotel Solar do Rosário
Rua Getúlio Vargas, 270, Bairro do Rosário
www.hotelsolardorosario.com
Tel: (0xx31) 3551-5040 / 4200 / 5353 

Bené da Flauta
Rua São Francisco de Assis, 32, Centro
www.benedaflauta.com.br
Tel: (0xx31) 3551-1036

 

O Passo Pizzaria
Rua São José, 56, Centro

Tel: (0xx31) 3552-5089
Museu Casa Guignard
Rua Conde Bobadela (Direita), 110, Centro

Tel: (0xx31) 3551-5155 

Museu do Oratório
Casa Capitular da Igreja Nossa Senhora do Carmo
Adro do Carmo, 28
Tel.: (0xx31) 3551 5369
www.museudooratorio.org.br 
 

Doce festa

Doce festa infantil

Doce festa infantilPromessa é dívida. E para completar o post anterior sobre a festa de aniversário da minha filhota, agora conto para vocês os detalhes da parte mais doce da festa! Para relembrar, o cardápio dos docinhos foi: 

Brigadeiro tradicional e com bolinhas crocantes, Brigadeiro branco com côco e com castanha de caju,  Canudinho, Cocadinha mole,  Cajuzinho no copinho, Goiabada com queijo no copinho, Bolo de Margarida.

Vamos ao que interessa, as receitas,  que são para o rendimento de 25 unidades – depende muito do tamanho da bolinha / copinho e das lambiscadas da turma. Lá em casa, fiz uma receita a mais para os ajudandes se esbaldarem… Ah! E considere, pelo menos, 8 unidades de docinhos por pessoa.

 Brigadeiro tradicional  ou com bolinhas crocantes

– 1 lata de leite condensado

– 1 col. sopa de chocolate em pó

– 1 col. sopa de menteiga

-1 gema

– chocolate granulado, raspas de chocolate ou confeito de chocolate crocante para cobrir.

– cerca de 25 forminhas número 4

Modo de preparo: Colocar todos os ingredientes em uma panela e cozinhar em fogo bem baixo e mexendo sempre até a massa se descolar completamente do fundo. Despejar em vasilha untada. Quando esfriar, fazer as bolinhas, passar pelos confeitos e colocar em forminhas.

 Brigadeiro branco com côco ou castanha de cajú: para este doce utilizar os ingredientes acima (exceto chocolate em pó e para confeitar) e para confeitar utilizar côco ralado – branco ou queimado – e xerém de castanha de cajú. O modo de preparo é igual.

Canudinho como fazer CanudinhoCanudinho: Este é uma história a parte. Minha mãe não gosta dos canudinhos comprados prontos por causa do gosto do óleo, da crocância etc. Portanto, fizemos o canudinho, mas para que ninguém desista de fazer a festa ao ler este pedaço, vou considerar a massa pronta, ok? Então não tem mistério, rechear a massa do canudinho com o doce de leite e passar no açúcar. Mas este é o doce que deve ser feito no dia da festa para ficar bem crocante.

Cocadinha mole:

– 1 côco maduro grande inteiro

– 600g de açucar

Modo de preparo:  Retirar a água do côco reservar. Ralar o côco e reservar. Em uma penela, levar o açúcar e a água de côco ao fogo brando e fazer uma calda em ponto de fio. Adicionar o côco. Desligar e deixar esfriar. Nesta festa, fiz a cocadinha mole em copinho. Se quiser serví-la cortadinha, deixar secar mais um pouco no fogo.

 Cajuzinho no copinho

– 1 lata de leite condensado

– 300g de amendoim sem casca torrado e moído

– 1 col. sopa de chocolate em pó

Modo de preparo:  Misturar todos os ingredientes, reservando apenas 2 col. (sopa) de amendoim, e distribuir nos copinhos. Enfeitar com o amendoim.

Goiabada com queijo no copinho

 – 500g de uma goiabada mole de qualidade (eu particularmente gosto de uma que se chama Zélia)

– 1 pote de cream cheese ou 200g de queijo minas meia cura.

– 250g de creme de leite fresco.

Modo de preparo: Distribuir a goiabada entre os copinhos e reservar. Bater o creme de leite em chantily e adicionar o queijo. Com a ajuda de um saco de confeitar, colocar sobre a goiabada.

Bolo MargaridaBolo de Margarida – finalmente!!!!

Eu fiz 2,5 receitas de bolo, sendo 1,5 de chocolate e outra de laranja em forma retangular grande. E delas cortei as pétalas com molde que desenhei em papel manteiga. Foram 12 pétalas cortadas. A receita do bolo de laranja, você tem aqui no blog, a receita do bolo de chocolate é um que eu adoro e que aprendi com uma doceira de mão cheia, a Paulinha do Doce Lucila. Os dois fizeram o maior sucesso. Vamos ao resumo do que é necessário:

– 1 receita de bolo de laranja 

– 1,5 receita de bolo de chocolate

– 1 receita de brigadeiro tradicional, mas retirá-lo do fogo um pouco antes do ponto de enrolar

– 1 receita de casca de laranja em calda

– guaraná, água de rosas para cozinha ou calda de laranja para molhar o bolo.

– 1 receita de quindim 

– 1 receita de glacê real para a cobertura

Bolo de chocolate

Ingredientes (a minha receita está um pouquinho diferente da da Paulinha por causa do açucar mascavo ok?):

– 2 xíc de farinha de trigo

– 1 xíc. e 3/4 de açúcar mascavo

– 1 col. sopa de fermento

– 3/4 de xíc. de chocolate em pó

– 1 copo de iogurte natural(170ml)

– a mesma medida (copo iogurte) de óleo

– 3 ovos

Modo de preparo:  Bater os ovos, o iogurte e o óleo no liquidificador. Misturar os ingredientes secos numa vasilha a parte. Juntar tudo nessa vasilha. Misturar até ter bolhas estourando na massa. Colocar numa forma untada com manteiga e farinha de trigo.

Casca de laranja em calda

– 250g de casca de laranja deixada de molho em água por 24h (trocar pelo menos umas 4 águas durante o processo)

– 500g de açucar

-200ml de água

– 200g de creme leite

Modo de preparo:  Em uma penela, levar todos ingredientes (exceto creme de leite) ao fogo brando e deixar cozinhar até a fazer ponto de fio. Desligar e deixar esfriar. Na batedeira, bater o creme de leite em chantily. Desligar a batedeira, acrescentar o doce, deixando um pouco da calda separada para molhar o bolo. Misturar levemente até ter um creme homogêneo.

Glacê real – separar em 2 porções. Fazer 1/2 receita. Depois outra 1/2 receita, para não ressecar.

– 4 claras de ovos

– 1 kg de açúcar de confeiteiro

– suco de 1 limão

Modo de preparo: Bater as claras em neve. Quando estiverem bem firmes, acrescentar o açúcar – uma colher de cada vez (dica da minha mãe). Depois que estiver completamente diluído o açucar, colocar o suco do limão e bater mais um pouquinho. Utilizar imediatamente.

Quindim

– 6 gemas de ovos caipira

– 6 ovos caipinhas inteiros

– 50g de manteija sem sal

– 175g de açucar

– 125g de côco ralado

Modo de preparo: passar as gemas em peneira (não passar a colher na parte de baixo). Reservar. Derreter a manteiga. Misturar todos os ingredientes e colocar em forma untada com manteiga e açucar (a forma deve ter o tamanho do miolo da flor). Colocar em uma forma maior com um pouco de água e um pano de prato – funcionará como um cozimento em banho-maria. Levar para assar em forno já pré-aquecido a 180 graus até ficar dourado por cima.

Bolo Margarida – Montagem:

Em uma bandeja redonda de 45-50 cm dispor as pétalas já cortadas, sendo uma de chocolate outra de laranja. Umidecer cada pétala com cerca de 2 col. (sopa) de calda ou guaraná. Rechear cada bolo com o seu recheio (brigadeiro e creme de laranja). Colocar a sua pétala correspondente. Umidecer. Cobrir com o glacê real da seguinte forma: fazer uma primeira camada de glacê, cobrindo todo o bolo. Deixar secar. Fazer nova receita (1/2 porção) e confeitar com bico. Quando o quindim estiver frio, virar no miolo da flor. Salpicar açúcar colorido (verde) na bandeja, entre as pétalas. Voilá!

Para finalizar não podia deixar de agradecer ao carinho e dedicação de todos que me ajudaram a  fazer esta festinha à distância, principalmente à minha mãe querida e amada, que tanto me inspira. A maioria das receitas deste post são dela. Boa festa!!!!!!

Bicentenário da Independência, Bienio Mexicano

Quantas festas neste mês setembrino! Acabamos de celebrar o aniversário de 1 ano da florzinha mais linda e perfumada dos nossos jardins!

Por aqui, o país está em festa e nós também. Exatamente, neste dia, há dois anos atrás o patriarca da Família Patriarca (ha, ha, ha!) colocava seus pés em terras cucarachas para desbravar o que chamamos hoje de “nosso lar”!

Incrível como o tempo passa voando e parece que se não nos apressarmos perdemos o “trem”… Já estou aqui há quase dois anos (eu cheguei no dia 28 de setembro) e ainda me sinto como uma visitante numa cidade cheia de coisas para fazer, lugares para conhecer, comidas para comer.

Mas acho que vou tirar a barriga da miséria nesta temporada! Como tantas festas e comemorações o que não faltam são prátos típicos.  Por toda a cidade estão espalhadas barracas de comida, representando todos os Estados mexicanos. É bonito de se ver e delicioso de comer. É uma oportunidade única para quem está por aqui e não tem a intenção de viajar por toda a República em busca de comidas típicas!

Além do que o orgulho de ser mexicano está estampado no rosto de cada um nesta época de celebração dos 200 anos da Proclamação da Independência.  Isso faz com tudo tudo sepa mejor!

Então, vamos a festejar. São três dias de feriado com muito comida e, tequila, é claro.

Mas antes eu vou para a cozinha pois, conforme prometido num outro post, aqui está a receita dos tradicionais Chiles en Nogada. São chiles recheados com um picadinho de carne de porco e frutas secas, cobertos com um creme de nozes e sementes de romã. Confesso que não é, nem de longe, meu prato mexicano favorito. Mas É o prato que representa a Independência do país. Foi criado en homenagem a Agustín de Iturbide após assinar a independência do México. Não entendo muito a combinação de sabores, mas as cores, com certeza, representam a bandeira nacional!

Chiles en Nogada* – Serve 8

Recheio – Picadillo

6 colheres de sopa de azeite de oliva ou gordura de porco

2 dentes de alho

4 colheres de sopa de cebola picada

1 kg de carne de porco moída

100 gr de presunto serrano

1 kg de tomate concassé picado

4 xícaras de caldo de porco

1 pitada de açafrão

1 pitada de cravo em pó

1 pitada de canela

2 maçãs descascadas e cortadas em cubos pequenos

2 peras descascadas e cortadas em cubos pequenos

3 pêssegos descascados e cortados em cubos pequenos

60 gr de passas hidratadas en água

80 gr de amêndoas picadas

150 gr de acitrón picada (é uma espécie de cactus que, por estar em extinção, se substitui por frutas cristalizadas)

2 colheres de chá de açúcar

1 xícara de jerez seco

Sal a gosto

Chiles

8 chiles poblanos sem pele

azeite q/b

sal grosso q/b

Nogada

200 nozes frescas

350 gr de queijo fresco

1/2 pão francês embebido em leite com açucar e canela

100 ml de jerex seco

4 xícaras de leite

sementes de 1 romã

folhas de salsinha

Modo de Preparo

Picadillo

Coloque o azeite ou a gordura de porco em uma panela e refogue a cebola e o alho; logo a carne de porco, o presunto e, por último os tomates. Acrescente o caldo de porco e cozinhe até que todo o líquido evapore e a carne esteja cozida e ligeiramente frita em sua própria gordura.

Acrescente as especiarias, as frutas, passas, amêndoas, acitrón ou substituto, o açúcar e o jerez. Coloque sal a gosto e cozinhe até que engrosse um pouco. Deixe esfriar e reserve.

Chiles

Frite os chiles en azeite de oliva, um a um para retirar a pele. Deixe 15 segundos e depois frite o outro lado. Retire do fogo e coloque-os em uma saco plástico com sal grosso para soltar a pele. Este procedimento também pode ser feito na chama do fogão ou no forno.

Quando estiverem frios retire a pele debaixo de água corrente. Faça uma incisão na lateral do chile para abri-lo sem cortá-lo totalmente. Retire as veias e as sementes. Recheie com o picadillo. Reserve

Aqui vai uma variação. Os chiles podem ser empanados em um creme de ovos e farinha e depois fritos. Ficam, particularmente mais saborosos, mas se você estiver evitando frituras, esqueça esta etapa.

Nogada

Em um processador de alimentos processe as nozes juntamente com o queijo, o pão francês e o jerez em um processador até obter uma massa espessa. Vá agregando o leite pouco a pouco até obter um molho suave. Talvez não necesite todo o leite.

Montagem – Ufa!

Coloque em um prato os chiles recheados, “encapados” ou não a temperatura ambiente (Sim. Assim se serve este prato!), cubrá-os com o molho de nogada e decore com as sementes de romã e as folhas de salsinha.


*Esta receita foi traduzida tal qual do livro “Larousse, Los Top Chefs de México con Suas Mejores Recetas” E foi apresentada pela grande chef mexicana Alicia Gironella De’Angeli. Não me atrevo a mudar uma virgula!

Festa de 1 ano?!?!?!

Bolo de Margarida

Bolo de MargaridaMais uma vez paguei língua neste universo da maternidade! Sempre falei que não faria festa de um ano para filho meu, que isso é gastar dinheiro à toa etc…E, é claro, acabo de comemorar o aniversário de um ano da minha filhota! E para piorar (ou melhorar…), eu recomendo!!! Ela se divertiu horrores! Eu sei, eu sei, muitos devem estar pensando: azar o seu! O que isso tem a ver com o blog? A resposta é: a festa teve tudo a ver com o blog!

Resolvi que faria uma festinha caseira, bem no estilo das festinhas de quando eu era criança. Envolvi a família toda. Todo mundo teve participação: receitas, mão na massa para fazer salgadinhos, docinhos, enfeites etc! Por isso saí um pouco do ar nestes últimos dias. Mas agora vamos ao resultado… (pena que vocês não podem provar as fotos, mas meus quilos a mais podem provar que estava tudo muito maravilhoso!)

Quer fazer uma festinha de criança? Você não precisa fazer tudo, mas dá um prazer danado ver todo mundo elogiando suas maluquices…  ; ) Experimente!

Sugestão de cardápio (para umas 20 pessoas):

Salgados:  Pipoca, Cachorro-quente, Coxinha de frango, Mini quibe assado

Doces: Brigadeiro tradicional e com bolinhas crocantes, Brigadeiro branco com côco e com castanha de caju,  Canudinho, Cocadinha mole,  Cajuzinho no copinho, Goiabada com queijo no copinho, Bolo de Margarida

Receitas  (vou colocá-las aos pouquinhos para não cansar ninguém! Começamos pelas salgadas:

– Pipoca foi a de microondas (escrevi certo? – essa nova regra está me matando…) mesmo. Só pus em pacotinhos pequenos para ficar mais charmosa.

– Vou pular a receita do cachorro-quente. Se alguém tiver dúvida, eu tiro, ok? Ah! Dica: enrole o pão em quadradinhos de papel manteiga para levar à mesa.

Coxinha de frango – (cerca de 60 unidades)

– 1 peito de frango grande

– água para cozinhar o frango

– 1 cebola

– 2 tomates

– 1 cenoura

-1 talo de salsão

– alho, sal a gosto

– 1 punhado de salsinha picada

– 1/2 kilo de farinha de trigo

– 2 claras de ovo

– farinha de rosca para empanar

Modo de Preparo:

Temperar o frango com o sal, alho, deixar marinar por 1 hora. Picar a cebola, cenoura, salsão e o tomate bem picadinho. Na panela de pressão refogar o frango, acrescentar os legumes, refogar por mais 1 minuto, colocar água o suficiente para cozinhar o frango na pressão (normalmente não cozinho na pressão, mas fica mais fácil para desfiar… na correria, vale a pena). Quando estiver cozido, tirar o frango, desfiar. Acrescentar a salsinha picada e corrigir o sal, se necessário. Reservar.

  O resto do caldo, peneirar, medir e levar ao fogo novamente. Completar com água (se necessário) para ter o mesmo volume de caldo que de farinha – (1/2kg de farinha = 5 xícaras de caldo). Quando começar a levantar bolhas, desligar, acrescentar a farinha, misturando para não ficar com grumos (bolinhas de farinha). Virar a massa em uma mesa e amassar até ficar bem lisa. Fazer bolinhas pequenas e, com o dedo,  uma cavidade; colocar o recheio (que deve estar bem sequinho), modelar, puxando a massa com todos os dedos da mão, para fazer o formato de coxinha. Reservar. Após modelar tudo, passar as coxinhas na clara e em seguida na farinha de rosca. Fritar em óleo bem quente. Retirar com uma escumadeira e colocar em prato com folha de papel toalha. 

Mini quibe assado

– 1 kg de trigo

– 700g de carne moída

– 100 g de farinha de mandioca

– 1 colher de sopa de canela moída

– sal a gosto (coloquei uma colher de sopa)

– pimenta a gosto

– 1 cebola

– 2 dentes de alho

– 1 punhado de hortelã

Modo de preparo:

Deixar o trigo de molho em água até amolecer o grão. Escorrer a água restante e espremer com a mão os grãos para retirar o excesso de água. Reservar. Triturar todos os temperos. Misturar todos os ingredientes (trigo, carne, temperos e farinha) até a massa ficar bem homogênea. Corrigir o sal, se necessário. Modelar os kibes do tamanho desejado (eu fiz com cerca de 3 cm), colocar em uma formar untada com azeite e colocar para assar em forno pré-aquecido a 180 graus. Pode pré-assar e, na hora da festa, só finalizar.

Nota: a farinha de mandioca serve para não rachar o quibe.

Nota 2: estas receitas são de uma quituteira de mão cheia, a Ana. Muito obrigada pela ajuda e carinho!

No próximo post, coloco as receitas dos docinhos e do bolo… aguardem!

O espírito da “mama” baixou em mim!

Domingão. Dia de ficar estirada na cama sem fazer nada. ERRADO!

Pelo menos para mim. Claro que fiquei na cama até as 10 da manhã. Mas quando me levantei, algo me empurrou logo para a despensa para ver se eu tinha suficiente farinha 00 para preparar pasta fresca! An??? Preparar pasta num domingo from scratch? Deveria estar louca, ou influenciada pelo artigo que vi sobre o Eataly (uma espécia de mercado italiano com cervejaria, rotisseria, salumeria, padaria, pizzeria, carne, peixe, pasta… Claro que na Itália, EUA e Japão. Quem sabe um dia…).

Mas, enfim. Me deu aquela vontade de ouvir Ornella Vanoni cantando L’appuntamento e amassar meio quilo de farinha e ovos para depois se transformar em lindos e dourados fios de pasta italiana!

E lá fui eu. Mas nem conto que antes fui ao mercado comprar ovos e tomates orgânicos pois queria fazer um molho de tomates frescos mornos e muito azeite extra virgem e manjericão!

Bem… de volta a casa ao meio-dia, me puz um avental e a amasar a deliciosa mistura de ovos e farinha! E preparar o mais fácil e delicioso molho de tomate para satisfazer ao espírito da mama que havia baixado por aqui!

Pasta Fresca (Receta Básica) Serve 4 como prato principal


600 gr de farinha de trigo 00 (se você não encontrar pode usar farinha de trigo comum)

12 gemas de ovo (ou pode substituir por 6 ovos inteiros – as gemas deixam a massa mas suave e amarela. Eu prefiro)

1 colher de chá de sal

Misture a farinha com o sal. Coloque a misture sobre uma bancada ou uma tigela e faça um buraco no meio. Quebre os ovos. Com um garfo, bata os ovos e vá cuidadosamente misturando com a farinha sem deixar que o líquido escape. Então comece a parte boa que é usar suas maãoes para misturar e sovar a massa. Sove até que obtenha uma massa suave e elástica. Faça uma bola, cubra com clingfilm e deixe descansar na geladeira por meia hora.

Ai você pode preparar o molho de sua preferência. Para esta massa eu usei tomates frescos sem pele e sem semente, cebola, alho e majericão. Tudo num refogado rapidíssimo, sem deixar o tomate cozinhar demais. E por cima coloquei cubos de mozzarella fresca a pedido de meu pequeno.

Após o descanso da massa e após abrir uma garrafa de vinho (no meu caso, um Brunello MARAVILHOSO!) comece a esticar a massa. Se você não tem uma máquina, não se preocupe. Fortaleça os seus braços esticando a massa com um rolo de macarrão o mais fino que puder. Depois dê a forma que quiser. O importante é “ser feliz e se divertir” (assim fala meu filhote!). Eu usei a máquina para preparar tagliatelle. E você também poderá fazê-lo cortando a suas tiras de massa com uma faca. Crie, invente e aproveite! Deixe a massa secando por uns 30 minutos. Isto é muito importante para que não grude e não fique empapada. Você pode usar um varal para massas ou deixa-la repousar sobre uma bancada ou assadeira polvilhada com semolina. Mas cuidado para não sobrepor as tiras de massas senão elas grudarão umas nas outras.

Coloque uma panela com abundante água para ferver. Eu uso a proporcão de 1 litro de água por cada 100gr de pasta a cozinhar e 1/2 colher de sopa de sal. A pasta tem que se mover livremente dentro da panela para que cozinhe uniforme e não grude. Cozinhe por apenas 3 minutos. Lembre-se: sua pasta está fresquisima. Assim estará al dente . Ao escorrer a pasta aproveite um pouco da água de sua cocção para dar sabor e e para que não seque e grude. Sirva com o molho de sua preferência.

P.S. Como não poderiam faltar, umas deliciosas e frescas alcachofras com vinagreta foram nossa entrada! Buon appetito!

Independência ou… Moqueca!?

Claro que eu escolheria moqueca e comeria até morrer para não ficar na mão dos portugueses!!!

Ainda estou naquela fase down. Não deveria nem chegar perto do fogão… Mas se eu não fizer isso o que vou fazer? Ir ao shopping deprimida? Meu marido me mata e depois me faz passar a maior vergonha devolvendo tudo o que comprei! hahaha Brincadeirinha só prá deixar o posto mais animadinho! Ele é um anjo!

Pensei, sim, em cozinhar, mas ainda estava sem muita inspiração. E como hoje é o feriadão da Independência no Brasil pensei em algo para homenagear nossa Pátria tão querida! Feijoada, nem pensar. Não teria tempo hábil… Pão de queijo, já tenho um montão no freezer… Arroz com feijão é a comida de todo dia aqui em casa. Então que tal uma moqueca? Excelente idéia já que o clima aqui no D.F. anda pedindo algo hearty!

Comecei a separar meus ingredientes e vi que só tinha um pouquinho de azeite de dendé. E azeite de dendê é o único ingrediente que não encontro por aqui. Disso não proclamarei minha independência… Valeria a pena gastá-lo? Ai que dúvida. Caí em depressão novamente!… E por que não deixá-lo de fora e preparar uma moqueca capixaba? Nem pensar! Moqueca prá mim tem que ter dendê. Gosto é da baiana!

Então vamos a luta, filhos da Pátria! Vocês verão com quanto dendê se faz uma moqueca! (Pelo menos para 1 porção alcança!)

Moqueca Baiana da Independência (Para 2 pessoas)

300 gr de peixe em posta (eu usei cação, mas sugiro badejo ou robalo, também)

200 g de camarão limpo (se você for limpa-los guarde as cascas para fazer caldo)

1 limão

2 dentes de alho

1/2 maço de coentro (eu adoro, se você não gostar substitua por salsa. O importante é ficar bom prá quem vai comer!)

1/2 maço de cebolinha verde

1 pimentão vermelho (gosto do vermelho pelo sabor adocicado, mas pode ser verde, amarelo (azul e branco!…) cortado em rodelas

2 tomades maduros cortado em rodelas

1 cebola cortada em rodelas

100 ml de leite de coco

1 colher de sopa de azeite de dendê

Sal e pimenta do reino a gosto

1 folha de louro

100 ml de caldo de peixe ou camarão (você pode pedir ao seu peixeiro para te dar as aparas de peixe e a cabeça para fazer o caldo. Fica divino!)

Esfregar bem o peixe e os camarões com o limão. Reservar. No liquidificador bater o alho, sal (a gosto), 1/4 do maço de coentro e a cebolinha e um pouco do leite de coco. Cobrir o peixe com esta marinada e descansar por 30 minutos.

Em uma panela de fundo grosso colocar o azeite de dendê, metade dos tomates, metade da cebola e todo o pimentão. Colocar por cima as postas de peixe e os camarões. Terminar com o restante dos tomates e cebolas. Colocar a folha de louro e regar com o leite de coco e o caldo de peixe.

Deixe ferver. Tampe e cozinhe em fogo lento por 15 minutos. Corrija o sal e a pimenta. Colocar por cima o restante do coentro picado e servir com arroz branco e pirão. Eu, particularmente, gosto de servir com farinha de mandioca torrada e fazer meu próprio pirão com o caldinho!

Ah!… Independência ou Morte!

Quase me esqueço de dizer que adoro colocar uma pimentinha neste prato maravilhoso. Mas deixo ao gosto do freguês! Prá mim, a pimenta Comari do Pará é a que combina melhor com peixe! Esta veio de contrabando numa malinha!…

Uma mulher Pioneira!

Créditos www.thepioneerwoman.com

Ando numa fase horrível. Muito estresse, cansaço, desencontros… Então nessa hora, nada de ir para a cozinha. Acredito muito nos efeitos que o humor causam na comida. Não é à toa que meus filmes favoritos relacionados com comida são “A Festa de Babette” e “Como água para Chocolate”. Ah… Ganhei o livro deste último em caderninhos de receita. Tão lindo!

Então tirei a semana de folga e me enfiei no sofá, deprimida, deixando que a vida, em seu curso normal, resolva meus problemas. Grande tolice… Só perdi tempo. Well, descansei um poquinho e perdi alguns quilos. Não levantei nem para comer! ;o)

E hoje resolvi trabalhar um pouquinho. Não é justo com vocês leitores deixar o barco à deriva e toda a família sem comer por não haver receitas novas no blog! Mas precisava de alguma inspiração… Então fui vasculhar no computador os textos que já tinha rascunhado, os blogs que já tinha visitado e encontrei a melhor inspiração que poderia ter num dia como hoje: The Pioneer Woman (abriu um sol maravilhoso agora e entrou pela janela do meu quarto. Será um sinal dos céus?!) Levante-se daí! hahaha

Ree é uma mulher incrível. Parece ficção. As vezes nem acredito que ela seja real! Garota mimada da cidade que se apaixona por um cawboy e vai viver num rancho no meio do nada Nos Estados Unidos? Não parece mesmo roteiro de um romance? Bem, ela está escrevendo um! Mas que mulher inspiradora! Eu no lugar dela já teriado cortado os pulsos e servido pro jantar! Deem uma espiada lá. Além de cozinhar ela faz um montão de coisas! Então ela é uma fonte inspiradora pra muita gente!!!

Mas mas voltando ao blog, acho que tudo estava se conjuminando para eu ir para a cozinha. Meu marido entrou correndo no quarto dizendo: “Fulano topou reunir a turma hoje prum jantarzinho. Não se preocupe, coisa simples!” Coisa simples pra 10? Já são 11 horas! Vamos já para o fogão! Mas antes, passei pelo blog da Ree e me deliciei com sua vida! E ela me inspirou muito a sair deste sofá! Era tudo o que eu precisava!

Jantar rapidinho para os Amigos (Serve 10)

2 filés de salmão inteiros (ou seja, 1 salmão inteiro sem cabeça, rabo, espinhas ou pele – peça para seu peixeiro fazer isso!)

900 gr de creme de leite fresco

1 ramo de dill

raspas de 1 limão (de preferencia amarelo)

Sal e pimenta a gosto

20 tomates beef

500 gr de semola (couscous marroquino)

700 ml caldo de legumes

Azeite de oliva, o quanto baste

200 gr azeitonas verde e pretas picadas

1 cabeça de alho picado

1 cebola picada brunoise

2 colheres de sopa de salsinha picada

Limpe as aparas da barriga do salmão e ajeite-o numa assadeira que caiba os 2 filés um ao lado do outro. Tempere com sal e pimenta e polvilhe as raspas de limão. Destrosse o dill por cima do salmão. Pode-se usar uma tesousa! Cubra os filés com o creme de leite. Reserve.

Corte uma tampa nos tomates e retire as sementes deixando-os com uma cavidade para serem recheados. Unte-os com azeite de oliva por fora.

Prepare o couscous. Coloque-o num refratário raso, mas que comporte bem a semola. Ferva o caldo de legumes e despeje sobre o couscous. Tampe e espere 5 minutos. Enquanto isso refoque a cebola, o alho em abundante azeite de oliva. Quando a cebola estiver tomando uma cor dourada, junte as azeitonas. Sazone com sal e pimenta. Volte ao couscous e separe-o com um garfo. Junte o refogado ao couscous e prove o tempero. Recheio os tomates.

Isso tudo pode ser feito antecipadamente. Agora vá se arrumar pois seus convidados estão chegando. Assim que eles chegarem, aqueça o forno a 180 graus.

Coloque o salmão e os tomates recheados de couscous para assar por 20 minutos. Sirva este delicioso salmão com tomates recheados sem nenhum estresse com um maravilhoso vinho branco . Aproveite para se divertir e dar muitas risadas!


P.S. Neste jantar também foi servido uma perna de cordeiro assada e uma torta de amendoas e ameixas frescas. Mas estas receitas ficam pra depois!