Gnocchi alla Romana

Mais uma vez o dia 29 vem chegando (como em todos os meses!!!) e os mais supersticiosos querem comer o Nhoque da Fortuna!

E prá vocês que já experimentaram as duas receitas maravilhosas postadas aqui no blog tenho uma grande surpresa. Bom, pelo menos para mim foi. Fui “apresentada” para os Gnocchi alla Romana.

Uma amiga argentina, a Violeta, que hoje, depois que a Ana Paula se foi, é a minha melhor cliente, me pediu para preparar estes nhoques. Nunca tinha ouvido falar nesta preparação que, ao invés de batatas é feito de semolina. Fui dar uma fuçada na internet pois fiquei um pouco desconfiada de que este prato fosse uma invenção argentina, com todo aquele sotaque italiano que nossos hermanos gostam de  ter. E não é que encontrei várias receitas autênticas italianas deste gnocchi? Eu é que estava desinformada!

Como toda a pasta na Itália, existem variações e formatos quase incalculáveis, assim acontece com o nhoque. Esta preparação está mais perto de uma polenta pelo método de cocção, mas é feita com semolina e não fubá. E leva este mesmo nome, pois a palavra gnocco (gnocchi no singular) que significa pelota, grumo é o que dá origem ao nome da pasta. Teorias à parte, fiquei muito feliz com o resultado desta nova experiência gastronômica. Agora é esperar o dia 29 para ver se serei afortunada com uma crítica positiva da minha cliente!

 

 

Gnocchi alla Romana (serve 4)

 

1 litro de leite

sal, o quanto baste

pimenta do reino recém moída, o quanto baste

noz moscada, o quanto baste (para mim nunca é suficiente, vocês já sabem!)

120 gr de manteiga

250 gr de semolina

120 gr de queijo parmesão ralado

3 gemas

 

Aqueça o leite em uma panela grande acrescentando o sal, pimenta e a noz moscada. Assim que ferver, abaixe o fogo e adicione 80 gr de manteiga para fundir. Vá acrescentado a semolina em forma de chuva e mexendo vigorosamente com um batedor de globo (fuet) para não formar grumos. Deixe cozinhar por aproximadamente 10 minutos até que a mistura esteja bem grossa e borbulhando. Desligue o fogo, acrescente 100 gr de queijo parmesão e as gemas, uma a uma, mexendo bem para que se incoporem à massa.

Coloque a mistura em uma assadeira previamente untada com manteiga ou azeite espalhando bem com a ajuda de uma espátula molhada para formar uma camada de, mais ou menos, 1,5 cm de espessura.

Deixe a preparacão descansar por, pelo menos 1 hora. Deve estar bem fria antes de começar a cortá-la.

Aqueça o forno a 200 graus e unte um pirex grande ou 4 individuais. Comece a cortar a massa com um cortador redondo. Eu gosto de usar o de 5 cm de diametro, mas os menores também ficam lindos e mais parecidos com bolinhas de nhoque!

Coloque os nhoques sobrepostos no pirex até preenchê-lo por completo.

Imagens: giallozafferano
Imagens: giallozafferano

Derreta a manteiga restante e despeje sobre os nhoques. Polvilhe com o queijo parmesão restante e leve ao forno por 20 minutos ou até que estejam bem dourados!

Também existem muitas variações desta massa. Você pode agregar na massa, antes de estendê-la, presunto picado, tomate seco picado, espinafre, ervas… coloque sua imaginação para funcionar!

Torta de cerejas

Este não é um post propriamente dito se considerarmos que eu só queria dizer prá vocês que eu fiz uma torta de cerejas de ajoelhar e agradecer a Deus por todas as cerejas deste planeta!!

E o melhor de tudo é que é a mesma receita desta DELICIOSA Torta de Maçã e eu só coloquei cerejas frescas, sem caroço e cortadas pela metade, no lugas das maçãs! Muito fácil!

Mas agora eu juro que estou na maior dúvida para decidir qual das duas é a melhor…

Voçê não quer fazê-las e me dizer?? ;o)

P.S. vou presentear uma amiga com esta torta. Por isso, até amanhã não posso postar foto do recheio. Mas eu prometo que assim que cortá-la tiro uma foto tão linda quanto deliciosa e atualizo aqui!

 

 

 

Muffins de Kiwi Golden

Aqui no México há uma variedade de kiwi amarela. É conhecido como Kiwi Golden e, além da cor, o que mais distancia este tipo de kiwi do kiwi verde é a sua doçura. Ele é mais bicudo, tem a pele mais lisa e de cor bronze, mas o seu interior amarelo dourado tem um sabor menos ácido e mais tropical que o kiwi verde. Pela descrição, você poderia imaginar que estou falando de uma fruta brasileira; bronze, dourado, tropical… Infelizmente, não. Não me lembro de ter comido ou visto esta variedade no Brasil. Se já chegou por terras brazucas alguém me avise, por favor, para fazer meus próximos dias mais felizes.

 

Este kiwi é tão bom que 1 dúzia aqui em casa vai como água. Na semana passada, me empolguei e comprei 24 unidades deste manjar. E não é que fui enganada por minha própria gula? Ontem, minha cozinha exalava o cheiro delicioso destes kiwis o que me dava um sinal de que logo, logo iriam para o lixo… Pensei em preparar uma geléia deliciosa, mas esta ficaria “sentada” na minha geladeira por dias. Então, com a febre dos muffins me rodeando (tinha acabado de comprar uma forma para super muffins!) resolvi rechear uma massa básica de muffins com esta delícia. Confesso que o resultado final não foi tão bom quanto comer a fruta. Acho que kiwi não combina com muffin, mas nem de longe vão para a lata de lixo!!

 

 

Muffins de Kiwi Golden (12 muffins)

 

250 gr de farinha de trigo

2 colheres de chá de fermento em pó

110 gr de açucar

130 gr de kiwi golden (aproximadamente 6 kiwis)

120 ml de leite

120 gr de manteiga derretida

1 ovo

Comece aquecendo o forno a 180 graus. Prepare uma forma para muffins untando-a com manteiga ou forrando-a com forminha para muffins.

Descasque os kiwis e corte 12 fatias de aproximadamente 0,5 cm para decorar. Pique o restante da fruta.

Peneire a farinha com o fermento em uma tigela. Acrescente o açucar e a fruta. Misture bem. Em outra tigela misture o leite, a manteiga e o ovo e bata até mesclar. Gradualmente derrame os ingredientes líquidos nos secos e misture sem mexer muito. LEMBRE-SE: a massa de muffins fica grumosa e não deve ser leve e fofa.

Preencha as forminhas até 2/3. Seus muffins crescerão e as forminhas não devem estar muito cheias. Eu uso uma colher de sorvete para ter uma medida quase exata. Funciona! Coloque uma fatia de kiwi sobre cada muffin.

Asse por 20 minutos. Retire do forno e pincele cada fatia de kiwi com uma geléia leve, de preferência de damasco ou laranja diluída em pouquinho de água para dar brilho na fruta. Volte ao forno por mais 5 minutos.

Retire do forno e deixe os muffins esfriarem na forma por 5 minutos para que não se desmoronem. Retire da forma e coloque numa grade para que esfriem por completo.

Dia dos Pais com Paella

A vida está cada vez mais corrida. Domingo é Dia dos Pais no Brasil e nem deu tempo de preparar um menu bacana como fizemos no ano passado. Nossa! Já passou um ano?? Num falei que a vida está Fast and Furious!!!

Mas o que seria de nossas vidas se não fossem as boas amigas? Fui surpreendida por uma deliciosa mensagem da minha querida amiga Ana Lucia, aquela que me segue por todas as viagens e que já passou por aqui, pedindo uma receita de paella. O mais legal disso tudo é que a Ana não prepara nem um ovo frito (!) e decidiu preparar uma paella para seu pai neste domingo! Fiquei super feliz em imaginar que o nosso blog está causando este efeito nas pessoas! É o máximo!

Esta receita tem o nome de Paella Celebração e achei perfeita para a data!  Fiz algumas adaptações pois ela me pediu uma Paella de frutos do mar. Mas quem quiser acrescentar frango, linguiça, pato, coelho é muito bem vindo!!!

Ana, aproveita e prepara o pudim de claras para a sobremesa!

 

 

Paella Celebração (Serve 6)

200 gr de camarões sem casca

200 gr de lula em anéis

200 gr de peixe de carne firme cortado em cubos (cação ou garoupa)

300 gr de mexilhões frescos

90 ml de vinho branco

150 gr de vagem, cortadas em pedaços de 2,5cm

90 ml (6 colheres de sopa) de azeite de oliva

1 cebola grande picada

3 dentes de alho picados

1 pimentão vermelho sem sementes cortado em finas tiras

1 pimentão verde sem sementes cortado em finas tiras

2 tomates maduros, sem pele nem sementes, picados

900 ml de caldo de peixe ou frango

1 pitada de açafrão (dissolver em 30 ml de água fervente)

350 gr de arroz espanhol próprio para paella (ou arbório)

120 gr de ervilhas congeladas

10 azeitonas verdes fatiadas

sal e pimenta, o quanto baste

6 lagostins

 

Comece limpando os camarões, fazendo uma incisão nas “costas” do camarão e retire os intestinos. Enxague em água corrente e reserve. 

 

Escove a casca dos mexilhões e enxague em água corrente e remova os 

“cabelos” com uma
faca pequena ou puxando com força, mas com cuidado para não arrebentar. Jogue fora os mexilhões que já estiverem abertos.

Coloque os mussels em uma panela grande com o vinho e deixe ferver. Cubra a panela com uma tampa e cozinhe por 3 a 4 minutos, ou até que os mexilhões se abram. Coe, mas reserve o líquido e descarte os mexilhões que não se abriram.

Cozinhe as vagens por 3 minutos em água fervente.

Numa paellera ou uma panela grande e rasa aqueça o azeite. Cozinhe os camarões até que fiquem rosados. Reserve.

A fogo médio frite a cebola e o alho e deixe dourar levemente. Acrescente os pimentões reservando algumas tiras para decorar. Mexa para não grudar. Acrescente os tomates e cozinhe por 2 a 3 minutos até que comece a espessar.

Acrescente os anéis de lula e mexa para que todos os ingredientes se incorporem.

Adicione o caldo, o líquido de cozimento dos mexilhões e o líquido do açafrão. Tempere com sal e pimenta. Quando começar a ferver, adicione o arroz. Mexa bem, acrescente a vagem e cozinhe a fogo alto por 10 minutos. Abaixe o fogo para médio e coloque os camarões e os pedaços de peixe para cozinhar por uns 8 minutos até que todo o líquido tenha sido absorvido.

Enquanto isso frite os lagostins em azeite de oliva até que se tornem rosados.

Acrescente os mexilhões, as ervilhas, as azeitonas e  decore com as fatias dos pimentões e os langostins. Cubra com papel alumínio e cozinhe por mais 3 minutos a fogo lento. Retire a panela do fogo e deixe descansar por 10 minutos antes de servir.

Ufa! Mas valerá cada minuto!

Cookies de creme de amendoim e chocolate Kisses®

É sempre uma delícia cozinhar para amigos! Uma coisa que eu também adoro fazer é presentear com comidas. Uns quitutes bem arrumadinhos em cestinhas, potinhos, caixinhas são sempre um acerto. Não há quem resista aos deliciosos biscoitinhos e docinhos da Letícia! 

 

Pegando esta idéia resolvi presentear algumas amigas que voltavam das férias e mostrar-lhes o quão feliz eu estava por tê-las de volta! Para uma fiz os muffins da semana passada. Outra, “alfajorólatra”, recebeu os deliciosos alfajores de maizena e me lembrei de uma receita que eu aprendi a fazer quando morei nos EUA. São cookies bombásticos de calóricos (!), bem americanos e DELICIOSOS! Me lembro de ter recebido um saco enorme cheio destes cookies na minha despedida. Durante toda uma road trip eu chorava e enfiava um cookie guela abaixo. Imagina como voltei para casa!

 

E foi com este sentimento cheio de saudades que resolvi fazIe-los pois retratava muito bem este momento.

 

Cookies de pasta de amendoim e chocolate Kisses® (rendem 48 cookies)

 

48 Kisses® de chocolate ao leite

90 gr de gordura vegetal (ai!)

180 gr de creme de amendoim sem açucar (ui!)

80 gr de açucar

80 gr de açucar mascavo

1 ovo

2 colheres de sopa de leite

1 colher de chá de extrato de baunilha

200 gr de farinha de trigo

1 colher de chá de bicarbonato de sódio

1/2 colher de chá de sal

 

Aqueça o forno a 190 graus. Enquanto aquece retire o papelzinho que envolve os chocolates.

Na batedeira, com velocidade alta, bata a gordura vegetal e o creme de amendoim até obter uma mistura esbranquiçada. Adicione os açucares e continue batendo para conseguir uma mistura fofa. Adicione o ovo, o leite e a baunilha. Mescle bem atee incorporar. Retire da batedeira e acrescente a farinha, bicarbonato e o sal. Misture com uma espátula.

Faça 48 bolinhas de 2,5 cm. Nesta etapa, você pode passar as bolinhas por açucar, mas eu acho totalmente desnecessário e calórico (!). Coloque os cookies em uma assadeira para cookies deixando um espaço de 3 dedos entre cada um pois crescerão. 

Asse por 8 a 10 minutos até que estejam dourados e comecem a rachar. Retire do forno e imediatamente coloque um chocolate kisses no centro de cada cookie. Retire os cookies da assadeira e deixem que esfriem numa grade.

 

Kedgeree

Eu ADORO peixe defumado. Seja salmão, haddock, truta… Aqui tem uma truta defumada que é simplesmente deliciosa! O único problema de comprar esta truta é que ela vem numa embalagem muito grande e o peixe acaba “nadando” de um lado pro outro na minha geladeira e, convenhamos, precisa ser muito sueco prá comer peixe defumado em todas as refeições!!!

 

Eu fiz uma salada um dia (com pepinos, abacate, cebola roxa), um sanduíche no outro, mas ainda tinha muita truta pra ser comida. Foi então que me lembrei de um prato delicioso que é muito comum em Londres, KEDGEREE [qué-dgi-ri]. Eu sei que este nome não tem nada de inglês, mas tem uma explicação para isto! É uma adaptação de um prato da Índia. Diz-se que foi trazido para a Inglaterra nos tempos Vitorianos e era comido no café da manhã, já que se reaproveitavam as sobras do dia anterior. Se isto é verdade ou não, não sei e nem me aprofundei muito na história. O que sei é que quem come uma vez, quer sempre repetir!

 

A receita que fiz hoje foi com a truta defumada. Mas a receita tradicional leva haddock defumado. No entanto, se os ingleses adaptaram este prato dos indianos acho que eles deixaram aberta, aí, uma lacuna para nossa intervencão, também!!

 

Outro dado curioso é que eu NUNCA comi Kedgeree enquanto morei em Londres. Sempre via nos menus, mas nunca me apeteceu. Foi somente depois de ver um episódio do programa da Nigella onde ela cozinhou o prato que eu fui experimenter. Thanks Nigella!!!

Kedgeree (serve 4 como prato principal)

1 cebola pequena picada

55 gr de manteiga (se tem dúvida na quantidade, clique aqui)

300 gr de arroz Basmati (arroz branco também serve)

1 colher de sopa de pó de curry madras

1 pitada de noz moscada

200 ml de leite

110 ml de creme de leite fresco

250 ml de água

300 gr de peixe defumado (preferencialmente haddock, mas truta e salmão também ficam deliciosos)

Sal e pimenta, o quanto baste

Salsinha picada, o quanto baste

12 ovos de codorna cozidos (eu gosto da gema suave. 3 minutos é o suficiente)

 

Numa panela suficientemente grande para cozinhar o arroz, coloque a manteiga e, a fogo lento, cozinhe a cebola até ficar suave, mas sem dourar. Adicioine o arroz e continue cozinhando até que esteja translúcido. Acrescete o pó de curry e a noz moscada. Integre as especiarias e acrescente o leite, o creme e a água.

Quando começar a ferver, acrescente o peixe em lascas e continue cozinhando a fogo meedio até que o arroz esteja cozido. Talvez você precise acrescentar um pouco mais de água.

Assim que o arroz estiver cozido, experimente o tempero. Lembre-se que o peixe já é salgado. Se necessitar tempere com sal e pimenta.

Coloque os ovos de codorna e salpique com a salsinha. Eu ainda joguei um pouquinho de azeite de oliva. Ficou bommmmmm! 

 

P.S. Não acredite no ditado que diz: “Não coma aquilo que você não consegue pronunciar o nome”. Pratique muito [quédiri, quédiri, quédiri]  e não deixe de provar esta delícia!!!