Bolo de mel para um doce Rosh Hashaná

Eu não sou judía, não conheço muito do judaísmo, mas acho as festas judáicas cheias de tradições e de comidas maravilhosas!

Tampouco cozinho comidas judáicas… Muito do que sei se restringe aos latkes, aquelas panquecas de batata ralada que ficam deliciosas se servidas com creme azedo! Hummmm!

Mas aqui no México, especialmente onde vivemos, estamos rodeados de judeus e sua tradições. E ontem começou o Ano Novo Judeu, ou Rosh Hashaná – ano 5772. Por todas as ruas do bairro, dezenas de famílias caminhavam até a Sinagoga para iniciar a celebração. Entre minhas pesquisas descubri que o ano novo espiritual judeu começa hoje com a aparição da primeira estrela e dura até o dia 30, sexta-feira.

E nestas celebrações há sempre muita comida simbólica. Em sua maioria simbolizam doçura, benção e abundância.

Foi por isso que, para demonstrar meu apreço e meu respeito, escrevi este post e trouxe esta receita deliciosa. Leshaná Tová a todos aqueles que acreditam num mundo de paz!

 

Leicaj – Bolo de Mel 

5 ovos

150gr de açucar

3/4 de xícara de mel

3/4 de xícara de óleo vegetal

1 colher de chá de baunilha

1 colher de sopa de casca de laranja ralada

1 colher de chá de canela

1 colher de chá de café instântaneo

1 colher de chá de chocolate em pó amargo

150 gr de farinha

1 colher de chá de bicarbonato de sódio

1 colher de chá de fermento

1 xícara de nozes picadas

1 xícara de amêndoas picadas

açucar de confeiteiro para decorar

Aquecer o forno a 180 graus. Separar as gemas das claras e colocar em 2 tigelas. Bater as gemas com 75 gr de açucar, o mel, óleo, baunilha, casca de laranja, canela, café e o chocolate até obter um creme suave e aerado.

Misturar a farinha com o bicarbonato e o fermento.

Agregar 75 gr de açucar às claras e bater em ponto de neve.

Misturar ao creme de gemas, alternadamente, a mistura de farinha e as claras em neve. Envolver suavemente para “não perder o ar”. Ao final misturar, suavemente, as nozes e amêndoas.

Colocar em uma forma de bolo redonda com furo no meio* previamente untada com manteiga e enfarinhada.

Assar por 40 minutos, aproximadamente. Retirar do forno e esfriar sobre uma gradinha. Desenformar morno e deixar esfriar completamente. Polvilhar com açucar de confeiteiro.

 

* a forma TEM QUE SER redonda pois simboliza o círculo, como a vida assumindo que não há princípio nem fim. “Porque o círculo recomeçará sua trajetória quando o tempo de partida complete seu caminho e se reencontre, ao final, com a chegada, onde os extremos se unirão. E assim cada ano!” QUE LINDO!!!!!

 

Muffins de Cenoura e Maçã da Balãzinho

Aiiii!!!! Que delícia. Mais um post de co-blogueira. Desta vez foram os muffins da Adriana (Balãozinho, para mim!). Conheci a Adriana em 1990 quando fiz intercâmbio para os EUA. E agora,  com o Facebook, retomamos contato. Não é incrível?!?

 

“Após muito planejamento, e muita vontade, consegui ir para Nova York durante o Natal. Tudo começou muito bem, estava feliz e encantada por encontrar uma cidade organizada e completamente decorada. Porém, ainda faltava a neve, com a qual estava sonhando… Estava muito pertinho da loja M&Ms quando senti os primeiros floquinhos caindo… Uma sensação muito boa e esperada… Fiquei parada por um tempo, curtindo o momento. Mas a neve veio com toda força (essa foi a famosa Blizzard de dezembro de 2010) e resolvi entrar na loja.

Enlouquecida com todos os produtos, umas forminhas lindas de silicone me chamaram a atenção. Eu, como amante de muffins e cupcakes, não pude resistir. Foi a melhor aquisição dos últimos tempos. Já em São Paulo, curti muitos momentos deliciosos com amigos e familiares comendo muffins, tomando um cafézinho e batendo papos descontraídos. A última receita, Muffins de Cenoura com Maça, foi sucesso absoluto… e muitas ainda viram :0)

 

Muffins de Cenoura com Maçã da Adriana (16 muffins) 

2 xícaras de farinha de trigo

2 colheres de chá de bicarbonato de seodio

2 colheres de chá de canela em pó

1 pitada de sal

1 1/4 de xeicara de açucar

1/2 xícara de coco em flocos

1 xícara de cenoura ralada

3/4 de xícara de nozes picadas

3 ovos grandes

1 xícara de óleo

2 colheres de chá de baunilha

1 maçã verde sem casca e ralada

Aqueça o forno a 180 graus. Em uma tigela misture a farinha, o bicarbonato, a canela, o sal e o açucar. Junte o coco ralado, a cenoura, 1/2 xícara de nozes e mescle bem. Em outra tigela, bata os ovos, o óleo,  a baunilha e a maçã ralada. Junte esta mescla a mistura seca e envolva até que os ingredientes fiquem homogêneos, mas grumosos. Lembre-se das dicas de como fazer muffins!

Coloque a massa em 16 forminhas para muffins preenchendo-as até 3/4 de sua capacidade. Polvilhe com nas nozes restantes e asse por 15 minutos ou até que, ao enfiar um palito, ele saia limpo.

Deixe esfriar nas forminhas e depois transfira para uma gradinha.”

 

Receita Centenária: Puchero da Bisa Candú

No último dia 16 de setembro minha avó completaria 100 anos. A Bisa Candú, como era conhecida na família foi uma mulher muito dura. 

Não tenho a imagem da avó carinhosa e doce, mas de alguém que sofreu muito na sua vida e lutou para criar 5 filhos sozinha, pois meu avó estava sempre viajando… As lembranças que tenho é de que não nos era permitido muito quando estávamos em sua casa… Nada de doces, nada muita tv, dormir cedo… Definitivamente a casa da Bisa não era um lugar onde queríamos passar as férias!!

Mas com o tempo fui aprendendo a lidar com minha avó e entender o seu jeito de ser. Entender que o que ela nunca teve na vida não podia nos dar. Sinto muito que isto tenha sido tão tarde. As coisas na vida são sempre assim… Mas antes tarde do que nunca, tive tempo de viver alguns momentos especiais.

Foi com ela que aprendi a comer uma saladinha de beterraba, cebola roxa, salsinha e limão, um omelete de vagem manteiga delicioso e o maior legado que ela poderia ter me deixado: Puchero Gallego.

Infelizmente não existe um caderno de receitas da Bisa, pois minha avó mal sabia escrever o seu nome. Mas as memórias que tenho deste prato são mais valiosas que qualquer pergaminho. E é assim que eu imagino como minha querida avó teria preparado este prato!

Bisa, se ainda não for muito tarde, eu te amo e sinto sua falta!

 

Puchero Gallego da Bisa Candú (Serve 4)

 

500 gr de grão-de-bico (eu uso já cozido, mas se você for cozinhar, siga as instruções do pacote e não esqueça de tirar a casquinha!)

2 colheres de sopa de azeite de oliva

1 cebola pequena picada

2 dentes de alho picados

1 paio  cortado em rodelas

2 linguiças calabresa cortadas em rodela 

2 coxas de frango sem pele

2 sobrecoxas de frango sem pele (minha avó fazia com pé de galinha e pescoço!!!!!)

3 tomates maduros sem pele nem sementes picados (eu uso 1 lata de tomati pelatti)

2 cenouras pequenas cortadas em rodelas

2 batatas pequenas cortadas em cubos

1 salsão cortado em pedaços pequenos

300 ml caldo de frango

sal e pimenta do reino, o quanto baste

Salsinha picada

 

Aqueça o azeite em uma panela e frite a cebola e o alho até dourar, Acrescenteo paio, a linguiça e deixe fritar a fogo médio. Se soltar muita gordura, escorra. Acrescente o frango e doure. Junte os tomates, as cenouras, as batatas e o salsão. Deixe refogar por uns 3 minutos sem mexer para não romper as carnes. Acrescente o caldo de frango e  a salsinha picada. Tempere com sal e a pimenta a gosto. Tampe a panela e cozinhe por 15 minutos. Junte o grão-de-bico e deixe cozinhar a fogo baixo por mais 10 minutos. Sirva quente, como uma sopa.

Brigadeiro de festa num dia repleto de alegria.

Brigadeiro de Mel

Brigadeiro de MelEstou de volta! Passei um tempo distante, mas já estou aqui novamente e com força total! Neste período, muita coisa aconteceu. Algumas delas tristes – faz parte da vida, mas a maioria muito legal. Vou tentar colocar vocês a par de tudo, mas para este post não virar uma novela mexicana, vou contando em porções miúdas, ou melhor em bolinhas como as de brigadeiro!!!!

 Esta receita de hoje é um delicioso começo: brigadeiro de mel!

Pois é… um dos grandes acontecimentos dos últimos dias foi o aniversário e batizado da minha filha – xiiiiii, comecei de trás pra frente! Foi um momento muito especial pois recebemos em casa amigos queridos de longe e amados pais, avós, irmãos e sobrinhos. Tem hora que este aconchego é fundamental. E a hora era esta.

 Para celebrar esta data e presenças tão especiais, resolvi organizar uma festinha para a minha pequena. Foi corrido, mas o sorriso dela em cada momento é algo que não sairá da minha memória jamais. Faria tudo de novo!

 Para conseguir organizar esta confusão, contei com várias parceiras (as mulheres estão com tudo e não estão prosa) que indico aqui embaixo.

mesa de docesBolo de Coruja / Own CakeDesta vez, ainda trabalhei no tema jardim, mas com uma nova mascotinha: uma coruja, que trouxe todo o meu desejo de sabedoria e ampla visão para minha filhota. Nem preciso dizer que quis caprichar nos doces (apesar de ter feito a parte salgada tb e estar com umas 20 pessoas de fora da cidade circulando pela minha casa… parecia gincana de colégio..rsrsrs).

Preparei, então, alguns doces que já produzia, outros que tinha acabado de aprender em um curso sensacional que fiz em São Paulo com a  blogueira alto astral Simone Izumi, do Chocolatria.

Fudge de CerejaBombom de CôcoCupcake de Frutas vermelhasVou contar com mais detalhes e receitinhas no próximo post. Mas para começar, deixo aqui uma receita de um doce que fez o maior sucesso e é fácil e deliciosa. Você pode fazer hoje mesmo.

 Receita de Brigadeiro de Mel 

– 1 lata de leite condensado

– 1 colher de sopa de chocolate em pó

– 1 colher de sopa de manteiga

– 1 colher de sopa de mel

– Confeito de chocolate para cobrir (eu utilizei raspinhas de chocolate aromatizado com mel da Callebaut, mas pode-se utilizar outro confeito de sua preferência)

 Modo de preparo:

 1- Levar todos os ingredientes ao fogo baixo, misturando sempre até dar o ponto de enrolar. Este ponto pode ser facilmente verificado quando passa-se a colher no fundo da panela e ele não se junta com facilidade (você vê o fundo).

2- Despejar em uma vasilha untada com manteiga e esperar esfriar.

3- Agora é só enrolar e passar no confeito (isso se vc resistir e não atacar com colher mesmo!)

Parceiras:

Mesa CorujaA Ana, da Guloseimas de Papel, fez a decoração da mesa de doces e ambiente, além de ter criado a mascotinha Coruja e o convite.

A Priscila, da Feltrekos, fez as corujinhas, passarinhos e flores de lembrança e da decoração.

Um trabalho muito delicado das duas.

Bem, e os doces… da Dorothy Pot, meu alterego!

Salmão ao Molho de Maracujá da co-blogueira Vivi!

Foto: afraniorestaurante

Este post é uma delícia. Primeiro porque a receita é muito boa e super fácil de preparar. E segundo porque este post foi escrito pela Vivi de Araújo. Vocês se lembram do post do Rosbife da Lulu? Então, este aqui é igualzinho. Foi escrito com todo o carinho por uma amiga pessoal, e do Blog! Você também pode se meter no nosso blog, se quiser. Mande sua receita, testada e aprovada! e terá seu Dia de Blogueira(o)!

 

Recentemente, eu e meu marido Miguel convidamos Nick, um de nossos amigos para jantar. Miguel e eu adoramos massa. E acho que é uma opção sem margem de erro. Afinal, quem não gosta de massa?

Nick é filho de sicilianos, que me faz pensar que qualquer tentativa de fazer uma deliciosa massa seria como chover no molhado, nada de novo. Lembrei da receita de salmão ao molho de maracujá que minha mãe fazia. Maracujá, ou passion fruit, como eles chamam aqui nos esteites, não é muito popular, então seria uma surpresa.

Mas e os acompanhamentos? Adoro os desafios de preparar um prato novo então entrei no blog “memórias” e mergulhei nas histórias e receitas.

 

É difícil manter o foco num blog com tantas receitas e historias gostosas (ahhhhhh! Tive que me meter. Que linda esta Vivi puxando o nosso saco!!!). Fui a página dos bem-casados, passei pela torta de resto (minha família tambem faz!), cookies de creme de amendoim – esse será o próximo desafio.. e epa! Foco!!

Logo encontrei uma receita de salmão e tomates recheados com couscous marroquino que me deu agua na boca.

Parecia perfeito, mas eis que li mais uma dica: o prato seria muito light para homens famintos.

Fiz batata a dore acompanhando os acompanhamentos, se podemos assim chamá-los, e aí sim pude relaxar.

Tudo ficou uma delícia e foi gratificante ver que o Nick realmente se surpreendeu e se deliciou com tudo. Obrigada Memórias!! (Aqui, com lágrimas nos olhos, somos nós que agradecemos!!!)

 

Salmão ao molho de maracujá (Serve 3)

 

Foto: afraniorestaurante
Foto: afraniorestaurante

600 g de filés de salmão

300 ml de suco de maracujá

300 ml de vinho branco

1 cebola pequena cortada em cubinhos

sal e pimenta a gosto

400 ml de creme de leite sem soro

100 g de manteiga

1 pitada de acucar

azeite de oliva para fritar o salmão

 

 

Numa panela, junte o suco, o vinho e a cebola em cubinhos. Adicione sal e pimenta a gosto. Deixe ferver e reduzir pela metade. Adicione o creme de leite e reduza mais.

Desligue o fogo e numa batedeira, misture o molho com a manteiga. Adicione a pitada de açucar para equilibrar um pouco a acidez.

 

Tempere os filés de salmão com sal e pimenta e frite em azeite de oliva

Coloque o molho por cima e sirva imediatamente.

 

Em tempo: A Vivi, gulosa, comeu todo o salmão e não me mandou foto. Terei que prepará-lo e fotografar!!!

Nasi Goreng, ou Arroz Frito!

Fiz um almoço tão rápido e tão delicioso que em 30 minutos eu já estava postando uma foto no Facebook.

E não é que choveram comentários na foto? Fico super feliz que cada vez mais gente está ligada na gastronomia. Isso é muito bom. Comer melhor é uma opcão de vida e não requer nenhuma prática nem muito tempo. Este prato é um excelente exemplo disso! Nem era prá ser um post no blog e logo estou aqui!…

Na verdade sempre fui adepta das comidas Stir Fry. Tudo muito fresco, rápido e prático. E na mesa uma deliciosa refeição que agrada a todos! E quem faz uma vez repete sempre. Ou melhor, não repete muito pois este prato é tão versátil que mil combinações podem ser feitas. Invente a sua e conte aqui o resultado. Coloque tudo na sua wok e já!

 

Nasi Goreng Indonésio (Serve 4)*

400 gr de alcatra cortada em tiras

1 colher de sopa de gengibre picado

3 colheres de sopa de molho de soja

2 ovos

sal, o quanto baste

80 ml de óleo de girassol

3 dentes de alho moídos

1 cebola cortada em rodelas

1 pimentão vermelho cortado em tiras

1 pimentão amarelo cortado em tiras

200 gr de floretes brócolis cozidos al dente (ou crus se você gosta mais crocante)

200 gr de arroz cozido e frio (esta receita é ótima para dar um fim na sobras de arroz)

Um punhado de folhas de coentro

 

Comece preparando uma marinada com 2 colheres de molho de soja, gengibre e alho. Coloque a carne e deixe marinar.

Bata os ovos com o sal e pincele uma frigideira com um pouco de óleo e despeje os ovos. Cozinhe por 2 minutos a fogo médio. Vire o omelete e cozinhe por mais 1 minuto. Retire e deixe esfriar. Enrole o omelete como um rocambole para cortar tiras fininhas. Reserve.

Numa wok coloque o restante do azeite e quanto estiver BEM quente coloque a carne. Queremos fritá-la rapidamente, não cozinhá-la. Vá salteando até que esteja com um tom dourado. Retire da wok e reserve. Acrescente as cebolas, os pimentões e os brócolis e salteie até que a cebola comece a dourar. Acrescente o arroz e misture tudo vigorasamente. Coloque o molho de soja restante e o omelete. Misture. Despeje a carne e o suco que se formou sobre o arroz e decore com as folhas de coentro.

Coma assim, fervendo!

 

DICAS:

Se quiser pular a parte do omelete, misture os ovos depois de ter salteado as verduras e mexa bem para fazer “ovos mexidos”!

O arroz pode ser substituído por massa (Hokkien, Xangai, ou qualquer espaguetti que você tenha na despensa!). Esse é Mee Goreng.

A carne pode ser substituída por peito de frango, camarões ou tudo pode ser misturado.

As verduras… O que vier a cabeça ou o que estiver sobrando na geladeira!

Viu só, já são várias combinações!!!

 

 

* Esta receita, com algumas adaptações, retirei de “O Livro Essencial da Cozinha Asiática” – Könemann. Amo este livro. Foi aí que comecei minha jornada pela cozinha oriental!