Prepare-se para o Natal!

Ou para comer uma deliciosa sobremesa hoje mesmo!

Acho que esta é a primeira de uma séria de sobremesas para o Natal!

Este ano me candidatei para fazer a sobremesa para a Ceia de Natal lá em casa. Nem sei o porquê disso. Não sou doceira. Deveria ter levantado a mão na hora de me candidatar para o prato principal. Talvez fosse a saudade de ter passado os últimos 12 anos longe da bagunça e confusão que a minha família faz nesta época. Na verdade, esta saudade me recordou que no final das contas, a sobremesa, que ninguém queria fazer, aparecia em forma de pudim de leite condensado(!). É…  Foi isso mesmo que gerou a ansiedade em preparar a sobremesa!

Fiquei pensando no que eu poderia servir que causasse impacto e ao mesmo tempo agradasse ao paladar da família toda… Chocolate foi a resposta instântanea! E para não aparecer com um brigadeirão (afff!) fui remexer nos meus cadernos de receitas e achei a apostila do curso de bolos que fiz com a Luciane Oliveira. Conheci a Lu no México e logo de cara nos demos bem. Ela, uma doceira de mãos cheias e formada pela Le Cordon Bleu, me deu muitas dicas boas e um curso maravilhoso que será pauta para outro post. Além de uma receita maravilhosa de bolo daquoise e mousse de chocolate.

Esta sobremesa já foi tema de uma festa natalina. Um ensaio de despedida nos meus últimos dias no México. Ah, quantas boas lembranças! Só fazem esta torta ter um sabor ainda mais especial!

 

Bolo Daquoise e Mousse de Chocolate  e Nutella®( serve 8 ) – uma adaptação da receita da Lu Oliveira

Massa daquoise

115 gr de claras

40 gr de açúcar

100 gr de farinha de amêndoa

40 gr de farinha de trigo

115 gr de açúcar de confeiteiro

20 gr de cacau em pó 

Modo de fazer

Bater as claras em neve e aos poucos adicionar o açúcar, até formar um merengue firme. Peneirar as farinhas e o açucar de confeiteiro. Adicionar ao merengue e misturar rapidamente com uma espátula, com movimentos de baixo para cima cuidando para não perder o volume. Colocar em um saco de confeitar  e fazer um caracól sobre uma assadeira coberta com papel manteiga. Para facilitar o trabalho você pode usar a forma de fundo removível que vai usar para montar a mousse desenhar um círculo, 0,5cm menor que o fundo, sobre o papel manteiga para usar de guia. Depois cubra este círculo com uma camada de merengue  (foto) e preencha todo este círculo com a massa. Assar em forno a 180ªC até que as bordas estejam douradas.

Mousse de chocolate

500 ml de creme de leite fresco

1 gema

40 gr de açúcar

170 gr de chocolate meio amargo

1 pote de Nutella® (você pode usar o pequeno, mas eu recomendo o grande. É Natal, afinal de contas!) – reservar para a montagem

1 xícara de amêndoas sem casca torradas e picadas grosseiramente – reservar para a montagem

Chocolate meio amargo ralado para decorar – reservar para a montagem

Modo de fazer

Derreter o chocolate em banho maria ou microondas. Ferver 100 ml do creme de leite. Num recipiente bater a gema com o açúcar até obter um creme esbranquiçado. Misturar o creme de leite fervido sobre a mistura de gema pouco a pouco para não “cozinhar” e voltar ao fogo rapidamente, com cuidado para não queimar. Retirar o fogo e acrescentar a mistura sobre o chocolate derretido e fazer uma ganache. Transferir para um recipiente grande e deixar esfriar, misturando ocasionalmente para não formar uma nata. Na batedeira, bater o restante do creme de leite num ponto um pouco mais suave que chantilly. Misturar 1/3 do chantilly na mistura de ganache fria e misturar bem. Adicionar o restante do creme batido e misturar levemente para não perder volume até estar totalmente homogêneo.

Montagem

1. Colocar a base de daquoise na forma de fundo removível para montar a mousse (deve ter um espaço de aproximadamente 0,5 cm para ser coberto pela mousse e não aparecer a base (foto))

2. Cobrir a base com a Nutella espalhando bem.

3. Polvilhar as amêndoas picadas sobre a Nutella.

4. Colocar a mousse e passar uma espátula para alisar bem. 

Colocar no freezer por algumas horas ou em geladeira de um dia para o outro. Para soltar do aro use um maçarico ao redor ou um pano de prato umedecido  em água bem quente.

Se você não tiver um aro pode usar uma forma de fundo removível.

A delícia de uma homenagem…

Acabo de receber um e-mail da minha querida amiga Ana Lucia. Um e-mail maravilhoso onde ela faz uma segunda homenagem para seu pai. Linda e doída. Na primeira vez, ela fez a paella cuja receita está aqui. Agora ela escreveu um texto lindo que eu não poderia deixar de publicar aqui e compartir com vocês…

 

Ana, minha doce amiga. Hoje você faz o blog e ele está muito mais delicioso!

 

“Graças à gentileza da minha querida amiga Patricia, já apareci duas vezes aqui no Memórias Gastronômicas – na primeira, porque me meti na viagem dela para SanFrancisco (Pê, qual é a próxima viagem??) e, na segunda, porque resolvi me aventurar a fazer uma paella de presente de Dia dos Pais para meu amado pai. Fiquei devendo a foto da paella por muito tempo e agora resolvi pedir licença para não apenas publicar a foto, mas também falar um pouco sobre a deliciosa memória que essa paella deixou. 
Quando tive a ideia de fazer a paella e pedi a receita à Patricia, era porque já não sabia mais o que dar de presente a meu pai. E ele, como bom descendente de italianos, sempre apreciou muito comer bem e suas histórias muitas vezes envolviam a lembrança de sabores que havia conhecido ao longo de sua vida. Com a minha mãe ele aprendeu acozinhar (há controvérsias…rs) e, curioso, assistia programas, lia e foi desenvolvendosuas receitas, suas técnicas. E assim, comer em casa era uma delícia!
Até por conta disso, enquanto morei com meus pais, minha participação se limitava a passar pela cozinha para ver de onde vinha aquele cheirinho gostoso que eu estava sentindo e a comer!
Somente quando passei a morar sozinha, descobri que trouxe o gosto pela boa comida comigo e que não ia dar para viver de congelado e sanduíche. Aos poucos, passei a fazer minhas experiências – algumas deram certo, outras nem tanto – e fui curtindo isso cada vez mais, comprando acessórios de cozinha, lendo blogs (este inclusive, claro!) e fazendo cursos. Meu pai e minha mãe foram, obviamente, minhas primeiras “cobaias”.
Meu pai se surpreendeu com essa minha descoberta como cozinheira e não escondia oorgulho de ver a filha fazendo algo de que ele mesmo gostava e pedindo instruções e dicas. Até por isso, achei que fazer um prato de que ele gostava como a paella no Dia dos Pais era uma ótima ideia.

E foi! Com a valiosa ajuda da Patricia, para quem pedi a receita aos 45 minutos do segundo tempo, comprei os ingredientes e no Dia dos Pais de 2011 meu pai, minha mãe e eu nos reunimos na cozinha do meu apartamento para preparar a paella. Acabou sendo uma festa! Curtimos tudo, desde a preparação dos ingredientes, o momento de colocar na panela e, enfim, a hora de saborear! Ele ficou muito feliz e a paella ficou uma delícia!!! 

Depois dessa vez, repetimos a receita no Reveillon seguinte e já fazíamos planos defazê-la de novo no Dia dos Pais deste ano.
Infelizmente, não tivemos essa oportunidade. Na verdade, o Dia dos Pais de 2011 acabou sendo o último que passei junto com meu pai. A falta que ele faz é enorme, mas a lembrança dessa paella me faz ter certeza da sorte que tive de viver momentos como este ao lado dele. E, se como diz Leonardo da Vinci, “para estar junto não é precisoestar perto, e sim do lado de dentro”, meu pai sempre estará junto de mim, dentro demeu coração e nas minhas memórias, inclusive as gastronômicas!”