Encontro Gourmet: celebração à boa comida e a blogs muito especiais!

EG Baden Baden harmonizacao

Eg eu e Val

 

 No dia 20 de setembro, eu e Valéria Rúbio fizemos parte do maior encontro de blogueiros de gastronomia do Brasil: o III Encontro Gourmet.

Foi uma experiência pra lá de especial que gostaria de dividir com todos.

Antes de mais nada, a organização foi primorosa. Você podia perceber cuidado em cada detalhe, desde a recepção até os minutos finais. Registro aqui o meu muito obrigada à Sandra Reis (do blog Caldeirão da Bruxa Solar), Dani Abolin (do Blog CineBistrot) e Cecília Padilha (do blog Yes We Cook)

Encontro Gourmet 3

Eu fiquei arrasada porque tive que ir embora mais cedo pois minha filhota estava doente. Mas acompanhei tudo online – vantagens de estar com uma turma super plugada! – só não deu para receber o prêmio que fui sorteada…snif, mas c”est la vie!

O evento pela primeira vez aconteceu na Escola de Gastronomia da Estácio, em São Paulo. Mas parecia que o evento havia nascido para acontecer ali. As salas/cozinhas eram excelentes! E as oficinas, de arrasar… Fiquei com pena de não poder participar de todas.

Quem já viveu a rotina de organizar eventos sabe que para viabilizar um evento deste porte só foi possível graças também ao apoio de várias empresas que acreditam no profissionalismo e dedicação deste blogueiros.

Por isso, gostaria de abrir uma exceção aqui e dividir com vocês quais foram as empresas patrocinadoras do evento, que, levou seus lançamentos, nos presenteou algumas de suas delícias e trouxe profissionais para as ofinicas que nos ajudaram a aprimorar mais nossos conhecimentos e interesse pelo tema.

Ao longo deste post, vou citar alguns destaques para o nosso blog. Gostaria de deixar a homenagem e agradecimento à todas, que estão listadas aqui.  

Mas vamos deixar de conversa fiada e vamos ao que interessa: dividir com vocês um pouco sobre algumas das oficinas que fizemos e dos stands que visitamos.

Já na chegada fomos recebidos com um café da manhã delicioso. O destaque especial do Memórias ficou para os potinhoes de Melão Rei, aqueles da redinha e mais que docinhos. Afinal, uma boa frutinha era muito importante para começar o dia que prometia muita comida gostosa.

EG Banqueteria NacionalAo subirmos para a parte das oficinas, fomos “recebidos” por uma mesa maravilhosa da  “Banqueteria Nacional”.  Eles serviram algo super fácil de ser replicado em casa e extremamente saboroso. Foi uma Terrine de cream cheese e geléia de jabuticaba, salpicado com xerém de Castanhas do Pará,  rodeada por chips de caqui, banana e batata doce. Excepcional! O melhor petisco do evento. Já me deu água na boca, só de escrever.

DICA MÉMORIAS: Experimente fazer na sua casa, utilize 3 potinhos de cream cheese e a geléia de sua preferência. Em um bowl, forrado com papel filme suficiente para cobrí-lo, coloque o primeiro pote de cream cheese na primeira camada. Adicione outra camada generosa de geléia, e repita o processo até finalizar com uma última camada de cream cheese. Feche com o papel filme e leve à geladeiras por 3 horas. desenforme e sirva com os chips de sua preferência. Hoje em dia há várias opções de tubérculos desidratados nas zonas cerealistas das cidades. Experimente!

Por sinal, a chef Dani Padalino, resposável pela Banqueteria Nacional deu um show em sua oficina: Cozinhando às cegas. Uma super experiência, que vale a pena experimentar.

O stand dos famosos queijos do reino, Queijos Palmyra (ou Borboleta – ambos da mesma empresa)  remeteram-me à minha infância. Este era o queijo preferido da minha avó. Era presença online casino constante em sua casa. Este stand reativou muitas das minhas mémorias gastronômicas, literalmente…. Fiquei matutando receitas deliciosas para experimentar com ele… huuummm. Em breve, posto aqui. Não acreditei quando vi umalatinha dele entre meus brindes! Uhu!!!!

DICA MEMÓRIAS: Substitua o queijo prato ou muçarela de suas receitas por esta delícia. Você terá um toque a mais de sabor e cor!

O stand da Revista Casa e Comida estava super charmosa em clima de picnic, com um suspiro de pistache delicioso. Neste espaço, pudemos ver as novidades de outras empresas, como a Forno de Minas, Café Iguaçu, Camil, entre outros. E ainda pudemos nos refrescar com drinks não alcólicos, feitos com o chá FeelGood. Impressionante como temos possibilidades infinitas de drinks não alcólicos. Estavam bem saborosos. E fiquei empolgada em fazê-los na próxima tarde com a criançada.

Ainda tivemos outras delícias expostas, como vários queijos da Allfood. Todos especialmente ma-ara-vi-lho-sos! Mas aquele com nozes ganhou meu coração.

Drink de tomates cereja defumado do Class BarOutro destaque, na parte de bebidas, eram os drinks do Class Bar. ANIMAIS! Lindos e super saborosos. O stand parecia uma mesa de alquimia. Show na apresentação, desde o menu em tablets, passando pelo preparo e culminando no sabor! Deu vontade de fazer uma mega festa, só para chamá-los!

Na parte de doces,  o stand do Madame Formiga estava dando um show! Com seus tachos de brigadeiros. Eles arrasaram ainda mais no presentinho: um bolo no potinho divino!

DICA MEMÓRIAS: Se você não tem o Madame Formiga para sua festa, você pode fazer seus próprios bolos no potinho, mesclando pedacinhos de bolo e brigadeiro, alternando as camadas até completar o pote.

Ainda na parte dos doces, o Nake Cake da querida blogueira e amiga, Mari, do Delicious by Mari, estava de arrasar!

Na linha mais saudável, a confeitaria vegana Miriam dos Bolos mostrou a que veio, cheia de opções saudáveis e saborsas. E a Ariana com a sua A Casa Encantada, trazendo muita coisa saudável para o mercado de SP.

EG Cuisine du marcheA primeira oficina foi a Cuisine du Marche, ministrada pelo coordenador geral da gastronomia da Estácio, David Mansaud, foi uma delícia. Preparamos uma receita deliciosa e super leve, enaltecendo o frescor dos ingredientes frescos.

O destaque deste oficina, foi lembrar da importância de valorizar o sabor e frescor de cada ingrediente para que o resultado final surpreenda. É sempre bom lembrar que podemos fazer pratos incríveis com ingredientes simples.

DICA do Chef: Para realçar a cor e o sabor de cada ingrediente, trabalhe com fogo baixo, azeite para o início do refogado e, na sequência, acrescente bem aos pouquinhos, caldo de frango caseiro, fazendo uma deglaçagem. Assim, a gordura natural do caldo de frango, realça a cor dos legumes e dá um sabor especial.

 

EG Quinoa com legumes e pera

 

 

 

 

Ele preparou uma quinoa orgânica (sim, o sabor é diferente. é um pouco mais amarga) cozida al dente. Com legumes, deglaçados (processo que expliquei acima), peras picadinhas, temperados com sal, azeite, ervas frescas e limão. Sobre foram colocadas lâminas de beterraba, abóbora menina, nabo, aspargos e bulbo de erva doce. Acompanhando uma salada de alface orgânico.

De-li-ci-o-so!

 

 

EG3 Degustação Baden Baden

 

 

Depois tivemos que participar da harmonização da Baden Baden. Por sinal, eles arrasaram em seu stand. 
Impossível ficar longe deles por muito tempo… rsrsrs… Toda hora, eu ia visitá-los. A Baden de Trigo com toque de laranja e coentro foi a minha preferida (tive que degustá-la por algumas vezes para ter certeza disso \o/), mas a edição de 15 anos também merece destaque!

 

Adorei descobrir um espaço que eles criaram no seu site para você identificar a cerveja que mais harmoniza com seu prato, chama-se Experiência Gourmet. Mas nada de tabelinha trivial. Vc pode cadastrar os ingredientes utilizados, com suas intensidades e obter o resultado que melhor se adequa ao seu prato! Show de bola!E a oficina foi a oportunidade perfeira para harmonizar alguns pratos com cada tipo de cerveja e brindar o evento e os amigos! Bom demais da conta! Que venha o EG 4! Cheers!!!!

EG Baden Baden harmonizacao

 

 

Bolo de laranja e mel, versão funcional!

Estava eu com algumas laranjas pera deliciosas, daquelas doces sabe, farinha de amêndoas e um desejo: bolo de laranja. Mas tinha que ser um bolo com gosto marcante e cheiro de laranja. Vocês sabem, as receitas tradicionais são muito gostosas, mas o sabor é suave, vocês não acham?

 A minha busca foi no memórias porque eu me lembrava de ter comido um delicioso que Letícia tinha postado no ano passado, exatamente do jeito que eu queria. Receita encontrada, fiz a minha versão funcional, sem farinha de trigo, sem açúcar refinado e voilá! Ficou tão tão bom que resolvi dar vida a um projeto nosso de ter sempre duas versões do mesmo prato: uma leticiana e uma valeriana, ou seja uma gourmet e outra mais natureba rs!

Como é sem glúten ( ah, sem lactose hein!), resolvi fazê-lo em forminhas de cupcake, assim não esfarela tanto!

Para os puristas, segue o link da versão original que vale o repeteco sempre porque é simplesmente MARAVILHOSA. http://memoriasgastronomicas.com.br/2013/09/bolo-de-laranja-com-mel-para-adocar-o-fim-de-semana/

E, se quiser uma mais natureba ou funcional, experimente essa. Essa versão é também em quantidade reduzida pra gente comer menos, portanto menos calorias rs, simples assim rsrsrs!

Esse bolo combina  perfeitamente com o café da tarde!

Bom apetite! 

Bolo de Laranja e mel versão funcional
Print
Ingredients
  1. 2 ovos caipiras
  2. 1 xícara de farinha de amêndoas
  3. 1/2 xícara de flocos de amaranto
  4. 1/2 xícara de farinha de arroz integral
  5. 2 laranjas pera sem caroços, uma com casca e uma sem casca.
  6. 1/2 xícara de mel
  7. 1/2 xícara de açúcar demerara orgânico
  8. 1/2 xícara de óleo de girassol
  9. 1 colher de chá de bicarbonato de sódio.
Instructions
  1. Bata no liquidificador os ovos, as laranjas cortadas em 4 ou 6 ( para facilitar o processamento), mel, açúcar, óleo. A parte misture bem a farinha de amêndoas, farinha de arroz, flocos de amaranto e bicarbonato. Junte as duas misturas bem e delicadamente. Unte forminhas de cupcake ( 10 a 12), Asse em forno preaquecido a 180º por aproximadamente por 30 minutos.
Notes
  1. A receita original tem uma calda, mas esta versão é tão molhadinha que não tem a menor necessidade. Usei aproximadamente 2/3 das quantidades. Outra mudança foi no tipo da laranja que era bahia e por isso são duas porque as pera são pequenas, se quiser a bahia, use uma e meia..
Adapted from Leticia Villela
Adapted from Leticia Villela
Memórias Gastronômicas http://memoriasgastronomicas.com.br/
http://memoriasgastronomicas.com.br/2013/09/bolo-de-laranja-com-mel-para-adocar-o-fim-de-semana/

Sobrou arroz integral? Faça uma torta cremosa!

Estou em guerra contra o desperdício, principalmente depois que o contingente aqui em casa diminuiu. Somos só dois agora! Faço pequenas quantidades e as sobras SEMPRE  viram novos pratos. Meu lixo orgânico é um saquinho bem pequeno, sou muito orgulhosa por isso rs.  Ouvi mamãe a minha infância toda: “que absurdo jogar comida fora com tanta gente morrendo de fome”. Esta influência é boa e ruim, boa está claro, ruim que eu sempre como tudo, mesmo que não queira e isso engorrrda rs! O supermercado que faço compras que fica a três quadras de casa é meu armário! São bem poucas coisas que eu estoco, somente aquilo que é difícil encontrar em Tietê. Normalmente, eu decido o que vou fazer e depois  compro os ingredientes.  E também, com acesso aos orgânicos, vejo quais os ingredientes disponíveis e decido o que casino online vou fazer com eles. Pronto, geladeira enxuta, pequena família e planeta felizes! E essa torta nasceu de um arroz integral cateto misturado que foi feito num momento de delírio rs e sobrou demais. O errado que deu certo, a massa ficou muito cremosa e a casquinha que formou, delicios!. Ah,  detalhe a gordura é somente do frango, portanto mais leve que o normal! Fiz a foto de um pedaço para vocês perceberem a textura, ficou legal, concordam? Ficou bonita e gostosa! Uia! Experimentem, vale a pena cozinhar um pouquinho a mais de arroz integral, mas só desta vez heim rs?! Até a próxima! Beijo    

Torta creme de frango com massa de arroz integral
Print
Ingredients
  1. 1e 1/2 xícaras de arroz integral cozido de preferência cateto misturado
  2. 2/3 xícara de água
  3. 2 ovos
  4. sal
  5. Para o recheio
  6. 250 g de frango caipira cozido
  7. 1 cebola em rodelas
  8. 1 xícara de couve flor refogada
  9. sal
  10. pimenta
  11. 1 colher de chá de curry
Instructions
  1. Se você compra um frango caipira inteiro pequeno e não quer simplesmente assar, aqui vai uma dica: separe o peito e as contra-coxas para grelhar ou outro prato especial. Retire bem a pele e a gordura. Pegue as coxas, as asas e a carcaça e leve ao fogo com água ultrapassando uns dois dedos. Acrescente três dentes de alho com casca e as ervas que tiver disponível. Cozinhe até descolar bem a carne dos ossos. Desligue o fogo, deixe esfriar. Separe o caldo . Desosse o frango. A carne da carcaça, asas e etc que seria impossível usá-la crua vira recheio de torta! Para a massa: coloque o arroz e a água em uma tigela e deixe até esfriar, assim a massa ficará bem cremosa. Processe o arroz, água,os ovos e o sal. Para o recheio: misture o frango, o couve-flor, a cebola e o curry. Ajuste o sal. Se você fez o frango e "gerou" um caldo, acrescente duas colheres de sopa, caso contrário não é indispensável. Unte uma assadeira de 22 cm de diâmetro. Despeje a massa e depois coloque o recheio de tal maneira que ocupe toda a assadeira. Misture a massa e o recheio com um garfo delicadamente para não comprometer o fundo untado. Leve ao forno preaquecido a 200° por aproximadamente 30 minutos ou até dourar a massa, pois os todos os ingredientes já estão cozidos.
Notes
  1. Se não tiver intolerância a lactose, acrescente uma colher de requeijão na massa.
Memórias Gastronômicas http://memoriasgastronomicas.com.br/

Bolo de biomassa de banana verde.

Faz uns 5 anos que eu ouvi falar na biomassa de banana verde. Fernanda, nutricionista amiga querida, me contou as maravilhas deste alimento sem igual.  Aprendi a fazê-la e era tão de vanguarda que não fez tanto sucesso na época rs.

Segundo a nutricionista funcional Helouse Odebrecht “a biomassa é um alimento funcional pois, quando cozida, apresenta um teor excelente de amido resistente, que tem ação semelhante a das fibras. Por ser resistente, ele não é digerido e nem absorvido. No intestino, a biomassa é utilizada por bactérias boas do nosso organismos, chamadas de probióticos, como uma fonte de energia, mantendo assim a integridade da mucosa intestinal. É rica em vitaminas como A, B1, B2 e minerais essenciais como fósforo, magnésio, potássio e sódio.”

Trata-se um creme que não tem sabor, por isso você pode usá-lo em salgados e doces. É muito simples de fazer- um cacho de bananas BEM verdes ( qualquer qualidade, de preferência as grandes com 12 bananas mais ou menos) bem lavadas, devem ser cozidas por 20  minutos na panela de pressão.  Depois de cozidas e já em temperatura para manuseá-las, descasque e bata no liquidificador com 200 ml de água para formar um creme. Pronto, use 250g para esse bolo e o restante congele. Se quiser, use um recipiente de gelo para ajudar no processo. Além deste bolo, você pode usar a biomassa em vitaminas,  bolos, tortas e muuuuito mais. Ah, tem pronto para vender. Nas cidades grandes fica mais fácil de achar.

 

Além desse bolo, use nas vitaminas matinais ( uma colher de sopa por copo), o sabor não se alterará e você consumirá fibras importantes, como vimos acima.

Esse bolo é delicioso, nutritivo, leve e de chocolate, não tudo que você sempre quis? Ajuda na TPM rs. Espero que gostem.

Até a próxima. Beijos.

Bolo de cacau e coco com biomassa de banana verde
Print
Ingredients
  1. 5 ovos
  2. 250g de biomassa de banana verde
  3. 3 colheres de sopa de cacau em pó
  4. 2 colheres de sopa de coco ralado orgânico
  5. 3 colheres de sopa de açúcar fit ( stevia+açúcar demerara)
  6. 1 colher de chá de bicarbonato de sódio
Instructions
  1. Bater no liquidificador os ovos e a biomassa até até formar um creme uniforme. A parte, misture bem os ingredientes secos. Junte o creme aos ingredientes secos. Em assadeira untada, asse em forno preaquecido a 200 º por aproximadamente 30 minutos. Quando estiver pronto ( pode fazer o teste do palito, ao espetá-lo, se sair limpo, o bolo estará pronto), deixe no forno até esfriar.
Notes
  1. Como o bolo não tem nenhuma farinha, a textura é bem diferente quase um suflê. Para ajudar que o bolo não murche, deixe o bolo no forno até esfriar. Você pode substituir o açúcar fit por açúcar orgânico ou demerara.
Memórias Gastronômicas http://memoriasgastronomicas.com.br/

Cadê a farofa? Está aqui com ghee!

Essa pergunta é uma brincadeira de família porque uma farofinha cai bem sempre, né? 

Depois de fazer o ghee, fiquei testando um monte de receitas. E TODAS ficaram ótimas.  

E eu volto a levantar a minha bandeira: você comeu o seu prato de arroz e feijão esta semana? Quantas e quantas pessoas abandonaram o prato preferido do brasileiro. Trocaram por fast food, congelados, salgados, lanches. Não em gente! A primeira coisa que meu filho quis aprender quando foi morar sozinho, foi cozinhar o feijão. Ele lá em Bauru, eu aqui em Tietê. A receita e modo de fazer, escritas pelo Facebook  ( aliás nunca falamos por telefone, snif) e pronto o rapaz se tornou o melhor cozinheiro de feijão da turma. Aliás, ele me disse que a maioria dos amigos e amigas dele não sabem cozinhar, acho que deveria ser matéria do ensino médio, vcs não acham? E muitas outras receitas foram da mesma forma e hoje ele se alimenta muito bem, mesmo longe de mim!

E para celebrar este prato fantástico, o acompanhamento de uma farofa de abobrinha e cenoura, mais rápida de fazer do que um sandwiche rs! Sim, ralar os legumes e picar a cebola ( que vc pode ralar também) leva no máximo 5 minutos. E o sabor que o ghee empresta a farofa? Sensacional!

Dá pra fazer agora! Vai lá! Bom apetite! 

 

Farofa com cenoura, abobrinha e ghee
Print
Ingredients
  1. 1 colher de sopa de ghee
  2. 1 cebola pequena picada
  3. 1 abobrinha italiana ralada
  4. 1 cenoura ralada
  5. Farinha de mandioca quanto baste
  6. sal a gosto
  7. pimenta a gosto
Instructions
  1. Dourar a cebola no ghee. Saltear a cenoura e abobrinha. Acrescentar a farinha até que encorpore todos os ingredientes.Deixe cozinhar por 1 minuto. Acrescente o sal e a pimenta. Sirva imediatamente.
Notes
  1. Você pode usar a farinha que preferir. A quantidade de farinha é conforme o gosto pessoal. Eu, particularmente, prefiro a farofa molhadinha, então na minha farofa, vai pouca farinha.
  2. Na foto acima, além da farofa, mix de grãos de aveia e cevada, e feijão azuki. Hum tava bommm rs!
Memórias Gastronômicas http://memoriasgastronomicas.com.br/