Olha pro céu, meu amor… foi aberta a temporada da canjica!

canjica

canjicaAinda em ritmo de festa junina, fiz a minha primeira leva de canjica! E todo ano me pergunto: por quê a gente só faz canjica nesta época???

Bem, no meu caso, a resposta é simples: porque me acabo de tanto comer. Definitivamente, não consigo ficar só num pratinho!

É aquela receita fácil de comer e fazer, mas tem seus truques. E, como várias pessoas me perguntaram como preparar, coloco aqui a receita que sempre utilizo.

Eu gosto de preparar uma quantidade maior, pois a cada dia ela vai ficando mais gostosa. 

 Só neste ano, descobri que tenho uma sócia: minha filha apaixonou-se também! Acho que vou ter que fazer mais!!! canjica

Receita de Canjica (simples e com complementos deliciosos – serve 12 porções)

– 500g de canjica (deixada de molho em água de um dia para outro, pelo menos por 8 horas)

– 1,5l de água

– 2l de leite

-500ml de leite de côco

– 100g de côco ralado

– 300g de açúcar

– 2 a 3 pauzinhos de canela

– 3 cravos da índia

– opcional 1: 200g de amendoim torrado e moído

– opcional 2: 200g de queijo minas em cubinhos (coisa de mãe mineira…)

Modo de Preparo:

1- Deixar a canjica de molho de um dia para o outro. Escorrer a água e colocá-la para cozinhar em fogo brando com a água. Deixar ferver por cerca de 1h30min, mexendo de vez enquando para não grudar.

2- Após este período, acrescentar a canela, cravo, leite e leite de côco. Deixar ferver novamente. Acrescentar o açúcar e o côco. Deixar cozinha por mais uns 45 minutos até os grãos estarem bem macios e o caldo mais grosso.

3- Você pode servir com um pouco de amendoim torrado e moído ou com cubinhos de queijo ou com tudo junto misturado… Uma delícia!

Bom apetite!

Pula a fogueira, ioiô…vai um pé-de-moleque aí?

pé de moleque

pé de molequeConcordo com a Patrícia, se tem uma coisa que sempre gostei no Brasil é da temporada de festa junina. Não sei se por causa do quentão, do clima da festa ou por causa das comidas… Elas combinam tanto com o friozinho desta época que a gente acaba abusando um pouco, mas faz parte, né?!

Para começarmos a entrar no clima de São joão, aí vai uma receita super fácil, gostosa e com um toque especial.

Desde que me entendo por gente, lá em casa se faz pé-de-moleque. Mas por várias vezes, eu fazia cara feia porque minha mãe colocava gengibre na receita. Nada como o passar do tempo e o aprimorar do paladar… Hoje sou eu quem faz o pé-de-moleque com gengibre. Uma delícia!

Pé de moleque

– 1 kg de rapadura

– 500ml de água

– 1kg de amendoim torrado, sem pele e inteiro

– 2 colheres de sopa de farinha de mandioca

– opcional: 1 colher de sopa de gengibre ralado

Modo de Preparo:

pé de moleque como fazerColocar a rapadura e a água para derreter até o ponto de bala mole (se for por o gengibre, coloque deste o início para pegar bem o gosto.  Desligar. Acrescentar o amendoim e bater com uma colher o espatúla (misturar vigorosamente) até começar esbranquiçar. Despejar sobre uma pedra (granito ou similar), que já está salpicado com um pouco de farinha de mandioca. Espalhar bem e quando amornar cortar. Outra opção é colocá-lo às colheradas para já fazê-lo individualmente, mas é preciso ser ágil para não perder o ponto e ele ficar duro.

Dica:

1- ele vai começar a grudar na borda da panela e vc terá dificuldade de soltá-lo.

2- Como verificar este ponto: em uma vasilha colocar água gelada e pingar um pouco do melado. Com as pontas dos dedos ajuntar o melado. Se formar uma bala mole, está no ponto.  Se estiver muito dura, colocar mais um pouco de água, pois passou do ponto.pé de moleque como fazer

Bolo de fubá de Festa Junina

Acho que uma das coisas que mais sinto falta do Brasil são as Festas Juninas. Não comemoramos em Londres, nem tampouco aqui no México.

Tentei alguns ensaios mas o clima atual da cidade do México – 26 graus na sombra! – não ajuda ninguém a encarar fogueira, quentão ou vinho quente…

Acho que a melhor parte destas festas são mesmo as comidas. Muita gente nem sabe ao certo o que se comemora nestas datas, algum Santo, ou coisa parecida. Não importa! Mas vá a uma quermesse sem uma deliciosa canjica, pipoca, doce de abóbora ou paçoquinha? Nem pensar!

Esta semana, um pouco nostálgica, fiz um bolo de fubá com côco com o maior capricho e este bolo rendeu histórias para toda a semana! Na verdade, nem foi pensando em festa junina, mas em uma amiga que estava com desejos de bolo de fubá! E dele sairam muitos pedidos para organizarmos uma festinha. Me animei.

Quem sabe adaptamos um pouco e pelo menos nos juntamos para comer este bolo!

Bolo de Fubá com côco (do Caderno de Receitas da minha mãe)

200 gr de manteiga a temperatura ambiente

300 gr de açucar

3 ovos grandes, separados

250 gr de fubá (eu usei o pré cozido)

120 gr de farinha de trigo

200 ml de leite de côco sem açucar

350 ml de leite integral

1 pitada de sal

1 colher de sopa de fermento em pó

100 gr de côco ralado

Aqueça o forno a 180 graus. Unte uma forma de buraco de 25 cm com maeiga e farinha de trigo. Bata as claras em neve e reserve. Peneire o fubá, farinha de trigo, sal e fermento e reserve.

Na batedeira, bata o açúcar e a manteiga até obter um creme liso e amarelo pálido. Acrescente as gemas, uma a uma, e continue a bater por uns 3 minutos.

Sem bater, acrescente os secos e misture com uma espátula alternando com o leite de côco e o leite integral. Quando a mistura estiver bem homogênea, junte o côco ralado e misture. Por último junte as claras batidas em neve em movimentos suaves para as claras não “baixarem”.

Coloque na forma e asse por 40 minutos ou até que ao espetar um palito no centro do bolo este saia limpo. Retire do forno e deixe esfriar sobre uma gradinha. Desenforme o bolo frio. Se quiser, polvilhe com açúcar de confeiteiro.

Se estiver no Hemisfério Sul acompanhe-o com chá ou uma xícara de café. Por aqui, chá gelado foi uma excelente companhia!!!