“Paris é uma festa!”

Falafel

Como disse Hemingway, Paris realmente é uma festa. Você pode estar interessado em moda, história, artes, filosofia, arquitetura, nos mais diversos temas que você se deliciará em Paris. Mas é na gastronomia que eu me acabo. Em qualquer canto, come-se bem. Sabe aquela máxima de até ruim é bom… ela se aplica a esta cidade.

Não sei se é o clima, se é pelo fato de todos crescerem comendo bem e se acharem experts. Mas, o fato é que você sempre tem uma boa opção para comer bem (e o que você quiser) em Paris.

Reza a lenda – até um grande especialista em comer bem disse um dia – que “o melhor restaurante chinês do mundo estava em Paris…”. Exageros ou verdades à parte, esta cidade é o paraíso para nós, os comilões de plantão. Da Alta Gastronomia, já festejada por todos, até a Baixa Gastronomia: tudo é fenomenal!!! Em cada esquina, você pode descobrir um lugarzinho especial.

Coisas inusitadas do tipo: o melhor sanduíche de falafel que eu já comi foi em Paris… E o pior (ou melhor): eu repeti desta vez. O Marcelo ama este sanduíche e, para matar a saudade, fomos parar lá no Marais – bairro descolado francês que vale a pena a visita mesmo se vc não gosta de falafel, bem ao lado da Place des Vosges.

São vários restaurantes que vendem esta e outras iguarias do médio oriente. Não conseguimos ir onde havíamos comido da outra vez, pois estava fechado. Mas fomos a outro, logo ao lado, igualmente bom, chamado L’As du Fallafel. É fácil chegar, mas náo dá pra seguir os mapas turísticos, pois a rua não aparece. Vale imprimir o mapinha no google.

A melhor opção é seguir a orientação do atendente que grita aos quatro cantos: “venha comer o melhor falafel de Paris”. Entre na fila “à porter”, faça seu pedido a este simpático cavalheiro (que fuma na sua cara), que te dá o troco e a ficha. Fila, fumaça…tudo pelo falafel! O Shawarma também vale o sacrifício.

Depois de pegar seu sanduíche, encontre um lugar vazio nos arredores para sentar-se e deliciar-se com esta maravilha. Vale tudo, degraus de casas, porta da igreja, uma pracinha bem fofa que tem perto ou se você se animar a caminha um pouquinho mais tem a Place des Vosges, que dispensa apresentações…
Áh! E se for este o caso, não vale sofrer pela escolha ao passar pelo D’Ambrosie. No máximo, tente a sorte de um encaixe para o jantar do dia seguinte.
L’As du Fallafel
34 , Rue des Rosiers – 4º arrondissement