Você já foi à Bahia, nêga? Não? Então vá!

A benção Dorival Caymmi! Peço sua licença para falar da minha visita a terra de Caymmi, deixando as receita pra semana que vem!

  Este ano, comemoramos os aniversários do Marcos e o meu na Bahia. Esquecemos o vatapá, o caruru, mugunzá e fomos atrás de praias! prainhaPrimeiro Itacaré com praias paradisíacas e cachoeiras tudo tão preservado e tão limpo que dá vontade de voltar! Essa é a prainha, uma trilha no meio da mata de 30 minutos leva a este pequeno paraíso!Antes de viajar, costumo ler tudo a respeito e um blog que recomendo é o viaje na viagem do Ricardo Freire  ( www.viajenaviagem.com.br), com detalhes mínimos e com participação dos leitores. Fiquei sabendo que nesta trilha vinham acontecendo assaltos e que Itacaré andava cheio de “trombadinhas”. Como paulistana que já viu muito disso na vida, não me deixei intimidar, fui assim mesmo. O único cuidado que tomamos foi fazer a trilha com um guia, para aumentar a sensação de segurança. E por isso, foi muito bom, tranquilinhos chegamos ao destino, sem problemas, quer dizer só com um tombo lindo desta que vos fala rsrs! Quem vai pra lá precisa de no mínimo uma semana pra fazer tudo que oferecem. Nós ficamos 5 dias e faltaram lugares pra conhecer. Tem atividades para todos os gostos, surf, arvorismo, rafting, tirolesa, mas as praias, as praias são sempre lindas, a maioria com rio e mar, o paraíso para pessoas que como eu que precisam de banho de água doce, depois do banho de mar. Ah, detalhe importante: os tais “trombadinhas” foram “eliminados” pela polícia local segundo o guia, nem perguntei como, uih! Essa é a praia de Jeribucaçu acho que não preciso falar nada, né?  Comemos um peixe chamado vermelho feito na brasa hummm comjeribucaçu farofa, vinagrete e um molho de pimenta delicioso, forte que dá pra virar um dragão, mas bom demais! Aliás, cada restaurante faz seu molho pra oferecer aos seus clientes, um mais delicioso que o outro. Dois restaurantes que fomos e recomendamos: Manga Rosa  e o Mediterrâneo.  O primeiro cozinha baiana e o segundo um chef italiano se apaixonou por uma itacareense mudou-se  e abriu um restaurante na Pituba ( rua do comércio local), um clássico na Bahia! Depois de uns três dias, tive que apelar por uma comida mais leve, o dendê acabou comigo rsrs!Quem vai pra Itacaré normalmente vai por Ilhéus, mas resolvemos ir por Salvador, estava com saudade desta terra que não visitava há 13 anos!

  casino online  Confesso que fiquei um tantinho decepcionada, Salvador está em obras! Lógico que não ficarão prontas pra Copa e pelo que eu vi, o trânsito está enlouquecedor!  Bom, as praias boas estão ao norte- Stella Maris e as da Linha Verde  porque as da cidade estão impraticáveis! Sem uma gota de sombra e a infraestrutura é mínima! O farol da Barra estava uma zona e a praia da Barra sem graaaça! O que valeu foi a ida à Praia do forte e a missa afro que assistimos no dia do aniversário Marcos ao som dos atabaques saudando todos os ancestrais baianos! Acontece todas as terças-feiras na salvadorIgreja de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos no Pelourinho, imperdível, emoção garantida!

Eu que pensei que traria muitas dicas de alimentação para escrever no blog, sofri um pouco com a comida baiana. Pois é, comer saudável não prepara seu estômago para fortes emoções, assim nos nossos dias de Salvador fui atrás de saladinhas…pode acreditar! Mas, trouxe comigo uma lembrança de duas cozinheiras super fofas e sorridentes que faziam todas as manhãs na pousada em Itacaré a tapioca, saudável,  tão fácil, tão brasileira e tão gostosa, prometo que no próximo post, vou dar a receita! Enfim, de volta a ativa, renovada pelas águas do mar e da cachoeira! Muito axé pra todos e vamos em frente no meu ano novo! 

Beijo e até o próximo!