Coco, coco, cocada ♪♫♩♫ é cocada pro Natal!

Se tem coco, eu gosto! E cocada então, nem se fala! Cocada tem gosto de festa e de Natal também, por que não? 

Teve um tempo que eu fazia cocada e  presenteava! Colocava em um pote de vidro grande  e quem ganhava, chegava enjoar de tanta cocada rsrs!

Ok, com essa quantidade de açúcar e gordura ( mesmo sendo vegetal é gordura!) não é tão saudável, mas em dia de festa pode! O coco tem  excelente teor de sais minerais, como potássio, sódio, fósforo e cloro, assim como fibras.

O bacana é que os que estão evitando lactose podem comer! Essa cocada foi fotografada pela minha irmã para quem tenho cozinhado os quitutes sem lactose, na verdade ela é intolerante a caseína, a proteína do leite, a bichinha fica toda empolada se come algo com sua inimiga rsrs!

coco orgânico

 Pra quem não consegue encontrar coco fresco com facilidade  existe o Finococo que além de ser orgânico tem um preço bastante justo! Como sou viciada em coco,  sempre tenho em casa! Dura bastante porque é embalado a vácuo.

Enfim, uma sobremesa brasileira, deliciosa que pode até virar presente!

Até a próxima com mais ideias de Natal! Beijos.

 

Cocada
Print
Ingredients
  1. 3 xícaras de coco ralado orgânico
  2. 3 xícaras de açúcar orgânico
  3. 1 1 1/2 de água
Instructions
  1. Em uma panela, de preferência de cobre, em fogo alto, coloque a água, o açúcar e misture. Quando atingir o ponto de fio, adicione o coco. Misture bem. O liquido vai secando e você mexendo de vez em quando. Quando a quantidade de líquido diminuir por mais da metade está pronta. Em uma superfície limpa, de preferência de mármore, coloque a cocada às colheradas.Quando estiver seca, vai soltar facilmente.
Notes
  1. Ponto de fio é quando ao derramar o liquido de uma colher a última gota desce densamente formando um fio bem fininho. Para saber se a cocada está no ponto, coloque uma colher de chá de cocada sobre uma superfície limpa e lisa, o mármore, se o liquido escorrer, se separando da cocada, ainda não está pronta. O ponto é quando o liquido fica denso e não escorre sobre a superfície, assim a cocada ficará molhadinha por dentro.
Memórias Gastronômicas http://memoriasgastronomicas.com.br/

Love me, Tender… O Natal está chegando e o Tender voltou. Oba!

Tender classico natal

Tender classico natalEu também sou da turma que ama Natal! Desde criancinha. Gosto do clima festivo, gosto do clima (aquele calor chuvoso…), gosto dos ingredientes que voltam a ficar disponíveis nos mercados, enfim… gosto de tudo um pouco. Uma das opções que dá as caras é o Tender. Gostaria de começar uma campanha para que ele fique para sempre! #euamotender

Acho uma opção super prática que pode funcionar como petisco, prato principal, recheio de sanduíche, parte de uma salada… um coringa de fato. É prático mesmo. Até quem não sabe cozinhar, pode arriscar-se!

Assim que apareceu no supermercado, lá fui eu atacá-lo!

Como acompanhamento fiz um chutney de manga, que amo (já, já posto a receita e algumas ideias). Mas pode comprar já pronto.

Para o tender, fiz a receita mais tradicional. Acredito que é importante respeitar os clássicos. Claro que gosto de inventar (inclusive com o tender), mas tem tradição que nem precisa. É bom e ponto.

Neste dia, comemos, acompanhado por uma salada verde. Mas, para o Natal, vale caprichar na salada, fazer um couscous, por exemplo aquela receita que a Val postou aqui, ou arroz especial… mas fique tranquilo, ao longo deste mês daremos algumas dicas para você dar um show nas festas de final de ano!

Um brinde!

Receita Clássica de Tender com molho de tangerina
Print
Ingredients
  1. - 1 tender bolinha (em torno de 1 – 1,2kg)
  2. - suco de 2 tangerinas
  3. - cravos, o quanto baste
  4. - 2 colheres de sopa de mel
  5. Utensílio que facilita a vida: saco próprio para assar (dá para fazer sem, mas suja menos)
Instructions
  1. 1- Fazer cortes leves cortes na horizontal e vertical do tender, apenas para marcar e, em cada cruzamento, colocar um cravo. Passar o mel sobre a superfície do tender e colocar no saco para assar.
  2. 2- Dentro do saco, colocar o suco de tangerina e fechar, deixando um furinho para passar o vapor.
  3. 3- Levar ao forno pré-aquecido a 180 graus e assar por cerca de 40 minutos.
  4. 4- Está pronto! O suco de laranja vira um delicioso molho de acompanhamento. Confira se está muito líquido. Em caso positivo, colocar em uma panela para reduzir um pouco e engrossar o molho. Não utilizo espessantes como farinha de trigo ou amido de milho, mas pode ser uma opção.
  5. Sirva com o acompanhamento que preferir.
  6. Boas Festas!
Memórias Gastronômicas http://memoriasgastronomicas.com.br/

Couscous com abobrinha e berinjela, pensando no Natal!

Semana passada no dia do feriado de Consciência Negra fizemos uma reunião de família para discutir o menu do Natal. E que depois de umas cervejas decidimos que o Natal seria dia 25 e teria peru rsrs, o resto, bem o resto… a gente decidiria por whatsapp no grupo da família rsrsrs. 

Enfim gente, o Natal está ai!

Amo Natal, certa feita em uma fase não tão boa da minha vida, um psiquiatra me disse que eu não poderia deixar de tomar os antidepressivos nesta época porque não seria bom! Foi então que eu decidi mudar de médico, mudar de tratamento porque nem todos ficam tristes no Natal, eu por exemplo fico muuuuito feliz! E olha que já passei natais bem tristes,  sem meu pai, sem minha avó e mais recentemente, sem uma de minhas tias queridas! E nem por isso, não quis comemorar, muito pelo contrário, aí que é preciso juntar a família e reviver os bons momentos!

Nas próximas semanas, vou publicar aqui  algumas receitas saudáveis pra mesclar com todas as delícias que a gente fica esperando o ano todo pra comer!

E pra começar esse couscous vegetariano muito saboroso acompanha muito bem as aves, carnes e peixes de Natal, ano novo e a festa que vier!

Eu adoro esta receita, espero que gostem. Beijo e até a próxima!

Couscous com abobrinha e berinjela
Print
Ingredients
  1. 1 e 1/2 xícaras de couscous
  2. 1 e 1/2 xícaras de caldo de frango ou outro caldo de preferência
  3. 2 abobrinhas pequenas cortadas em cubinhos
  4. 2 berinjelas cortadas em cubinhos
  5. 2 dentes de alho
  6. 1 cebola pequena cortada em cubos
  7. folhas de manjericão
  8. folhinhas de orégano fresco
  9. pimenta rosa
  10. pimenta branca
  11. 1/3 de xícara de nozes picadas
  12. 4 colheres de sopa de azeite de oliva extra virgem
  13. sal a gosto
Instructions
  1. Em uma frigideira adicione 2 colheres de sopa de azeite, o alho picado ou espremido e refogue a abobrinha, a pimenta branca e sal a gosto por 2 minutos. Desligue o fogo e acrescente o manjericão. Reserve. Nesta mesma frigideira adicione 2 colheres de sopa de azeite e as nozes, deixe no fogo mínimo para "soltar o sabor" no azeite. Acrescente a berinjela,tempere com a pimenta rosa, o orégano fresco e sal a gosto, refogue por por 2 minutos. Junte os refogados. Hidrate o couscous com o caldo fervente. Adicione o couscous hidratado aos legumes e nozes. Ajuste o sal. Finalize com um fio generoso de azeite.
Notes
  1. Se não encontrar orégano fresco, pode substituir por sálvia, tomilho ou alecrim. Se não quiser fazer caldo pode hidratar com água fervente. Pode trocar as nozes por castanhas de caju, fica muito bom também!
Memórias Gastronômicas http://memoriasgastronomicas.com.br/

Novo Guia Alimentar da População Brasileira

frutas na banca“O guia é um documento oficial que aborda os princípios e as recomendações de uma alimentação adequada e saudável para a população brasileira, configurando-se como instrumento de apoio às ações de educação alimentar e nutricional no SUS e também em outros setores.  Considerando os múltiplos determinantes das práticas alimentares …, o guia alimentar reforça o compromisso do Ministério da Saúde de contribuir para o desenvolvimento de estratégias para a promoção e a realização do direito humano à alimentação adequada. “ Ok, a linguagem acadêmica é um pouquinho chata, mas se você tiver paciência, vai ler um documento inovador. 

Alimentação Saudável é o assunto que eu mais gosto. Adoro descobrir novos ingredientes e novas preparações para que o organismo absorva o máximo de nutrientes. Através de meus estudos fica cada vez mais claro que diversificar ao máximo, preferir os orgânicos, evitar os industrializados é um caminho mais curto para a saúde. 

Por isso, fiquei tão empolgada com este guia que  traduz tudo que eu prego e faço. É bom que se fale que este é uma atualização do primeiro que foi feito em 2006.

O que eu mais me encantei  foi o fato de estar livre de qualquer influencia das multinacionais, inclusive indicando o afastamento de alimentos por elas produzidos e estimular as pessoas a voltarem a cozinhar,  que na minha opinião deveria ser matéria obrigatória na escolas. 

O documento deixa de lado a nossa pirâmide nutricional tão conhecida e recomenda que a escolha de alimentos nutricionalmente balanceados para compor uma alimentação nutricionalmente balanceada, saborosa e adaptada a cultura de cada um, ao mesmo tempo, ambientalmente sustentável; afinal comida é muito mais que nutrientes!legumes

 Foram consideradas quatro categorias de alimentos, definidas de acordo com o tipo de processamento empregado na sua produção. Alimentos in natura ou minimamente processados exemplos incluem legumes, folhas, frutas, grãos secos, polidos e empacotados ou moídos na forma de farinhas, raízes e tubérculos lavados, cortes de carne resfriados ou congelados e leite pasteurizado. A segunda categoria corresponde a produtos extraídos de alimentos in natura ou diretamente da natureza e usados pelas pessoas para temperar e cozinhar alimentos . Exemplos : óleos, gorduras, açúcar e sal. A terceira categoria corresponde a produtos fabricados essencialmente com a adição de sal ou açúcar a um alimento in natura ou minimamente processado, como legumes em conserva,frutas em calda, queijos e pães. A quarta categoria corresponde a produtos ultraprocessados. Exemplos incluem refrigerantes, biscoitos recheados, “salgadinhos de pacote” e “macarrão instantâneo”.

frutas

A ideia é a base da nossa alimentação sejam os in natura , c onsumemos poucos processados, comedidamente os feitos para temperar e evitar os ultraprocessados. Assim cada um com sua rotina, tipos físicos, culturas, farão, assim, as melhores escolhas para si.

Promove os orgânicos, os cultivos familiares e rejeita o que não é comida: os industrializados muito processados.

Em resumo: Coma comida de verdade, cozinhe mais, compartilhe refeições com pessoas queridas e fique longe dos ultraprocessados  ( repetido para fixar rs). 

Acesse o link abaixo e conheça o guia e leia, se possível. Se este assunto te encanta como a mim, vai adorar!

Até a próxima!

tuberculos

http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2014/11/novo-guia-alimentar-do-ministerio-da-saude-recomenda-alimentos-frescos.html

Quem nunca quis fazer picadinho, que jogue a primeira panela!

Picadinho indiano

Não… não vamos falar sobre momentos de fúria. Tão pouco sobre o tradicional picadinho, super comum nos almoços dos brasileiros, principalmente dos cariocas.

Este picadinho é importado! Alguns chamam de picadinho marroquino outros de indiano. Mas na prática, é uma receita com sabores bem brasileiros. Sua origem desconhecida deve ter sido uma inspiração nas mesas fartas destes países, mas adaptada à realidade brasileira. O importante é que o picadinho indiano é um sucesso com adultos e crianças. Ótima sugestão para aquele almoço despretencioso entre amigos. E tenha certeza: nunca haverá um picadinho igual ao outro. Logo, logo, você acrescentará algum item.

Eu fui apresentada à receita na casa da mãe de uma grande amiga de Curitiba. Por várias vezes, eu – que estava longe da família, ia filar o almoço de domingo. E, como em toda casa cheia, a solução tinha quer ser saborosa e prática. Lá a receita era nomeada: Picadinho Marroquino.

Anos depois, descobri que um tal de Picadinho Indiano era um dos sucessos da casa da minha sogra. A receita tinha o mesmo conceito da casa da minha amiga, mas já com suas variações.

Aqui postarei a receita da minha sogra, já com as minhas adaptações. Mas saibam de antemão que por várias vezes já a mudei. Tudo depende do que você tem em casa, do seu humor e uma super ideia: dos complementos dos convidados. Uma vez fizemos com uns amigos e foi super legal, pois cada um levou um item diferente.

Enfim, vamos ao que interessa!  

 picadinho indiano complementos

Picadinho Indiano
Print
Ingredients
  1. - 700g de carne moída
  2. - 2 cebolas (1 para refogar a carne e outra para servir) picada miudinha
  3. - 2 dentes de alho picados miudinhos
  4. - curry a gosto
  5. - 12 espetinhos de frango (você pode fazer o espetinho em casa se preferir com peito de frango cortado em cubos, marinado em uma mistura de iogurte, sal, pimenta do reino, páprica ou curry)
  6. - 8 ovos cozidos (cozinhe por 3 minutos a partir da fervura e mantenha na água quente, com fogo desligado por 10 minutos para a gema ficar amarelinha).
  7. - 1 maço de cheiro verde picadinho bem miudinho.
  8. - 100g de azeitonas verdes picadas miúdas
  9. - 150g de chutney de manga
  10. - 250g de amêndoas laminadas
  11. - 150g de queijo parmesão ralado
  12. - 200g de coco ralado
  13. - 4 tomates picados em cubinhos
  14. - 1 pimentão picado em cubinhos
  15. - 150g de passas
  16. - 300g de bacon fatiados e picados bem miudinhos
  17. - 8 bananas caturras ou da terra fatiadas e grelhadas
  18. - 1/2 abacaxi picado miudinho
  19. - 1 e 1/2 xícara de molho Satay - é um deliciosomolho de amendoim (½ xic de pasta de amendoim, 1 colher shoyu, 1 colher de melado de cana, 1 colher de óleo de gergelim tostado, 4 colheres de leite de coco, sal a gosto. Misture tudo até ficar com consistência cremosa e homogênea)
  20. - 2 xícaras de arroz ou couscous (cozinhar da forma tradicional)
Instructions
  1. 1- Refogar a carne com a cebola e o dente de alho. Reservar.
  2. 2- Preparar o arroz ou o couscous de forma tradicional. Reservar.
  3. 3- Pegar os ovos já cozidos, separar clara da gema. Passar as gemas por uma peneira para que fiquem miudinhas. Reservar em um potinho. Pegar as claras e picar miudinho. Reservar.
  4. 4- Picar todos os itens conforme descrito. Colocar cada item em um potinho para ir à mesa (isso inclui a carne e arroz).
  5. 5- Na hora de servir, grelhar os espetinhos.
  6. 6- Levar tudo à mesa.
  7. 7- Cada um se serve com o que quiser e como quiser. A dica é fazer uma montanha, começando pelo arroz (ou couscouz), carne e complementos. Fica bom demais!!!!
Notes
  1. Você pode substituir itens. Por exemplo, trocar a amêndoa por amendoim ou pistache.
  2. Ouse: coloque outros itens que você acha que podem combinar!!!
  3. Ah! E você pode preparar boa parte dos itens com antecedência.
Adapted from Letícia Villela
Adapted from Letícia Villela
Memórias Gastronômicas http://memoriasgastronomicas.com.br/

Como eu gosto de Feijão Tropeiro!

Feijao tropeiro

Feijao tropeiro jpegBom dia!!! Hoje é sexta-feita e já estou em ritmo de fim de semana! 

Não sei como demorei tanto tempo para escrever esta receita. Talvez porque seja tão comum fazer feijão tropeiro lá em casa, que sempre deixava para a próxima postagem.

Esta foto mesma foi feita às pressas, antes que todos atacassem…

Sempre que chegamos em BH, somos recepcionados com um tropeirinho, quer seja feito em casa, quer seja o do Mercado Central (recomendo muuuito!). O prato é tão amado pelos mineiros que é a atração gastronômica até no Mineirão, nosso principal estádio de futebol. É… feijão tropeiro e futebol, combinam! 

Mas nem preciso dizer que o da minha mãe é o melhor da cidade, né?

NOTA: Mineiro é meio italiano até nisso, os pratos da mãe são sempre os melhores e não discuta isso! Mas te juro que o da minha mãe é o melhor da cidade.. talvez do mundo… quiçá do universo!

Enfim, é uma vergonha ele não fazer parte do Memórias ainda. Então, “bora” corrigir este erro!

Este prato é de fácil preparo e pode ser um prato único ou pode ser acompanhado de uma couvinha refogada, arroz branco e o ovo frito (o meu com gema mole, por favor.).

Feijão Tropeiro da D. Eloíza
Print
Ingredients
  1. - 500g de feijão vermelho
  2. - 450g linguiças calabresa
  3. - 250g de bacon cortado em cubinhos pequenos
  4. - 1 cebola grande cortada em cubinhos
  5. - 5 dentes de alho picados miudinhos
  6. - 1 maço cheiro verde (metade de salsinha e metade de cebolinha)
  7. - 4 ovos
  8. - farinha de mandioca torrada, o quanto baste
  9. - sal e pimenta do reino à gosto
Instructions
  1. 1- Cortar as linguiças ao meio ao longo do seu comprimento e levar ao forno com o bacon já em cubinhos para assar e tirar a gordura por volta de 40 minutos. Escorra o óleo que saiu, e pique a linguiça em cubinhos pequenos e reserve. (não corte antes de assar para não ficar ressecada)
  2. 2- Cozinhar o feijão, com uma folha de louro, coberto por água na panela de pressão por cerca de 15 min (ele deve ficar cozido e firme e cozinha bem rápido, por isso é importante ficar atento).
  3. 3- Em uma panela grande, refogar a cebola em um pouco de óleo (pode-se utilizar um pouco da gordura do bacon que foi assado), acrescentar o alho. Refogar por mais 1 minuto.
  4. 4- Acrescentar a linguiça e o bacon já assados e picados em cubinhos. Em seguida, acrescentar o feijão já cozido (apenas os grãos sem o caldo). Misturar delicadamente para não quebrar os grãos.
  5. 5- Enquanto o feijão vai pegando o gosto das carnes, em uma frigideira, com um pouco de óleo (ou gordura do bacon), frite os ovos. Quando a clara começar a ficar firme, com a própria espatula, quebre-os. Teremos ovos mexidos, mas com pedaços de clara e gemas separados. Tempere com um pouco de sal.
  6. 6- Acrescente os ovos à mistura do feijão, teste o sal. Se for necessário, acrescente mais sal e pimenta, à seu gosto (eu adoro colocar pimenta dedo de moça picadinha também).
  7. 7- Por último, acrescentar a farinha e o cheiro verde.
  8. Servir imediatamente.
Notes
  1. Como falei, o feijão tropeiro pode ser um prato único. Mas sempre sirvo com acompanhamento. O mais perfeito para o feijão tropeiro, para mim, é uma couve bem fininha, refogada com alho, um ovo frito com gema mole e arroz branco.
  2. Bom apetite!!!
Adapted from Letícia Villela
Adapted from Letícia Villela
Memórias Gastronômicas http://memoriasgastronomicas.com.br/
 Bom apetite!!!

 

 

 

Cenoura e beterraba, cores vibrantes e sabor impressionante!

Minha cozinha está nas mãos do que está disponível em  uma horta de orgânicos Isto é muito novo pra mim! Já faz tempo que tinha um planejamento no mínimo semanal. Quer saber? Eu gosto assim, também! 

Aliás, planejamento na cozinha é herança de família. Segunda-feira virado. Quintas e domingos tínhamos macarrão. Peixe às sextas.  Terças e sábados abertos à criatividade da mamãe rsrs. Planejamento faz com que gastemos menos nas idas ao supermercado! 

Minha família vive na cidade grande há 3 gerações. Sempre tive tudo o que inventei cozinhar à mão. Mas como faziam as mulheres que viviam nas chácaras, sítios e fazendas há 30 ou 40 anos? Conforme relatos do povo daqui de Tietê, se comia o que se tinha disponível. Então, com essa nova realidade, comecei a usar toda a minha capacidade criativa, o que fez e faz bem à beça pro meu cérebro rsrs! 

Então com as cenouras pequeninas, mas bonitinhas demais e beterrabinhas tchucas fiz esse assado vegetariano ( assando legumes de novo! Mas fica tão bom que tenho que repetir rsrs) que além de lindo, ficou uma delícia! 

E pra dizer que não falei das eleições… nada mudou, e mudanças urgem no governo brasileiro! Estou apreensiva! Mas se a maioria escolheu que assim seja, democracia é isso! E amo viver em um país democrático!Tomara que ela nos surpreenda positivamente! Pelo nosso bem, pelo bem do Brasil!

Enfim,  gostei muuuito deste assado, espero que vocês curtam também! Beijos

Cenouras e beterrabas assadas.
Print
Ingredients
  1. 500 g de cenouras de preferência orgânicas
  2. 500 g de beterrabas de preferência orgânicas
  3. 3 colheres de sopa de azeite de oliva extra virgem
  4. 1 colher de sopa de aceto balsâmico
  5. 5 folhinhas de sálvia bem picadinha
  6. 2 dente de alho picados
  7. sal a gosto
Instructions
  1. Se forem orgânicas corte as cenouras e beterrabas em pedaços pequenos com casca. Em uma assadeira misture bem todos os ingredientes e leve ao forno preaquecido a 200°. Asse até os legumes ficarem macios por volta de 20 minutos.
Notes
  1. Já temos disponível sal com sálvia ou sal com aipo. Pode substituir o sal normal e a erva fresca, fica uma delícia também. Além de acompanhar uma salada de folhas, pode e deve acompanhar carnes, peixes e aves!
  2. Ah, como foi um maço de cenouras e um maço de beterrabas, este peso é aproximado, pode considerar umas 3 cenouras/ beterrabas grandes ou 5 médias ou 6 pequenas.
Memórias Gastronômicas http://memoriasgastronomicas.com.br/

Banana e aveia, versão bolo. Pra ajudar a acordar no horário verão!

   Cada dia que passa, encontro mais frutas, legumes e verduras orgânicos e o que melhor, com preços menores! É isso aí gente, comprando mais, produzirão mais e os preços diminuirão ainda mais! Esse bolo foi feito com 6 bananas orgânicas compradas em um supermercado bem careiro de São Paulo, a menos de R$5,00! 

  Vocês já pararam pra pensar o que o nosso consumo de orgânicos gera? Pequenos produtores trabalhando a terra e cuidando do planeta, saúde para os lavradores sem o uso dos agrotóxicos, nossa saúde e da nossa família. Os grandes produtores vendendo menos, podem parar pra pensar e começar a tomar atitudes visando o bem estar das pessoas e do planeta, e não só no lucro!

  Mudar não é fácil, requer persistência! Primeiro mudamos a maneira de pensar e depois os nossos atos. E como é difícil sair da zona de conforto! 

  Então, força na peruca e bora consumir mais orgânicos, fazer mais exercícios e ser mais leve, levando a vida com mais humor 🙂 !

  E pra ajudar a dar mais energia nos primeiros dias de horário de verão, um outro jeito de comer banana com aveia, um bolo facilíssimo, como sempre. E fica com uma casquinha por causa da farinha de mandioca, deliciosa! Um cheirinho de bolo de banana feito em casa, acorda até sonambulo rsrs!

 Bom apetite!

Bolo de banana e aveia
Print
Ingredients
  1. 6 bananas orgânicas maduras cortadas em cubos
  2. 1/2 xícara de óleo de girassol
  3. 3/4 de xícara de açúcar orgânico
  4. 2 ovos caipiras
  5. 1 xícara de aveia em flocos
  6. 1 xícara de farinha de mandioca
  7. 1 colher de chá de canela
  8. 1 colher de chá de bicarbonato de sódio
Instructions
  1. Bater no liquidificador os ovos, óleo e açúcar, reserve. Misturar a banana e a canela, reserve. Misture a aveia, farinha de mandioca e bicarbonato, reserve. Misture as 3 partes delicadamente. Asse em forno preaquecido a 180º.
Notes
  1. Pode usar a aveia em flocos ou flocos finos, vai de gosto rsrs. Pode substituir o açúcar por 1/2 de açúcar fit ( açúcar demerara + stevia) assim fica menos calórico. Se a banana form beemm doce, diminua o açúcar, ficará mais saudável ainda!
Memórias Gastronômicas http://memoriasgastronomicas.com.br/

Rabanete orgânico e um molho de salada de amêndoas.

Aqui em Tietê um rapaz de 30 e poucos anos tem uma horta e está tentando o certificado de orgânico.  Já existe outro produtor certificado na cidade, mas ele já vende pra uma rede de supermercados em São Paulo. Claro que eu fui umas das primeiras a virar cliente e sair divulgando pra dar uma força. 

E hoje, em uma das minhas vistas, me ofereceu os lindos rabanetes da foto, poderia dar de presente, não? Mas vou confessar, acho os danados picantes demais! E sai da horta que é bem grandinha, com uma alface americana, uma rúcula , rabanetes ( só compro o que vou usar no dia, não tenho estoque de quase nada em casa) e sem meus ovos caipiras, as galinhas ou andam estressadas ou o lagarto está comendo todos rs! Isto acontece quando o processo é totalmente natural!

rabanete assado

Com este calor totalmente fora de propósito, só uma salada salva rs! Mas,  se a rúcula já é bem amarga e picante,  o que fazer com os rabanetes? E pesquisando, descobri que podemos assá-los. Gente, não é que ficou bem suave!

Rabanete é  fonte de vitamina C, contém uma boa quantidade de potássio,  sódio  e magnésio. Poderoso, não é? Então se você, como eu não usa muito o rabanete, asse: disponha em uma assadeira cortados em quatro, com casca, uma pitada de sal, folhinhas de sálvia, dois dedinhos de vinagre de maçã e um fiozinho de azeite. Asse por 45 

minutos. Pronto. Assim, vc pode usá-lo na salada ou em acompanhando uma carne ou até mesmo servi-lo como aperitivo! 

 

E pra não dizer que não deixei nenhuma receita, ai vai a do molho especial de salada.

Molho de salada de amendôas
Print
Ingredients
  1. 50 g de amêndoas em lâminas
  2. Suco de um limão
  3. 1 cebola pequena em cubos
  4. 3 colheres de sopa de azeite de oliva extravirgem
  5. Sal.
Instructions
  1. Em uma frigideira, coloque as amêndoas e o azeite e acenda o fogo mais baixo que tiver no fogão e fique de olho, porque quando começar a "soltar" um aroma de amêndoa mais forte desligue e tire imediatamente do fogo e do fogão. Misture o azeite com as amêndoas, suco de limão, cebola e tempere com sal. Tempere toda a salada ou deixe que cada um sirva na sua porção de salada.
Notes
  1. Eu não gosto da acidez da cebola, fica meio indigesta, por isso faço um branqueamento,assim:.
  2. Ferva água. Enquanto isso, coloque outro tanto de água gelada em um refratário ou assadeira. Quando a água da panela estiver borbulhando, jogue sobre a cebola cortada, passe-a em água corrente potável e coloque-as no refratário com água fria até resfriarem (isso evita que continuem cozinhando e assim continuem crocantes) .
Memórias Gastronômicas http://memoriasgastronomicas.com.br/
Espero que gostem e que o calorzão vá embora e só volte no verão rs! Bjs

Uma abóbora, muitas emoções!

Daí você compra uma abóbora kabocha ( fala-se cabotiá, mas como vem de uma palavra japonesa, escreve-se kabocha, viu, memórias, também é cultura rs!) e com seus 1,3 kg tem muito material para uma cozinheira pra dois! Coloquei a laranja na foto pra dar ideia de proporção!

Tudo isso porque me deu uma vontade de comer abóbora refogada com alecrim. Vc já comeu? Com abóbora kabocha? Hummm. Ai vai a receita: cortei a abóbora na metade, depois de higienizá-la. Descasquei ( reservei a casca)  e cortei em cubos grandes,  bem parecidos de tamanho para cozinharem por igual.  Piquei 3 dentes de alho em um pouquinho de azeite, deixei apenas por 2 minutos em fogo baixíssimo. Acrescentei a abóbora, um pouco de sal, pimenta e as folhas de um galhinho de alecrim fresco. Refoguei mexendo sempre, acrescentando uma xícara de café de água ( se tiver algum caldo, fica ainda melhor) até secar e repetindo mais duas vezes até que a abóbora estivesse macia. Ficou sensacional!

E ai sobrou meia abóbora! Já pro forno com casca, sementes e tudo, e também as cascas da primeira metade! Com a “boca” pra baixo, assim o calor se intensifica e assa mais rápido sem ressecar. Espetando o garfo, você percebe que está pronta quando macia. Muito bem. Cozida, as sementes saem com facilidade e com uma colher separe a polpa da casca.  Com a polpa você pode fazer o bolo com coco da foto aqui embaixo. Esse tem chocolate, mas não tem a menor necessidade, foi simplesmente para agradar o marido chocólatra.  

Mas, sobrou mais purê e as cascas. Bem, com o resto da polpa, você pode fazer um  creme de abóbora ( uma xícara de polpa para 500ml de caldo de frango ou legumes,misture bem,  sal, um colher de café de gengibre), mas pode acrescentar  parte da casca ( bata no liquidificador com a polpa e o caldo) que dará um monte de fibras pra sopinha! A outra parte da casca, coma como aperitivo, uma pitada de sal e um fiozinho de azeite, acompanhando uma cerveja, não tem  pra ninguém!

Bolo de Abóbora e Coco
Print
Ingredients
  1. 1 e 1/2 xícaras de flocos de aveia
  2. 1/2 xícara de flocos de amaranto
  3. 3/4 de xícara de purê de abóbora
  4. 1/2 xícara de açúcar fit ( açúcar demerara +stévia)
  5. 3 ovos caipiras
  6. 1/2 xícara de óleo de girassol
  7. 1 colher de sopa de essência de baunilha( sabe fazer em casa? Ensino nas notas abaixo)
  8. 1/4 de xícara de semente de girassol
  9. 1/2 xícara de coco ralado fresco
  10. 1 colher de sobremesa de bicarbonato de sódio
Instructions
  1. Bater no liquidificador os ovos, açúcar fit, óleo, purê, essencia de baunilha. a parte misture bem os flocos,o coco, as sementes e o bicarbonato. Misture bem o liquido e o seco. Leve ao forno preaquecido a 180º por no mínimo 35 minutos, mas depende do seu forno. Esse bolo da foto, para agradar o meu marido, fiz com raspas de chocolate amargo.
Notes
  1. Se você usa essência de baunilha e gostaria de fazê-la em casa ai vai a receita: 1 garrafa de Bacardi Oro e 6 favas de baunilha orgânicas. Coloque as favas dentro da garrafa e feche bem. Use após 24 horas. Dura quase uma eternidade rs! Assim, você terá em casa uma essência de baunilha DE BAUNILHA!
  2. Às vezes, eu processo os flocos pra variar sobre o mesmo tema rs! Se quiser fazer este bolo sem glúten, substitua a aveia por farinha de arroz integral e/ou flocos de quinua.
Memórias Gastronômicas http://memoriasgastronomicas.com.br/
Enfim,  uma abóbora resultando em  uma, duas, três, quatro delícias!

Espero que goste!

Beijo e até a próxima!

bolo de abóbora