Panna cotta, ti voglio tanto bene!

Panna Cotta

Panna CottaNão, não comecei a estudar italiano, nem resolvi colocar em prática “meu vasto” conhecimento da língua… Mas como havia comentado no post anterior,  andei explorando as receitas deste canto do mundo. 

Ô terrinha pra ter comida boa, né? Lá todo mundo (ou toda mãe) faz a melhor comida do mundo. Acho que por isso, identifico-me tão bem com ela. Afinal, minha mãe é a melhor cozinheira do mundo!!!! Já fiz esta declaração, né?!

Bem, voltando ao que interessa, há uns dias, eu e a Patrícia estávamos fazendo um cardápio com receitinhas da nossa memória (depois contamos este causo…) e acabei desenterrando esta receita que amo muito.

Durante boa parte da minha infância, minha mãe fazia panna cotta pra gente.  Não me esqueço da primeira vez: o caramelo escorrendo sobre aquela textura cremosa e o sabor, ái que sabor!!!!Creme de leite puro! Boa demais!!!!  Considero a panna cotta a prima italiana do nosso pudim de leite: receita fácil e que considero das mais deliciosas – lembram da listinha de top 10 das sobremesas? Esta definitivamente faz parte dela! Sei que tem variações ótimas, mas, para mim, panna cotta tem que ser com calda de caramelo… é a melhor!

A receita misteriosa foi nos presenteada pela D. Emília e era a receita especial do restaurante da filha da D. Emília,  em Levanto na Itália… segredo de estado na época!

Anos depois, tive oportunidade de ir ao restaurante Oasi e provar a receita original! Lá, todos os pratos eram maravilhosos (de comer de joelhos mesmo), mas a panna cotta, talvez até por toda a carga emocional, posso dizer que era divina!!!!

Bem, chega de trelelé e vamos à receita!

Receita da Panna Cotta da Luizella do Restaurante Oasi

– 1 litro de creme de leite (eu prefiro usar o fresco, mas pode ser o de caixinha)

– 170g de açúcar

– 250 ml de leite

– 2 colheres de chá de baunilha (ou um fava que vai deixar uns pontinhos pretos que eu amo!)

– 5 folhas de gelatina incolor colocardas em um pouco de água fria para amolecer

Para a calda:  – 250g açúcar

Modo de Preparo:

Levar o creme de leite, o leite,  o açúcar e a baunilha ao fogo para esquentar. Antes de levantar fervura, escorra a água  da gelatina e acrescente-a à mistura até derreter por completo (lembre-se que qualquer preparo com gelatina não pode ferver). Reservar.

Fazer um caramelo com o açúcar, levando-o ao fogo baixo até derrter e obter a cor marrom de caramelo. Cuidado para não queimar, pois fica com um sabor amargo. Se já estiver com a cor, mas ainda tenha açúcar sem derreter, acrescentar um pouquinho de água.

Pegar uma forma com furo no meio (própria de pudim), ou se preferir fazer porções individuais – eu utilizei forminhas de brioche, mas acho que ficou com pouco creme, precisava de uma maior, para sentir melhor o sabor do creme (o caramelo sobressaiu)… mas ficou tão bonitinha!!!!

Espalhar o caramelo nesta forma, cobrindo-a toda (outra nota: o caramelo vai endurecer, não tem problema. É assim mesmo!). E depois despejar o creme. Levar à geladeira por pelo menos 2 horas. Desenformar, passando uma faquinha cuidadosamente em volta. Está pronto!

E se você estiver querendo entrar no clima da itália, vale fazer uma pasta fresca para comer antes, que tal?  

Ristorant L’Oasi

 Piazza Cavour, 19015 – Levanto – Itália

“La dolce vita” – um brinde à Itália!

Limoncello

LimoncelloNestes últimos dias, aproveitando o frio, resolvi entrar no clima “La dolce vita”. Acendi a lareira, abri um vinho e comecei a cozinhar. Como tinha alguns limões sicilianos, resolvi fazer uma receita que aprendi há muitpo tempo com a melhor amiga da mamãe, D. Emília, uma italiana queridíssima que é parte da nossa família. E como empolgação pouca é bobagem,  fiz dois tipos: o Limoncello Tradicional e o Creme de Limoncello.

Receita de Limoncello Tradicional

– 600ml de álcool de cereais

– 6 limões sicilianos grandes

– 1 kg de açúcar 

– 500ml de água

 Equipamento necessário: vidro com tampa bem vedada e 2 garrafas com tampa, esterelizados ou fervidos por 8 minutos.

Modo de Preparo:

Parte 1: Descascar os limões, retirando apenas a parte amarela da casca com um descascador de legumes (isso porque a parte branca dá gosto amargo na bebida). Colocar estas cascas em um recipiente de vidro. Acrescentar o álcool de cereais, fechar o recipiente e guardá-lo por uma semana em um lugar escuro (dentro de um armário), agitando-o uma vez por dia, para misturar o conteúdo.

Parte 2: Depois de uma semana, fazer uma calda em ponto de fio com a água e açúcar. Deixar amornar. Coar o líquido que estava macerando com o limão e misturar a calda a este líquido. Transferir esta mistura para garrafas limpas (esterelizadas ou fervidas em panela com água), fechar e levar à geladeira por uma semana. Após este período, está pronto para consumo.

Receita de Creme de Limoncello

– 500ml de álcool de cereais

– 500ml de creme de leite fresco

– 500ml de leite integral

– 8 limões sicilianos

– 1 fava de baunilha

– 1 kg de açúcar 

 Equipamento necessário: vidro com tampa bem vedada e 2 garrafas com tampa, esterelizados ou fervidos por 8 minutos.

Modo de Preparo:

Parte 1: idem receita anterior.

Parte 2: Depois de uma semana, levar o creme de leite, leite, o açúcar e a fava de baunilha ao fogo. Quando levantar a fervura, desligar e reservar. Coar o líquido que estava macerando com o limão e misturar o creme ao líquido. Transferí-lo para garrafas limpas (esterelizadas ou fervidas em panela com água), fechar e levar à geladeira por uma semana. Após este período está pronto para consumo.

O espírito da “mama” baixou em mim!

Domingão. Dia de ficar estirada na cama sem fazer nada. ERRADO!

Pelo menos para mim. Claro que fiquei na cama até as 10 da manhã. Mas quando me levantei, algo me empurrou logo para a despensa para ver se eu tinha suficiente farinha 00 para preparar pasta fresca! An??? Preparar pasta num domingo from scratch? Deveria estar louca, ou influenciada pelo artigo que vi sobre o Eataly (uma espécia de mercado italiano com cervejaria, rotisseria, salumeria, padaria, pizzeria, carne, peixe, pasta… Claro que na Itália, EUA e Japão. Quem sabe um dia…).

Mas, enfim. Me deu aquela vontade de ouvir Ornella Vanoni cantando L’appuntamento e amassar meio quilo de farinha e ovos para depois se transformar em lindos e dourados fios de pasta italiana!

E lá fui eu. Mas nem conto que antes fui ao mercado comprar ovos e tomates orgânicos pois queria fazer um molho de tomates frescos mornos e muito azeite extra virgem e manjericão!

Bem… de volta a casa ao meio-dia, me puz um avental e a amasar a deliciosa mistura de ovos e farinha! E preparar o mais fácil e delicioso molho de tomate para satisfazer ao espírito da mama que havia baixado por aqui!

Pasta Fresca (Receta Básica) Serve 4 como prato principal


600 gr de farinha de trigo 00 (se você não encontrar pode usar farinha de trigo comum)

12 gemas de ovo (ou pode substituir por 6 ovos inteiros – as gemas deixam a massa mas suave e amarela. Eu prefiro)

1 colher de chá de sal

Misture a farinha com o sal. Coloque a misture sobre uma bancada ou uma tigela e faça um buraco no meio. Quebre os ovos. Com um garfo, bata os ovos e vá cuidadosamente misturando com a farinha sem deixar que o líquido escape. Então comece a parte boa que é usar suas maãoes para misturar e sovar a massa. Sove até que obtenha uma massa suave e elástica. Faça uma bola, cubra com clingfilm e deixe descansar na geladeira por meia hora.

Ai você pode preparar o molho de sua preferência. Para esta massa eu usei tomates frescos sem pele e sem semente, cebola, alho e majericão. Tudo num refogado rapidíssimo, sem deixar o tomate cozinhar demais. E por cima coloquei cubos de mozzarella fresca a pedido de meu pequeno.

Após o descanso da massa e após abrir uma garrafa de vinho (no meu caso, um Brunello MARAVILHOSO!) comece a esticar a massa. Se você não tem uma máquina, não se preocupe. Fortaleça os seus braços esticando a massa com um rolo de macarrão o mais fino que puder. Depois dê a forma que quiser. O importante é “ser feliz e se divertir” (assim fala meu filhote!). Eu usei a máquina para preparar tagliatelle. E você também poderá fazê-lo cortando a suas tiras de massa com uma faca. Crie, invente e aproveite! Deixe a massa secando por uns 30 minutos. Isto é muito importante para que não grude e não fique empapada. Você pode usar um varal para massas ou deixa-la repousar sobre uma bancada ou assadeira polvilhada com semolina. Mas cuidado para não sobrepor as tiras de massas senão elas grudarão umas nas outras.

Coloque uma panela com abundante água para ferver. Eu uso a proporcão de 1 litro de água por cada 100gr de pasta a cozinhar e 1/2 colher de sopa de sal. A pasta tem que se mover livremente dentro da panela para que cozinhe uniforme e não grude. Cozinhe por apenas 3 minutos. Lembre-se: sua pasta está fresquisima. Assim estará al dente . Ao escorrer a pasta aproveite um pouco da água de sua cocção para dar sabor e e para que não seque e grude. Sirva com o molho de sua preferência.

P.S. Como não poderiam faltar, umas deliciosas e frescas alcachofras com vinagreta foram nossa entrada! Buon appetito!