Opções leves para ceia, também é preciso!

Fiquei num tal de publico ou não publico esta foto. Mas para o bem de quem precisa de opções leves para a ceia, decidi publicar.

Mamãe não anda bem, então resolvi  fazer peixe no domingo porque auxilia a memória, aliás foi um pedido da tia Mélia preocupada com sua irmã mais velha. Naquele domingo, fui à feira em São Paulo, com certeza um passeio delicioso.  Eram tantas cores e cheiros que me empolguei comprei peixe, camarão e muito mais.

O resultado foi um peixe feinho, mas delicioso no forno, farofa de cenoura e camarão e batata sauté versão light.  Então, entre um “hum que delícia e hum ficou muito bom”, pensei que estas poderiam ser opções de pratos leves para oferecer entre os quitutes do Natal, afinal ultimamente muita gente está de dieta ou tem restrição de lactose, glúten, gordura que se beneficiaria com estas receitas.

Minha irmã de  novo na produção da foto tentou disfarçar o peixinho feio rsrs! Aqui vai como o fiz: cebola e tomate em rodelas fazendo a cama para os filés de pescada temperados com sal, pimenta e regados de suco de limão em um refratário. Cobri com papel alumínio. Forno 15 minutos e voilá!

 Eles são fáceis, práticos e baratos e dá pra somá-los às delícias que já estão no cardápio natalino!

Natal tem que ter gosto de Natal, mas pra quem não pode ou não deve dá pra ser feliz com pratos como estes, também!

Caraca, na semana que vem já é Natal! Então, até lá!

Beijos 

Farofa de cenoura e camarão, batata sauté versão leve
Print
Ingredients
  1. Para a batata sauté
  2. 1 e 12 kg de batatas cozidas cortadas em cubos
  3. 1 xícara de salsinha picada
  4. 3 colheres de sopa de azeite de oliva extra virgem
  5. sal a gosto
  6. Para a farofa
  7. 200 gramas de camarões limpos pequenos
  8. 2 tomates picados sem pele e sem sementes
  9. 2 xícaras de farinha de mandioca
  10. 3 cenouras médias raladas ( 1 e 1/2 xícaras bem servidas)
  11. 1 cebola média em cubos
  12. cebolinha a gosto
  13. orégano fresco a gosto
  14. 1 pimenta dedo de moça sem semente picada
  15. 3 colheres de sopa de azeite de oliva extra virgem
Instructions
  1. Para a batata
  2. Em fogo bem baixo, em uma frigideira coloque o azeite, a salsa e a batata e refogue até a salsinha envola toda a batata, tempere com sal. Finalize com um fio de azeite.
  3. Para a farofa
  4. Refogue a cebola, azeite, tomate, pimenta. Acrescente a cenoura refogue por 2 minutos. Acrescente a cebolinha e o orégano. Acrescente o camarão, refogue por uns 5 minutos. salgue. Quando os camarões estiverem macios, acrescente a farinha. Envolva todos os ingredientes, refogue por 2 minutos e pronto!Se tiver e gostar sirva com um fio de azeite de dendê.
Notes
  1. As quantidades não são exatas, você pode e deve abusar das ervas e pimentas, se for do paladar da maioria! Bom apetite!
Memórias Gastronômicas http://memoriasgastronomicas.com.br/

Torta com massa de semente de girassol sem lactose e sem glúten, claro!

Visitamos ( Letícia e eu) a padaria Lilóri em São Paulo, especializada em produtos sem lactose, glúten e soja . Lugar aconchegante e  tudo muito gostoso.  Sai de lá cheia de ideias. 

No início da minha incursão pela culinária saudável profissional, foquei em alimentos sem glúten, testei muitas receitas e fiz vários cursos . E neste mundo das restrições, a busca pela textura, vai além do sabor.  Fui atrás de TODAS as farinhas sem glúten existentes no mercado: farinha de arroz, de amaranto, de grão de bico,  flocos de quinua, farinha de maracujá, de berinjela e por aí vai. O problema é que o glúten é que torna a massa elástica e claro, fazer um pão sem glúten com a mesma textura do de trigo, quase impossível. Peraí, nada é impossível!Lilóri chega lá!

Tenho uma amiga que faz uma dieta sem glúten, sem lactose e sem açúcar para o seu filho autista. Impressionante como o Juninho melhorou depois de poucos meses de dieta. Nós duas trocamos muitas receitas e principalmente dicas de uso de ingredientes mais fáceis de encontrar aqui no interior. E por isso, comecei a usar  farinha de milho, fubá, farinha de mandioca, o resultado é muito bom. Depois disso, parti para pesquisas mais generalizadas de alimentação saudável. E mesmo assim, num mundo que os cardápios com poucas opções, com pão francês e leite de manhã,  pizza de muçarela  no almoço e esfiha no jantar, conhecer opções sem glúten e sem lactose abre horizontes,  inclui sabores e nutrientes importantes.

 A semente de girassol é um ingrediente que vivo testando. Possui alto teor de vitamina B, é rica em gorduras poli-insaturadas (ômegas 3 e 6) e também contém vitaminas E e A. São fontes de cálcio, fósforo, potássio e magnésio.E além disso, fácil de achar!  E essa torta? Ficou ótima! Macia por dentro e crocante por fora. Sobremesa perfeita para uma visita vegana rs! Rápida e agrada a todos os paladares! 

Espero que gostem, como eu ! Beijo e até a semana!

 

 

 

Torta de massa de semente de girassol
Print
Ingredients
  1. 1 xícara de semente de girassol descascada
  2. 1 colher sopa de azeite de oliva extra virgem
  3. 100g de tofu firme orgânico
  4. 1/2 xícara de açúcar fit ( stévia+demerara)
  5. 6 colheres de sobremesa de geleia orgânica sem açúcar
  6. raspas de limão
Instructions
  1. Leve ao fogo baixíssimo (aquele que a chama fica quase invisível) a semente de girassol e o azeite. Assim que estiver ligeiramente dourado, desligue. Em um processador, depois de frias, processe bem a semente de girassol, até virar uma farinha. Acrescente o tofu e a açúcar fit. Assim que formar uma massa uniforme desligue. Em forminhas de silicone untadas com óleo ou azeite, coloque uma colher de sopa de massa, alise e alinhe. Leve ao forno preaquecido a 180º por aproximadamente 20 minutos. Retire delicadamente a massa e sirva com 1 colher de sopa de geleia e raspas de limão.
Notes
  1. Você pode substituir o açúcar fit por açúcar. A geleia pode ser substituída por qualquer recheio que a sua imaginação permitir ou o que tiver na geladeira rs.
Memórias Gastronômicas http://memoriasgastronomicas.com.br/

Da série sopas, uma da ave que sobrou do almoço do Dia das Mães!

    Muita gente vai almoçar fora no Dia das Mães para tirar a mãe da cozinha. Justo, muito justo! Mas muita gente, assim como eu, não quer enfrentar filas gigantes nos restaurantes de São Paulo. Principalmente quando sua mãe não tem a menor paciência de esperar, como a minha rs! Então, eu fui pra cozinha ( aliás, como sempre rs). Mas,  o ritual em dia de festa é bem diferente, do meu lado sempre tem uma cervejinha gelada e assim fica bem mais divertido! Bom, come-se alucinadamente, e na minha família ( tios, tias, primos) ainda mais, porque nos encontramos no fim da tarde pra comer de novo! Esse é um encontro que mantivemos mesmo sem a presença minha querida vovozinha que morreu há mais de 10 anos! Família festeira é assim mesmo rs!  Foi bom demais, o Lucas voltou comigo pra Tietê, fiquei com ele pertinho mais um pouquinho… Mas e o dia seguinte? Aiaia parece que estamos digerindo um boi rs! Mas sobrou parte do frango, peru, ou chester, eu nem quero ver rs! Então que tal aproveitar a segunda-feira e fazer uma sopinha? Sim, com a parte branca da ave e todos os restos de legumes que vc tiver na geladeira?! Uma receita bem levinha, assim dá pra dar uma pequena desintoxicada ( lembra Lets?) rs! Feliz Dia das Mães atrasado para todas nós! Beijo e prometo que a próxima, não vai ser sopa rs!

 

Sopa de Segunda
Print
Ingredients
  1. Carne desfiada de frango, peru ou chester ( dê preferência para carne branca)
  2. 1,2 litro de água
  3. 1 cenoura pequena cortada em cubos
  4. 1 abobrinha pequena cortada em cubos
  5. 1 chuchu pequeno cortado em cubos
  6. 1 abóbora paulista pequena cortada em cubos
  7. 1/2 xícara de arroz integral
  8. 1 alho-poró picado
  9. Salsinha, cebolinha e orégano fresco a gosto
Instructions
  1. Desfie a carne da ave. Em uma panela, refogue a carne e o alho-poró ( sem azeite ou óleo). Acrescente a água, o sal e o arroz. Depois de levantar fervura, abaixe o fogo, deixe cozinhar por 10 minutos e acrescente os legumes. Cozinhe até os legumes ficarem macios ( 10 minutos mais ou menos) Por fim as ervas.
Notes
  1. Se não tiver alho-poró, troque por cebola. E se não tiver algum dos legumes acima, dobre a quantidade dos que tiver!
Memórias Gastronômicas http://memoriasgastronomicas.com.br/

Esfriou, oba! Um creme de abobrinha com shimeji vai bem!

Viva esfriou! Aqui em Tiete fez 35° até outro dia! Não significa que está frio, apenas que parou de fazer aquele calor insano, o que já  é SENSACIONAL! E assim, já dá pra fazer umas sopinhas, huuummm! Como eu amooo abobrinha, (já deixei claro aqui rsrs), publico esta receita de um creme sem lactose, com as vitaminas B1, B2, B6, C, K, betacaroteno, ácido fólico, cobre, magnésio, fósforo, potássio da abobrinha, carboidratos e fibras do arroz integral e a proteína do shimeji. Sim, um prato perfeito! 

Ela  é uma adaptação de um clássico do cardápio da Dona Antonietta, minha mãe! Já nem me lembro quando foi a primeira vez que provei esse creme de total vanguarda na época,  já que não levava creme de leite ou qualquer derivado de leite. Foi num tempo que mamãe resolveu incrementar as sopas em casa, já que a gente só comia canja e sopa de carne com batatas. Com o de abobrinha vieram o de mandioquinha ( batata baroa), couve-flor e outras deliciosas que já fiz minhas adaptações, é claro rsrs! Prometo dividi-las com vocês em breve!

 O sabor é surpreendente, a cremosidade vem do arroz ,  o shimeji foi acrescido há pouco tempo, afinal esta iguaria não se encontrava em qualquer lugar e para minha alegria, agora compro aqui na minha cidade! Bom, tudo junto fica bom a beça! Prove e aprove , sem falsa modéstia rsrs!  Beijo e até a próxima!

Creme de Abobrinha com shimeji
Print
Ingredients
  1. 500g de abobrinha italiana
  2. 750 ml de água
  3. 1/2 xícara de arroz integral cateto ( pode ser o agulhinha, mas o cateto é melhor!)
  4. 1 dente de alho
  5. 200g de shimeji fresco picado
  6. 1 xícara de café de saquê culinário (opcional)
  7. 1 cebola média cortada em fatias finas
  8. 3 colheres de sopa de azeite de oliva exra vigem
  9. sal a gosto
  10. folhinhas de orégano fresco ( se só tiver o seco, cuidado com a quantidade, pois o sabor é muito mais intenso)
Instructions
  1. Cozinhe a abobrinha, alho, arroz, sal e água. Se usar panela de pressão, quando começar a "apitar", pode desligar. Bata no liquidificador e reserve o creme. A parte, refoge a cebola, o shimeji, o saquê e uma pitada de sal até que fiquem macios, regue com o azeite no final. Acrescente o shimeji ao creme e sirva com com folhinhas de orégano fresco.
Memórias Gastronômicas http://memoriasgastronomicas.com.br/
 
creme de abobrinha com shimeji

Abobrinha não é uma unanimidade. E você gosta?

Eu AMO abobrinha! Meu filho odeia! Meu marido come sem reclamar! Quem ama, como eu não entende a rejeição, afinal  ela possui vitaminas B1, B2, B6, C, K, betacaroteno, ácido fólico, cobre, magnésio, manganês, fósforo e potássio. É  rica em fibras e ajuda  a retardar a fome! Então, não acha que ela é muito injustiçada quando é sinônimo de falar só coisas sem conteúdo rsrs?!Esta receita leve  é  pra comer como aperitivo, mas pode muito bem acompanhar uma carne.

Ingredientes:

500 de abobrinha cortadas em fatias

3 dentes de alho triturados

5 a 6 colheres de sopa de azeite

4 a 5 colheres de sopa de vinagre de vinho branco ou maçã ou arroz

sal e pimenta a gosto ( eu gosto da dedo de moça nesta receita).

Grelhe as abobrinhas em frigideira bem quente sem óleo, de preferência panela antiaderente ( essa parte é chatinha, mas vale a pena o esforço, zero gordura). Reserve. Coloque o azeite e o alho em outra frigideira e ascenda o fogo mais baixo possível ( se usar a pimenta dedo de moça, acrescente bem picadinha neste momento). Doure o alho levemente, reserve até esfriar. Acrescente o vinagre, tempere com sal e pimenta ( se não usou a dedo e prefere outra). Coloque as abobrinhas em uma travessa e despeje o tempero sobre elas ( use um recipiente fundo que as abobrinhas fiquem mergulhadinhas no tempero). Deixe na geladeira e sirva depois de pelo menos 4 horas. Essa uma é uma daquelas receitas pra fazer no sábado e depois ir comendo durante a semana ou oferecer em uma reunião de amigos, o sucesso é garantido!

Boa semana e até a próxima!

Abobrinhas
Print
Ingredients
  1. 500 de abobrinha cortadas em fatias
  2. 3 dentes de alho triturados
  3. 5 a 6 colheres de sopa de azeite
  4. 4 a 5 colheres de sopa de vinagre de vinho branco ou maçã ou arroz
  5. sal e pimenta a gosto ( eu gosto da dedo de moça nesta receita).
Instructions
  1. Grelhe as abobrinhas em frigideira bem quente sem óleo, de preferência panela antiaderente ( essa parte é chatinha, mas vale a pena o esforço, zero gordura). Reserve. Coloque o azeite e o alho em outra frigideira e ascenda o fogo mais baixo possível ( se usar a pimenta dedo de moça, acrescente bem picadinha neste momento). Doure o alho levemente, reserve até esfriar. Acrescente o vinagre, tempere com sal e pimenta ( se não usou a dedo e prefere outra). Coloque as abobrinhas em uma travessa e despeje o tempero sobre elas ( use um recipiente fundo que as abobrinhas fiquem mergulhadinhas no tempero). Deixe na geladeira e sirva depois de pelo menos 4 horas.
Notes
  1. Essa uma é uma daquelas receitas pra fazer no sábado e depois ir comendo durante a semana ou oferecer em uma reunião de amigos, o sucesso é garantido!
Memórias Gastronômicas http://memoriasgastronomicas.com.br/

Bolo de limão bugre facilíssimo, deliciosíssimo, nutritivíssimo!

  • Usar o forno nestes dias quentes é complicadíssimo (chega de supertalivo rsrs)! Evito ao máximo, mas este bolo vale, porque substitui pães, biscoitos e  outros industrializados. Como você pode ver na foto, fica molhado, então pode ser consumido como sobremesa ou no café da manhã, como quiser!Fiz questão de fotografar este limão porque tem muitos nomes, aqui no interior de São Paulo chamamos bugre, e como meu sogro falou, enquanto apanhava no pé ” esse é para tempero”, mas eu sempre atrevida rsrs, uso em todas as receitas! Este bolo é fácil de fazer porque basta bater todos os ingredientes no liquificador e eles são quase todos substituíveis. Vamos à receita:

1/2 xícara de amêndoas

1 xícara de aveia em flocos

1/2 xícara de amaranto em flocos ( pode substituir por quinoa em flocos ou farinha de milho em flocos)

1/4 de xícara de mel ( se quiser deixar mais light, use agave)

1/2 de xícara de açúcar orgânico ( se quiser deixar super light, substitua por açúcar fit, meio stevia e meio açúcar demerara, não dá pra perceber o amarguinho no final por causa do limão, saída incrível, adorei rsrs)

2/3 de xícara de suco de limão bugre ( pode ser qualquer tipo de limão, mas se tiver acesso a esse, vale experimentar o resultado, delícia hum!)

2 ovos

1/4 de xícara de óleo de côco ( é possível substituir, mas vale mantê-lo pelo sabor e teor nutritivo)

1 colher de chá de bicarbonato

Modo de fazer: coloque os ingredientes no liquidificador na ordem da receita, exceto 1/2 xícara de floco de aveia e o bicarbonato. Deixo-o funcionar de 3 a 5 minutos. Desligue e acrescente o restante da aveia e ligue o aparelho por mais 30 segundos, isto para deixar os flocos inteiros, caso não goste, bata a aveia toda de uma vez. Misture o bicarbonato manualmente. Asse em forno pré-aquecido 180 ° por mais ou menos 40 minutos. O bolo é pequeno, aqui em casa dura uns dois dias no máximo (detalhe, somos apenas dois adultos que tentam ao máximo não enfiar o pé na jaca durante a semana para não engordar demais rsrs).

Boa semana!

 

 

Alimentação saudável, um assunto pra discutir e praticar todos os dias rsrs.

panquinha berinjelaNa semana antes do feriado, passei três dias dando palestras e propondo uma reflexão sobre alimentação saudável para cada um que participou.
A maioria tem alguma noção de como se alimentar de maneira saudável, porém a fome e o cansaço faz com que comam o que está mais fácil. Se isso acontecesse de vez em quando, tudo bem,  mas o contrário, a maioria come saudável de vez em quando. Pois é, não tem segredo, o negócio é planejamento, tendo os ingredientes em casa  é possível fazer uma panqueca de berinjela em 10 minutos, como provei durante a palestra ( na foto não parece tão apetitosa, mas garanto que vale a pena!).
Esta receita é sem lactose, se quiser sem glúten, também, basta trocar a farinha de trigo por farinha de arroz ou farinha de milho ou outra de sua preferência, melhor que você tenha na dispensa!

Panquequinha de berinjela

Ingredientes:

1 xícara de farinha de trigo integral
1 xícara de flocos de quinoa
2 ovos
1 xícara de água

2 colheres de sopa de azeite de oliva
1 colher de sopa de tahini ( se não tiver, coloque mais uma colher sopa de azeite de oliva)
sal a gosto
1 berinjela cortadas em rodelas ( não é preciso deixá-la de molho, basta lavar, cortar e ir direto para a frigideira)

Modo de fazer

Bata todos ingredientes no liquidificador, exceto a berinjela.
Coloque duas frigideira no fogo, de  preferência com teflon, assim não será necessário óleo. Em uma, quando estiver bem quente, coloque uma colher de sopa da massa, vire para assar por igual dos dois lados. Repita a operação.
Na outra, grelhe as fatias de berinjela. Sirva cada panqueca com uma fatia de berinjela e se tiver, passe um fina camada de tahini sobre a berinjela. Coma bem quentinha. É leve e gostosa! Experimente!

Pão sem glúten, sem lactose e com muuuuito sabor!

pão sem gluten 2Pelo menos uma vez por mês, escuto um amigo ou conhecido dizer que está com alergia a lactose, glúten, soja ou… Pois é, alimentação saudável é diversificação. Como já levantei essa bandeira aqui, vamos diminuir o que comemos demais e experimentar novos sabores!!! Então, inspirada em uma amiga muito querida que agora deve  evitar alguns dos itens acima, adaptei uma receita que tinha há muito tempo que é simples demais de fazer. Antes de mais nada é bom explicar que este tipo de pão lembra muito mais um bolo salgado do que o pão francês, porque como já mencionei, o glúten do trigo dá a liga pra massa e sem ele a consistência é bem diferente. Esse até que fica bacana ( a foto ficou boa, né?), vamos a receita:

Ingredientes:

3/4 de xícara de fécula de batata

3/4 de xícara de flocos de quinua

120g de tofu firme  ( de preferência orgânico)

2 ovos caipiras

5 colheres de sopa de azeite de oliva

2 colheres de sopa de semente de girassol

2 colheres de sopa de gergelim ( eu usei o preto pra ficar online casino bonito na foto rsrsrs)

1 colher de chá de sal

1 colher de sopa bem cheia de fermento em pó.

Modo de Fazer:

Bata no liquidificador o tofu, azeite, ovos e sal até virar uma maionese ( ops, outra receita, basta acrescentar uma erva e você tem um patê super gostoso). A parte, misture a farinha, flocos,  gergelim, semente de girassol e fermento. Junte as duas misturas, vira uma espécie de pasta coloque em uma assadeira de bolo inglês ou como fiz,  em forminhas para cupcake ( super em moda hoje em dia). Asse em forno pré-aquecido de 180° por aproximadamente 30 minutos ( depende do seu forno) e deleite-se, não sem lactose rsrsrs!

Até a próxima!

 

 

Você conhece bifum, já comeu?

Bifum em chinês significa  ’’massa seca de arroz’. Sabe aquela proposta de usar menos o trigo, então bifum pode substituir o macarrão. Olha que beleza! Existem várias marcas no mercado deste tipo de massa, porém a mais tradicional é a empresa  Bifum, fundada por uma família chinesa há 50 anos. Esse que eu usei nesta receita, chama-se macarrão oriental é bem fininho e cozinha muuuuito rápido. Inclusive, não é para fazê-lo como o tradicional. Basta tirá-lo da embalagem, colocá-lo em um recipiente, cobri-lo com água fervente. Para esta receita deixe por 1 minuto e meio, depois despreze a água.

O bacana é que esta massa tem baixíssimas calorias, e por isso pode ser consumida na segunda-feira, dia internacional da desintoxicação!

Aqui vai a minha receita, mas você pode se lançar e provar novos sabores!!!!

Ingredientes:

1 pacote de bifum/macarSAM_0370rão oriental 200g

1 cebola média picada em cubos

1 xícara de brócolis cortados em florzinhas e os talos em fatias

1 abobrinha italiana pequena cortadas em cubinhos

1 colher de chá de gengibre em pó

1 colher de chá de harissa (mistura de temperos arábe)

1 colher de chá de tempero de limão e ervas (opcional)

sal a gosto

Modo de Preparar

Se você tem uma panela wook , agora é hora de usar! Refogar a cebola em um fiozinho de azeite, acrescente o brócolis, salpique a harissa, depois de 2 minutos acrescente a abobrinha, salpique o gengibre, refogue por mais 2 minutos. Agora é hora de adicionar o bifum, feito como eu expliquei acima, misture todos os ingredientes na panela, o calor vai continuar a cozinhar a massa, então cuidado com o ponto! Finalize salpicando o tempero de limão /ervas e sal.

As ervas, temperos e especiarias dão sabor especial aos pratos, principalmente aqueles que não adicionamos gorduras! Então, o que você está esperando, vá até uma loja especializada da sua cidade e com calma, conheça o mundo de opções!!! Tenho certeza que você vai adorar! Até a próxima!

 

Rápido, gostoso e saudável! Dois vivas para os refogados!

SAM_0365  Segunda-feira, depois que o Lucas foi pra universidade e se mudou pra Bauru , aqui em casa é o dia internacional da desintoxicação. Como todo o fim de semana, “enfiamos o pé na jaca”, segunda o cardápio é SEMPRE levíssimo. Quando não faço uma sopa,  faço um  refogado, ótima opção de prato rápido. Neste tem mandioquinha (batata baroa), couve, cenoura, couve-flor,  repolho e cogumelo portobelo (contém uma quantidade considerável de fósforo, quantidade razoável de proteínas e menos de 5% de gorduras), aliás sempre que puder, use cogumelos em suas receitas é muuuuuuuito saudável! É tão simples e rápido que eu fiz dois refogados, um com os legumes e outro só com o cogumelo, mas você pode fazer um só, apenas acrescentando o cogumelo na primeira receita.

Para o refogado dos legumes:

500g de mandioquinha cortadas em rodelas

2 folhas de couve cortadas em tirinhas

200g de cenoura cortadas em rodelas

200g de couve-flor em florzinha miúdas

uma cebola média corta em fatias

1/4 xícara de vinho branco

150 ml de água

um punhado de salsinha picada

um punhado de cebolinha picada

um raminho de alecrim

sal a gosto

Pimenta do reino moída na hora a gosto

Modo de fazer

Em uma panela refogue a cebola com um fiozinho de azeite, acrescente a mandioquinha, em fogo baixo coloque o vinho e a água. Tampe e deixe secar metade do liquido. Acrescente a cenoura e o couve-flor, refogue por cinco minutos ( se escolheu fazer um refogado só, é hora do cogumelo, também). Acrescente o repolho e a couve por mais dois minutos. Fazendo assim, a mandioquinha fica mais tenra e os demais mais ao dente. Tempere com sal e pimenta.

Para o cogumelo

200g cogumelo portobelo ( pode ser outro, de preferência fresco, se na sua cidade não tem, o cogumelo seco é uma solução, mas precisará mais liquido e tempo de cozimento)

2 dentes de alho

1/4 de xic de água

3 colheres de sopa de molho shoyo ( prefira as marcas que não contenham glutamato e monossódico, fabricado pelo processo natural de fermentação).

Modo de fazer:

Um fiozinho de azeite e o alho refogado ( cuidado, alho queima muito rápido). Acrescente o cogumelo,o shoyo e a água e cozinhe por cinco minutos)

Bem levinho, né? Bom apetite!