Tapioca passo a passo

Tenho ouvido que  muitas pessoa estão trocando o pão pela tapioca no café da manhã, para diminuir o glúten da dieta. A primeira vez que comi tapioca foi em uma viagem à Bahia. Nem pensei em fazê-la em casa! Mas, quando estava definindo o meu segundo cardápio de comida saudável, logo me veio a ideia de incluí-la, mas não deu lá muito certo, porque tapioca gostosa é grelhada e consumida na hora! É engraçado como as pessoas gostam de dificultar o seu preparo . Gente, muito poucas coisas são tão fáceis de fazer na cozinha! E em homenagem às minhas férias na terra do vatapá ( pra não ser redundante rs), aí vai o passo a passo de fazer tapioca, para desfazer as possíveis  dúvidas! Como o polvilho não tem nenhuma fibra, acrescentei gergelim preto e assim você pode substituir pelo pão integral no café da manhã sem prejuízo nutricional! Todo mundo sabe que esta iguaria aceita qualquer recheio, mas com um recheio saudável fica perfeito, como esta pastinha de ricota com alho-poró e folhas verdes!

hidratar

Fase 1

 

peneira
Fase 2

Fase 3

Fase 3

Recipe Card

Tapioca Nutritiva
Print
Ingredients
  1. 500 g de polvilho azedo ou doce
  2. 240 ml de água
  3. 2 colheres de sopa de gergelim preto ( pode ser o branco, mas o preto fica mais bonito rs)
  4. 200g de ricota
  5. 4 colheres de sopa de alho-poró picado
  6. 1 colher de sopa de mostarda dijon
  7. sal a gosto
  8. folhas de alface/ rúcula ou outra folha verde de sua preferência
Instructions
  1. Hidrate o polvilho. Ele formará pedras ( fase 1). Passe por uma peneira ( fase 2). Misture o gergelim ( se sobrar "massa", guarde na geladeira). Coloque no fogo alto do fogão uma frigideira de 22 cm de diâmetro (fase 3). Quando estiver bem quente, coloque 2 colheres de sopa do polvilho hidratado e peneirado com gergelim e depois de alguns segundo vá alisando para deixar a superfície uniforme formado a panquequinha de tapioca. Quando estiver bem firme vire e deixe assar do outro lado por alguns segundos. Antes de fazer a tapioca, bata a ricota, o alho-poró, mostarda e sal no liquidificador. Passe esta pastinha sobre a tapioca, coloque as folhas dobre e sirva.
Memórias Gastronômicas http://memoriasgastronomicas.com.br/

Mais um casamento saudável, torta com salada!

Faz muito tempo que provei este casamento perfeito,  foi no restaurante Gula Gula no Rio Janeiro e se tornou parte do cardápio de casa.  Este prato tem carboidratos, proteína ( recheio da torta é frango) e vitaminas, uma refeição completa. A torta é de liquidificador, simples a beça de fazer, mas o pulo do gato são os ingredientes! A salada é de folhas com lascas de manga – deliciosas nesta época do ano!

Comida saudável é variar o máximo de macronutrientes (proteínas, carboidratos e gorduras) e micronutrientes ( vitaminas e minerais), então como a gente conhece uma infinidade de receitas com farinha de trigo, que tal usar outras farinhas/flocos na hora prepará-las? As possibilidades são quase infinitas: amido de milho, fécula de batata, fécula de mandioca, farinha de milho, fubá, flocos de aveia, de quinoa de amaranto e vai longe! O que acontece é que o trigo contém glúten e ele ajuda a deixar a massa uniforme, não esfarelar! Pra começar, você pode trocar parte da farinha de trigo por outras farinhas, o resultado é surpreendente. Pra começar a mudança, esta receita tem além do trigo integral, outras farinhas, mas se quiser, pode incluir outras que tiver no armário da cozinha, arrisque-se!

Receita da Torta de Frango,  Acelga e Alho-poró.

Para Massa

1 xícara de farinha de trigo integral

1/2 xícara de fécula de batata

1/2 xícara de fubá

1/2 xícara de óleo de milho

1,5 xícaras de caldo frango ( feito no cozimento do peito do frango do recheio)

3 ovos caipiras ( se usar ovos de granjas grandes, pode usar apenas 2)

1 colher de sobremesa de fermento em pó

1 colher de chá de sal

1 colher de chá pimenta da Jamaica (pode trocar por outra de sua preferência)

Para o recheio

10 ou 15 folhas de acelga picadas

1 alho-poró fatiado ( a parte branquinha, as folhas verde use no caldo do frango)

1 peito de frango ( de preferência caipira ou criado no milho)

2 e 1/2 xícaras de água

sal a gosto

1 colher de chá de curry

 

Modo de fazer

Cozinhe o peito de frango com a água, sal e a parte verde escuro do alho-poró .  Frango cozido, desfie e reserve o caldo para a massa. Em uma panela, refogue o alho-poró com um fiozinho de azeite de oliva. Acrescente a acelga, o frango desfiado, tempere com sal e curry. Cozinhe apenas para “murchar” a acelga, misture bemSAM_0355 e reserve.

Bata no liquidificador todos os ingredientes da massa. Em uma assadeira untada, despeje metade da massa coloque o recheio e cubra com o restante da massa. Leve ao forno pré-aquecido 180º por 40 minutos (depende do seu forno).

Sirva com folhas  de alface americana e rúcula, lascas de manga. Tempere com azeite de oliva, aceto balsâmico e sal. Hummm, já me deu fome a essa hora !

 

Arroz e feijão é o mais brasileiro dos pratos e um dos mais saudáveis também! Que tal revisitá-lo?

Arroz com Feijão Releitura

“Hoje tenho o prazer de apresentar a mais nova coluna do nosso Blog: Vida Saudável. Nela, uma grande amiga e parceira profissional de longas datas escreverá receitas e dicas para termos uma alimentação deliciosa e extremamente saudável. O seu desafio será mostrar-nos que comida saudável é saborosa e que podemos incluí-la no nosso dia-a-dia, sem perder o prazer! Arroz com Feijão Releitura

Seja bem-vinda, Valéria Rubio. Como é bom trabalhar com pessoas amigas e do bem! – Letícia Villela”

Todo mundo tem sua preferência na hora de comer este duo maravilhoso, não só em termos de sabor, mas nutricionalmente falando. Uns gostam do feijão com caldo, outros sem, com arroz queimadinho, com farofa, com banana, com laranja, enfim de muitos jeitos. Pena que o brasileiro está abandonando este prato e o trocando pelos industrializados! Para inaugurar a minha participação no blog destas meninas fantásticas, vou dividir uma receita muito saudável que revisita este clássico, fazendo uma homenagem ao arroz com feijão .

Vocês conhecem o feijão azuki? É rico em proteínas, fósforo, cálcio, ferro, potássio, zinco, fibras solúveis e vitaminas do complexo B. Tem uma característica interessante, pois fermenta menos do que os demais tipos de feijão. Além de auxiliar na formação dos ossos, ele é indicado para quem sofre de problemas renais, hipertensão e diabetes. Além disso, o seu sabor é suave perfeito para variar o cardápio.

Substituindo o arroz convencional, o  branco, faço um mix de grãos ( arroz integral, centeio em grão, trigo em grão, aveia, arroz vermelho, quinua) que a quantidade de fibras, vitaminas e minerais não dá pra comparar no caso do arroz branco. Acompanhando couve picadinha refogada e ovo poché. Que tal? Boa ideia, né?

Vamos as receitas:

Receita de Feijão Azuki com Mix Multigrãos, Couve e Ovo Poché

Para o Feijão Azuki:

– 1 xícara de feijão,

– 2,5 xícaras de água,

– 2 dentes de alho,

– 1 folha de louro e sal.

Este feijão cozinha mais rapidamente, este o único cuidado. Pra finalizar, regue o feijão com um fiozinho de azeite de oliva extravirgem hummmm!

Modo de fazer:

Cada um tem uma receita pra fazer feijão, esta é a minha : deixar o feijão de molho por algumas horas. Eliminar a água e cozinhá-lo com temperado com alho, folhas de louro e sal.  Em panela de pressão, 5 minutos depois da pressão, desligar e deixar a pressão naturalmente. Na panela comum, mínimo de 20 minutos. Quanto mais cozinha, mais o caldo engrossa!

Para os grãos:

O mix você pode comprar pronto ou montá-lo, comprando os grãos a granel e misturando a gosto.

– 1 xícara de grãos

– 1/2 de cebola picada

– sal a gosto

Modo de fazer:

Cozinhe os grãos como macarrão, porque cada grão tem um tempo de cozimento, se você esperar secar a água ou um grão poderá ficar duro demais e outro papa. Em uma panela ferva  4 ou 5 vezes a quantidade de água, acrescente meia cebola picada e sal. Quando a água borbulhar, acrescente os grãos, cozinhe em fogo baixo até que estejam macios. Você pode usar a água da fervura para fazer um caldo.

Para couve:

– um maço de couve,

– 2 dentes de alho,

– meia colher de chá de pimenta jalapeño e sal.

Modo de fazer:

Cortar a couve em fatias finas. Ferver duas xícaras de água, em um recipiente coloque a couve e regue a água quente sobre ela. Deixe por alguns minutos e descarte a água. Temperar com pimenta e sal. Em uma panela refogue 2 dentes de alho em azeite de oliva extravirgem ( um pouco mais que uma colher de chá), acrescentar o couve misturar bem e refogar por 2 ou 3 minutos.

Para o Ovo poché:

Pra quem não tem o acessório culinário, ensinarei uma solução caseira. Cubra um prato fundo com uma quantidade de filme plástico que deixe uma pequena parte para fora. Unte com azeite de oliva extravirgem. Quebre o ovo no centro do prato e com as pontas do plástico, faça uma trouxinha. Em uma panela ferva uma quantidade de água tal para cobrir a trouxinha, adicione sal, quando estiver borbulhando, mergulhe a trouxinha por 4 minutos (melhor usar um cronômetro) e fique mexendo o tempo todo, por 2 motivos: 1 pra não doer/queimar a mão e pra que a água aqueça o ovo todo! Dá trabalho, mas fica tão gostoso e bonito que vale a pena!

Pronto, uma receita antiga com cara de nova, nutritiva que dá pra manter a forma! Espero que gostem, tenho muitas receitas mais pra compartilhar!

Almoço com gostinho de infância: Lagarto com Creme de Milho

Lagarto com Creme de Milho

Lagarto com Creme de Milho Neste fim de semana, fiz uma receita que há muito tempo não fazia aque em casa, mas que tem cara de fim de semana com crianças.

Lembro-me da mamãe fazendo para a gente. Era sempre um sucesso!

Resgatei esta receita entre umas que o meu tio dava em suas aulas de culinária, na época que não era moda e quase não existia curso de culinária. Ele dava aulas jantares em sua residência. Na época, quase não tínhamos produtos importados no mercado, Ou seja, as receitas eram mais restritas. E assim mesmo, foi lá que conheci muitas coisas que hoje encontramos facilmente no  mercado.

O grupo era pequeno e divertidíssimo. Eu, ainda pequena e muito curiosa, ia para lá com a desculpa de ajudar, mas na verdade aproveitava cada dica dele.

Não sei bem ao certo o que veio primeiro, a aula ou a tradição de fazê-la em nossa casa, nem de onde surgiu a receita, mas o importante é que é sucesso garantido.

Receita de Lagarto com Muçarela e Creme de Milho (Lagarto Nobre) – Baseada em receita de Ronaldor com pequenas alterações:

– 1 peça de lagarto inteira e limpa

– alho, sal, cebola, pimenta do reino para temperar e marinar a carne

– 2 xícaras de vinho branco para a marinada

– água o quanto baste para cozinhar a carne

– 500g de muçarela fatiada

– 400g de milho verde congelado ou em lata (2 latas)

– 2 latas de creme de leite (ou 600g de creme de leite fresco)

– 200ml de leite

– 2 col. (sopa) de maizena

– noz moscada, sal e pimenta do reino a gosto para temperar creme

 

Modo de Preparo:

1- Marinar a carne com os temperos e vinho (calcular cerca de 1 col rasa de sopa para cada quilo de carne). Deixar marinar por pelo menos 2 horas.

2- Esquentar o óleo na panela de pressão. Selar (fritar até dourar) a carne. Acrescentar água e a marinada para cozinhá-la em panela de pressão por cerca de 1 hora. Desligar e retirar a carne do caldo.

3- Fatiar a peça de carne finamente, se possíve com uma faca elétrica, sem cortá-la até o final.

4- Colocar o lagarto em um pirex. Cobrir cada fatia de carne com uma fatia pequena de muçarela. Reservar.

5- Para fazer o molho, bater o milho no liquidificador com o caldo da carne. Refogá-lo e adicionar o leite. Se estiver muito líquido acrescentar um pouco de maizena diluída em um pouco do creme. Desligar e acrescentar o creme de leite e ajustar o tempero.

Lagarto como fazer6- Despejar o creme sobre o lagarto e levar ao forno pré-aquecido a 210 graus até levantar fervura. Sevir imediatamente.

Nota: esta receita rende bastante, servindo cerca de 12 pessoas, dependendo do tamanho do lagarto. Se preferir, separe em porções menores.

Bom apetit!

Dica de menu fácil e delicioso

frango com tangerina

frango com tangerina Uma coisa que tem me dado muito prazer ultimamente é juntar um grupo de amigos que estão a fim de cozinhar e dividir o pouco que conheço deste universo.

São sempre encontro super agradáveis e saborosos!!!!

Este último foi uma turma que queria aprender o be-a-bá, mas com um toque especial. Apelidamos o grupo do “Adeus ao caldo Knorr” – nada contra, mas dá pra evitar, né?

Receitas práticas e gostosas. Então, aproveitei algumas receita que já havia feito para o blog e outras novas… Faça você também!

Saladinha de cenoura e cominho: esta receita está aqui no blog 

Frango ao molho de Tangerinas. (serve de 4 pessoas) 

 – 4 Filés de frango partidos em escalopes.
– 2 xícaras de suco de tangerina

– 1 colher (sopa) de farinha de trigo

– 1 dente de alho espremido

– 1 colher de chá de páprica

– 1 colher de sopa de sálvia seca

– raspinhas da casca de 2 tangerinas

– sal e pimenta à gosto

– 8 gomos de tangerina para enfeitar

Modo de Preparo:

1- Temperar o frango com alho, sal, pimenta e sálvia. Deixar marinar por 15 minutos.

2- Dourar o frango em panela com óleo quente. Acrescentar a farinha de trigo, o suco de tangerina e demais ingredientes (exceto raspas e gomos). Deixar levantar fervura e encorpar o caldo. Acrescentar as raspas e gomos e servir imediatamente.


Batatas gratinadas ao forno (serve 4 pessoas)

 – 4 batatas médias

– 2 colheres de manteiga ou 6 colheres de azeite

– ramos de alecrim ou sálvia

– Sal grosso e pimenta do reino

 Modo de Preparo:

1- Descascar as batatas e partí-las em rodelas finas. Cozinhá-las rapidamente para ficarem ao dente. Dar um choque em água gelada para cessar cozimento e escorrê-las.

2- Em um tabuleiro untado com a manteiga ou azeite,  dispor as batatas e regá-las com manteiga ou azeite também.

3- Salpicar sal e pimenta do reino e assar em forno médio, virando-as de lado até dourarem.

 

Arroz com amêndoas (serve 4 pessoas)

– 2 xícaras de arroz

– 4 xícaras de água morna

– ¾ xícara de amêndoas em lâminas

– 2 dentes de alho espremido

– ¼ de cebola média picada miúda

– 1 colher (chá) sal

– fio de azeite ou 2 colheres de manteiga – opcional

 Modo de Preparo:

1-      Em uma panela com o óleo, em fogo médio, refogar a cebola até ficar ficar transparente. Acrescentar o alho, sal e a água. Quando levantar fervura, acrescentar o arroz. Abaixar o fogo, tampar parcialmente a panela e deixar cozinhar até secar. Provar e verificar tempero e textura. Se necessário, acrescentar mais água.

2-      Desligar a panela. Em uma frigideira com azeite (ou manteiga), refogar as amêndoas e acrescentar o arroz – Se não quiser acrescentar a manteiga, apenas tostar rapidamente as amêndoas e acrescentar o arroz). Misturar e servir imediatamente.

Bolo de Cenoura com mix de castanhas – também está aqui no blog. Confira!

Extra! Extra! Olha o Memórias aí, gente!!!

steak tatar

steak tatarPessoal,

hoje o dia foi pra lá de especial! Vimos o resultado de alguns dias de trabalho e muita expectativa. Bem, vamos contar a história desde o início!

Eu e a Pati, como apaixonadas por cozinha que somos, sempre navegamos a procura de blogs de culinária legais para acompanhar. Nesta busca, conhecemos o DCPV, o blog, como ele mesmo se denomina, etílio-gastronômico do Edu. Nele, descobrimos que o Edu fazia um projeto mais legal ainda: o InterBlogs!

O InterBlogs se resume ao Edu executar um cardápio de outro blog. Mas tem que ser algo novo, desenvolvido para o projeto. Só blog bacana faz parte deste projeto.

E, há mais de um ano, quando estávamos começando a dar forma ao Memórias Gastronômicas, a gente se candidatou a participar. E não é que deu certo!

Eba! Yup!!!! Tivemos a honra de ser convidadas a fazer o menu deste mês! Delícia demais!

Só para dar um gostinho, a nossa proposta foi composta por receitas que não saem da nossa memória e parece que não vão sair de outras também!

Entrada: Steak Tatar especial

Prato Principal: Lula recheada de couscous

Sobremesa: Mil-folhas de côco com ameixa

Confiram as receitas completas no InterBlog!

O leitão viajante

Leitão recheado

Leitão recheadoIsso daria uma hitória infantil, mas é apenas parte da semana de comemoração do meu aniversário. É que resolvemos fazer um almocinho de mineiro. Sabe daqueles de por na mesa e quem chegar, chegou e você passa o dia todocozinhando, comendo e bebendo pois ninguém é de ferro… Foi isso que fizemos no meu aniversário, mas com um toque especial. Uma receita maravilhosa da minha mãe.

Como já disse, ela é minha super inspiração e a melhor professora que tenho, pois me ensinou o que acredito ser o mais importante na cozinha: cozinhar é um ato de amor e tudo feito com amor é especial.

Bem, puxação de saco à parte, vamos voltar ao assunto principal deste post. Resolvemos fazer um leitão, mas não é um leitão à pururuca como se come normalmente, este leitão é um leitão de leite (bem miudinho) e é desossado e recheado. Então fica praticamente uma terrine… todo mundo que come fica surpreso com a leveza e delicadeza do prato (acho que é porque sempre se lembram daqueles pratos pesados…)

É daqueles pratos que você come e quer repetir. Não preciso nem falar que não sobrou nem um pedacinho para contar a história.

Vamos à receita!

Leitão recheado à pururuca à moda de D. Eloíza

– 1 leitão de leite (cerca de 6 quilos) desossado (você pode pedir ao seu açougueiro para fazê-lo deixando apenas as patinhas e a cabeça) – a minha mãe trouxe este de Minas, pois o açougueiro já conhece como ela gosta…

– 300g de presunto

– 600g de lombo

– 600g de linguiça de pernil

– 200g de alcaparras

– 100ml cachaça

– 1l de vinho branco

– 2 colheres de sopa de azeite de oliva

– 40g de alho (cerca de 7 dentes)

– 4 folhas de hortelã pimenta

– 4 colheres de sopa rasa de sal

– 3 pimenta dedo de moça picadas bem miudinhas (com a semente)

– 1 colher de café de cominho

– suco de 1 limão grande

– pimenta do reino a gosto

– 2 ramos de tomilho, louro e alecrim frescos

– linha e agulha para fechar o leitão

– 2 maçãs pequenas

Modo de preparo:

Para preparar o tempero: colocar no processador ou socador o alho, a pimenta do reino, o cominho, a hortelã-pimenta, o sal e o suco de limão. Triturar. Deste tempero, retire uma colher de sopa e reserve para o recheio. O restante será utilizado no leitão. Pegar a cachaça e mistrurar 80ml no tempero do leitão e os outros 20ml no tempero do recheio.

Para o leitão: Pegar o leitão já desossado e lavá-lo bem em água corrente.  Passar o tempero sobre toda a sua carne (parte interna) espalhando bem. Deixar neste tempero, dentro da geladeira por no mínimo 2 horas.

Para o recheiro: Cortar (ou processar) o lombo e o presunto bem miudinho. Pegar a linguiça, retirar toda a sua pele e misturá-la às demais carnes.  Colocar o tempero que estava reservado, acrescentar as pimentas dedo de moça já picadas miudinhas, as alcaparras (sem o líquido). Misturar tudo.

Rechear o leitão preenchendo todos os espaços onde havia ossos com a mistura. A barriga deve ter bastante recheio, mas não pode ficar estufada, pois corre-se o risco de romper durante o cozimento. Após rechear, fechar a barriga do leitão costurando cuidadosamente.

Colocá-lo é um tabuleiro já na posição  de servir, protejer online casino as orelhas e o rabo com um pedaço de papel alumínio (parte brilhante virada para fora), espalhar os raminhos de ervas frescas embaixo e nas laterais do leitão. Colocar uma das maçãs na boca. Untar o couro da parte superior do leitão com o azeite e colocar 2 copos do vinho branco no fundo da assadeira. Fechar com papel alumínio e levar para assar em forno pré-aquecido a 210 graus.

Depois de 2 horas, tirá-lo do fogo, verificar se o vinho diminuiu muito, regar toda o leitão com este caldo e acrescentar mais um pouco de vinho e fechá-lo novamente com o papel alumínio. Levar para assar novamente. Após 1 hora, repetir este processo. Nesta fase, tirar o papel alumínio (manter apenas os que cobre orelhas e rabo) e deixá-lo assar por cerca de mais 1 hora.

Depois disso, deixá-la descansando no forno desligado até a hora de servir.  Na hora de servir, pururucar  o couro do leitão (aquecer até aparecer bolhas) com um maçarico – sugiro este processo pois a carne ficará mais leve. Porém, se você não tiver o maçarico, pegue 1 litro de óleo e leve-o ao fogo para aquecer. Para saber o ponto de pururucar, jogue um palito de fósforo dentro o óleo que deverá ascender imediatamante. Isso ocorredo você já pode jogá-lo cuidadosamente, com uma concha sobre o leitão que deverá estar em uma grade sobre um tabuleiro limpo. Esta operação deve ser feita com muito cuidado para evitar acidentes.

Na hora de servir, retire a maçã que foi assada na boca do leitão e substitua pela outra fresca, bem vermelhinha.2011 leitão à pururuca 2

Está pronta esta delícia! Eu sirvo sempre com uma saladinha de couve bem fina (ou a couve refogada) e com um acompanhamento adocicado: molho de jabuticaba combina super bem e, desta vez fiz um purê de maçã com maracujá que ficou divino!

Áh! Mais uma dica, na hora de servir, fatiar bem fininho com uma faca super afiada ou com faca elétrica.

Bom apetite!

Fase light… mas com sabor! Gnocchi de ricota e espinafre

Gnocci de Ricota com Espinafre - Receita

Gnocci de Ricota com Espinafre - ReceitaPassei uma semana no Rio. Essa cidade é maravilhosa mesmo! Como é bom ter aqueles dias ensolarados, brisa do mar… é impossível não se animar a dar uma passeada no calçadão, a comer uma comidinha mais saudável…

E para completar tudo isso, minha sogra resolveu me dar de presente uma semaninha de spa urbano, com direito a malhação, massagens e comidinhas maravilhosas planejadas pela Pique o espinafre bem miudinho. Pegue a ricota, de uma espremida com a mão para sair um pouco de soro e misture ao espinafre. Acrescente noz moscada, sal e pimenta do reino (eu pus bastante noz moscada). Molde bolas (como almôndegas) de cerca de 2 – 2,5cm de diâmetro e coloque em forma untada com um pouco de óleo. Com o dedo faça um buraco (um vale na verdade) no centro de cada bolinha, coloque um pedacinho de tomate em cada gnocci, salpique pistache e o queijo ralado. Leve ao forno pré-aquecido em 180 graus. Deixe assar por uns 15 minutos ou até o queijo dar uma leve dourada.

Servir imediatamente. Para cada prato, colocamos ao fundo um pouquinho do molho, por cima cerca de 7 – 8 bolinhas de gnocchi.

Maravilhoso!

Gnocchi della Fortuna

Ontem foi dia 29 e diz a crença que se deve comer gnocchi nesta data para aumentar a sua “fortuna”.

E eu adoraria estar em São Paulo para comer o gnocchi do Zena Caffe, na minha modesta opinião, o melhor que já comi em minha vida feito por alguém que não fosse eu! E olha que as mãos do Chef Carlos Bertolazzi são sagradas para esta tarefa. Apesar que agora devem estar ocupadas entre fraldas, chupetas e mamadeiras com a chegada do pequeno Bertolazzi! Parabéns, papai!

E se você ainda não foi ao Zena, vá. Com toda a certeza sairá de lá satisfeito. Eu estou lejos e a vontade não poderia esperar a minha próxima excursão a terra da garoa.

Então, fui convocada pelo amigo Luis (fui recriminada por chamar meus amigos de “fulano” nos meus posts. Eu só queria preservar a identidade!) e reunimos uma turma para dar uma forcinha a mais a nossa fortuna.

Preparei tudo ao estilo do Zena. Gnocchi e 3 molhos para a escolha do freguês: ragu de vitela, pesto e um espetacular e quase impossível de acreditar tomate aglio i olio.

Antes mesmo de comer as minhas 7 almofadinhas de massa de batatas que se derreteriam na minha boca, olhei ao meu redor e vi a casa cheia de amigos felizes desfrutando de um momento muito espacial. Nem precisei colocar nenhuma nota de dólar, de real ou de pesos mexicanos debaixo do meu prato. A minha fortuna já estava ganha!

Mas confesso que não foi fácil preparar 6 kilos de gnocchi. Principalmente porque este gnocchi é pura batata! A farinha que ponho é só para dar liga, quase nada! E depois as bolinhas de gnocchi, que parecem umas esponjinhas, derretem na boca! Ai! Menos de 24 horas e  já estou com vontade de comer de novo! Falta muito pro próximo dia 29??

Gnocchi de Batata

A receita eu retirei idêntica do site do Bertolazzi. Eu calculei 2 batatas grandes por pessoa.

“Preparar bons gnocchi não é brincadeira, mas é preciso queimar a mão pra valer. Um dos maiores segredos para fazer gnocchi leves e principalmente com gosto de batata é utilizar a batata logo após seu cozimento. Para isso cozinhamos ela com casca e descascamos tão logo estejam prontas. Passamos imediatamente por um espremedor ou passa-verduras e misturamos com a farinha.

A quantidade de farinha a ser utilizada pode variar um pouco mas uma boa regra é separar a massa de batata em quatro partes, retirar uma e preencher com a mesma quantidade de farinha, conforme ilustrado abaixo.

Retorne a batata que foi retirada e misture a massa acrescentando um pouco de sal, pimenta e noz moscada.

Após enrolar e cortar os gnocchi cozinhe-os em bastante água fervendo até que subam à superfície e sirva com o molho de sua preferência.”

Segredinho: caso você tenha que cozinhar muuuuuita batata como eu fiz, não se desespere! Cozinhe toda a sua batata e passe pelo espremedor. Eu ainda passei por uma peneira pois DETESTO grumos no gnocchi. E fui fazendo os gnocchi aos poucos. Vá esquentando o purê no microondas conforme você for utilizando. Assim sua batata estará sempre quente e absorverá menos farinha!