Pode ser mandioquinha, batata baroa ou batata salsa, eu gosto muito e você?

Um monte de verduras, legumes e frutas tem nomes diferentes pelo Brasil a fora! Isso é divertido até um ponto e catastrófico em outros rs! Mas quem já morou em algumas cidades do Brasil como eu, aprende uma variedade de sinônimos interessantes. Aqui em Tietê não adianta procurar escarola, você só encontra chicória. Banana maçã é diferente das que eu conhecia até então, aliás com bananas já me embananei muito na vida rs. Banana nanica em São Paulo é caturra em Curitiba. E por aí vai. Decidi pegar a banana que eu quero e não pedir pelo nome, assim eu como aquela que eu quero rs!

E funcho? Erva doce! E aipo? Salsão! E mimosa? Mexerica ou  tangerina! E  mandioquinha que é batata baroa, batata salsa, os menos avisados acabam não saboreando uma boa receita, se não ficarem ligados! É com ela que eu apresento mais uma salada. Aliás, um prato completo porque vai frango e milho , também.

 

frango korinE por falar em frango, faz tempo que eu não como frango revendido por grandes empresas. Já li tantas matérias e vi tantos vídeos sobre o assunto que não consigo cozinhar este que me parece tudo, menos bicho. Já que eu não como mamíferos, acho uma sacanagem ingerir este monte de veneno que tem nas carnes de aves que vivem confinadas! Enfim, por isso eu pago um pouco mais caro e compro o frango korin. Se achar frango caipira é difícil pra você, Korin é uma opção, pois produz frangos e ovos livres do uso de antibióticos como promotores de crescimento ou de forma terapêutica! Volto a afirmar, a gente aqui não ganha nada divulgando produtos, mas se o produto é bom, porque não compartilhar a informação?!

Então lá vai a minha salada da semana: Mandioquinha, milho e frango! 

É um prato completo, super nutritivo e absolutamente delicioso! Vale a pena experimentar!

Beijo e até a próxima! 

Salada de Mandioquinha, milho e frango.
Print
Ingredients
  1. 500g de mandioquinhas cortadas em pedaços.
  2. 2 espigas de milho cortadas ao meio
  3. 1 sobrecoxa de frango sem pele
  4. 1 cebola em rodelas.
  5. azeite de oliva extra virgem
  6. um ramo alecrim
  7. um punhado de manjericão
  8. um punhado de orégano fresco
  9. pimenta a gosto
  10. sal agosto
Instructions
  1. Cozinhe o frango e o milho juntos em panela de pressão com 2 xícaras de água com sal e as ervas. Depois que começar a pressão desligue depois de 5 minutos. Deixe sair a pressão naturalmente, assim termina o cozimento. Desfie o frango depois de frio. Use a água do cozimento do frango e do milho, e cozinhe a mandioquinha por 5 minutos em panela normal. Ao terminar o cozimento, desligue o fogo e coloque a cebola em fatias. Neste momento a água já evaporou bastante. Corte a mandioquinha em cubos. Misture todos os ingredientes cozido com água também, que nesta altura já virou um caldo e o frango irá absorver. Tempere com azeite de oliva extra virgem, sal e pimenta.
Notes
  1. Essa é outra salada que dispensa grandes temperos, porque os sabores dos ingredientes são bem marcantes.
Memórias Gastronômicas http://memoriasgastronomicas.com.br/

Novo Guia Alimentar da População Brasileira

frutas na banca“O guia é um documento oficial que aborda os princípios e as recomendações de uma alimentação adequada e saudável para a população brasileira, configurando-se como instrumento de apoio às ações de educação alimentar e nutricional no SUS e também em outros setores.  Considerando os múltiplos determinantes das práticas alimentares …, o guia alimentar reforça o compromisso do Ministério da Saúde de contribuir para o desenvolvimento de estratégias para a promoção e a realização do direito humano à alimentação adequada. “ Ok, a linguagem acadêmica é um pouquinho chata, mas se você tiver paciência, vai ler um documento inovador. 

Alimentação Saudável é o assunto que eu mais gosto. Adoro descobrir novos ingredientes e novas preparações para que o organismo absorva o máximo de nutrientes. Através de meus estudos fica cada vez mais claro que diversificar ao máximo, preferir os orgânicos, evitar os industrializados é um caminho mais curto para a saúde. 

Por isso, fiquei tão empolgada com este guia que  traduz tudo que eu prego e faço. É bom que se fale que este é uma atualização do primeiro que foi feito em 2006.

O que eu mais me encantei  foi o fato de estar livre de qualquer influencia das multinacionais, inclusive indicando o afastamento de alimentos por elas produzidos e estimular as pessoas a voltarem a cozinhar,  que na minha opinião deveria ser matéria obrigatória na escolas. 

O documento deixa de lado a nossa pirâmide nutricional tão conhecida e recomenda que a escolha de alimentos nutricionalmente balanceados para compor uma alimentação nutricionalmente balanceada, saborosa e adaptada a cultura de cada um, ao mesmo tempo, ambientalmente sustentável; afinal comida é muito mais que nutrientes!legumes

 Foram consideradas quatro categorias de alimentos, definidas de acordo com o tipo de processamento empregado na sua produção. Alimentos in natura ou minimamente processados exemplos incluem legumes, folhas, frutas, grãos secos, polidos e empacotados ou moídos na forma de farinhas, raízes e tubérculos lavados, cortes de carne resfriados ou congelados e leite pasteurizado. A segunda categoria corresponde a produtos extraídos de alimentos in natura ou diretamente da natureza e usados pelas pessoas para temperar e cozinhar alimentos . Exemplos : óleos, gorduras, açúcar e sal. A terceira categoria corresponde a produtos fabricados essencialmente com a adição de sal ou açúcar a um alimento in natura ou minimamente processado, como legumes em conserva,frutas em calda, queijos e pães. A quarta categoria corresponde a produtos ultraprocessados. Exemplos incluem refrigerantes, biscoitos recheados, “salgadinhos de pacote” e “macarrão instantâneo”.

frutas

A ideia é a base da nossa alimentação sejam os in natura , c onsumemos poucos processados, comedidamente os feitos para temperar e evitar os ultraprocessados. Assim cada um com sua rotina, tipos físicos, culturas, farão, assim, as melhores escolhas para si.

Promove os orgânicos, os cultivos familiares e rejeita o que não é comida: os industrializados muito processados.

Em resumo: Coma comida de verdade, cozinhe mais, compartilhe refeições com pessoas queridas e fique longe dos ultraprocessados  ( repetido para fixar rs). 

Acesse o link abaixo e conheça o guia e leia, se possível. Se este assunto te encanta como a mim, vai adorar!

Até a próxima!

tuberculos

http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2014/11/novo-guia-alimentar-do-ministerio-da-saude-recomenda-alimentos-frescos.html

Nós também temos ghee!

Este é um post a quatro mãos! Essa foto linda foi feita pela Letícia! Fazer o ghee foi uma questão de honra pra nós rsrs!

O ghee é uma manteiga purificada ( como dizem os adeptos da a ayurveda ) que nada mais é que a manteiga sem caseína – proteína do leite. Descobri, estudando para este post, que a manteiga já tem uma quantidade insignificante de lactose.

 Todo mundo conhece alguém com intolerância a lactose/caseína! Minha irmã descobriu depois de muito sofrimento! Então, começou uma vida nova, uma vida sem leite e seus derivados. No caso da Viviane que tomava leite de manhã, comia queijo à tarde e iogurte à noite ( não necessariamente nesta ordem) não foi fácil não! Mas, dá pra viver sem lactose e caseína! E com prazer!

É necessário mudar hábitos! E ter algo pra substituir o que é proibido é um alento! Você pode substituir  qualquer gordura pelo ghee.  A culinária indiana e ayurveda usam muito. Dito “ouro do leite”,  ele é nutritivo (calórico), antioxidante (rejuvenescedor), elimina toxinas,  é levemente laxativo, emoliente e antiácido, porém, contra-indicado em caso de colesterol . Tem um sabor maravilhoso e é um ótimo óleo para cozinhar. Além de seu aroma refinado e sabor delicado, tem alto nível de resistência ao calor e não queima facilmente.  

Além de poder usá-lo no café da manhã, o grande drama de quem deve deixar os derivados do leite, com ele podemos saltear os legumes, usar em bolos, tortas que ganharão um sabor muito especial.

Se você não tem colesterol alto e intolerância alguma como eu , experimente, substitua as gorduras das receitas pelo ghee, você vai se surpreender! Na semana que vem darei uma receita de  de creme de brócolis delicioso, vá preparando o seu ghee! Beijo e até a próxima!

Ghee
Print
Ingredients
  1. 200 g de manteiga sem sal sem conservantes e aditivos
Instructions
  1. Coloque a manteiga na panela, de preferência, de vidro. Em fogo baixo, depois de derretida, começará a levantar uma espuma que deve ser delicadamente retirada. Um óleo translucido se separará de um camada branca ( a caseína e outras substâncias). Com muita paciência, retire as colheradas esse óleo e coe em filtro de papel, evitando a parte branca, pois ela passará pelo coador! Assim que o óleo estiver devidamente separado, acondicione em um vidro pré-higienizado. O óleo condensará e formará uma pasta amarelinha ( como na foto). Pode ser guardado fora da geladeira, mas eu guardo nela rs.
Notes
  1. É fácil de fazer, mas exige paciência. Existem marcas de manteiga sem conservantes e aditivos, fique de olho no rótulo. Se puder, use manteiga caseira, muito melhor!
Memórias Gastronômicas http://memoriasgastronomicas.com.br/

 

Abobrinha não é uma unanimidade. E você gosta?

Eu AMO abobrinha! Meu filho odeia! Meu marido come sem reclamar! Quem ama, como eu não entende a rejeição, afinal  ela possui vitaminas B1, B2, B6, C, K, betacaroteno, ácido fólico, cobre, magnésio, manganês, fósforo e potássio. É  rica em fibras e ajuda  a retardar a fome! Então, não acha que ela é muito injustiçada quando é sinônimo de falar só coisas sem conteúdo rsrs?!Esta receita leve  é  pra comer como aperitivo, mas pode muito bem acompanhar uma carne.

Ingredientes:

500 de abobrinha cortadas em fatias

3 dentes de alho triturados

5 a 6 colheres de sopa de azeite

4 a 5 colheres de sopa de vinagre de vinho branco ou maçã ou arroz

sal e pimenta a gosto ( eu gosto da dedo de moça nesta receita).

Grelhe as abobrinhas em frigideira bem quente sem óleo, de preferência panela antiaderente ( essa parte é chatinha, mas vale a pena o esforço, zero gordura). Reserve. Coloque o azeite e o alho em outra frigideira e ascenda o fogo mais baixo possível ( se usar a pimenta dedo de moça, acrescente bem picadinha neste momento). Doure o alho levemente, reserve até esfriar. Acrescente o vinagre, tempere com sal e pimenta ( se não usou a dedo e prefere outra). Coloque as abobrinhas em uma travessa e despeje o tempero sobre elas ( use um recipiente fundo que as abobrinhas fiquem mergulhadinhas no tempero). Deixe na geladeira e sirva depois de pelo menos 4 horas. Essa uma é uma daquelas receitas pra fazer no sábado e depois ir comendo durante a semana ou oferecer em uma reunião de amigos, o sucesso é garantido!

Boa semana e até a próxima!

Abobrinhas
Print
Ingredients
  1. 500 de abobrinha cortadas em fatias
  2. 3 dentes de alho triturados
  3. 5 a 6 colheres de sopa de azeite
  4. 4 a 5 colheres de sopa de vinagre de vinho branco ou maçã ou arroz
  5. sal e pimenta a gosto ( eu gosto da dedo de moça nesta receita).
Instructions
  1. Grelhe as abobrinhas em frigideira bem quente sem óleo, de preferência panela antiaderente ( essa parte é chatinha, mas vale a pena o esforço, zero gordura). Reserve. Coloque o azeite e o alho em outra frigideira e ascenda o fogo mais baixo possível ( se usar a pimenta dedo de moça, acrescente bem picadinha neste momento). Doure o alho levemente, reserve até esfriar. Acrescente o vinagre, tempere com sal e pimenta ( se não usou a dedo e prefere outra). Coloque as abobrinhas em uma travessa e despeje o tempero sobre elas ( use um recipiente fundo que as abobrinhas fiquem mergulhadinhas no tempero). Deixe na geladeira e sirva depois de pelo menos 4 horas.
Notes
  1. Essa uma é uma daquelas receitas pra fazer no sábado e depois ir comendo durante a semana ou oferecer em uma reunião de amigos, o sucesso é garantido!
Memórias Gastronômicas http://memoriasgastronomicas.com.br/

Feliz Ano Novo com “O Pote da Fortuna”

Estava aqui confabulando com as minhas memórias e lembrei que no ano passado, nesta altura do campeonato eu estava entre caixas, malas, mudanças e escrevendo uma receita de lentilhas para o ano de 2012.

Este ano, já com a vida ajeitada, muito mais sossegada depois de uma semana tsunami antes do Natal fiquei pensando como seria meu ano novo. Claro que nada trivial, 7 ondas, caroços de uva, flores para Iemanjá… Quando o sino tocar as 12 badaladas estarei, provavelmente, na fila de embarque de um vôo no aeroporto de Cumbica. Do jeito que eu gosto! Rumo às férias! *Só espero que a torcida do Corinthians não apareça por lá!*

Mas queria antecipar a tradicional comemoração. Como aqui em casa não seguimos muito as regras eu pensei: – “Por que não comer lentilhas hoje mesmo? Afinal, acho que não encontrarei nada parecido no aeroporto!” Além do que esta leguminosa é hors concours por aqui. Desde muito pequeno ensinei ao meu filho que as lentilhas são moedas de ouro. O bichinho devora cada grão! E tem tudo a ver com o pote a fortuna que eu estava pensando em preparar.

Esta receita é da sempre maravilhosa Diva da Cozinha Nigella Lawson. Eu adaptei um pouquinho pois queria fazer a apresentação parecer um potinho da fortuna. Sabe aquele cheio de mandingas e afins? Alho, pimenta, pé de coelho… Esta cumbuca representa sorte, paz, amor e fortuna. E que venha 2013!

 

Pote da Fortuna (Serve 4 – se a sua turma for grande pode dobrar ou triplicar a receita sem problema!)

 

Azeite de oliva, o quanto baste 

1 cebola pequena cortada em cubinhos

1 cenoura cortada em cubinhos

2 dentes de alho picado

250 gr de lentilhas ( a receita original pede lentilhas Puy – são melhores e mais firmes, mas eu usei a nossa lentilha nacional)

1 ramo de tomilho

1 ramo de salsinha

1 folha de louro

100 ml de vinho branco

300 ml de caldo de legumes ou água

2 chalotas picadas finamente

4 colheres de sopa de vinagre de jerez

sal e pimenta o quanto baste

sementes de 1 romã

2 colheres de sopa de ciboulete picada

 

 

Em uma panela média aqueça 2 colheres de sopa de azeite de oliva. Acrescente a cebola, a cenoura e o alho e salteie por 3 minutos, sem deixar dourar. Junte as lentilhas, as ervas e o vinho branco. Deixe ferver para que o alcool evapore e acrescente o caldo ou água. Cozinhe em fogo médio por 20 minutos ou até que todo o líquido seja absorvido. Mas atenção: as lentilhas devem ficar  al dente. Não cozinhe muito pois elas ficaram empapadas.

Retire as ervas e coe caso haja algum líquido. Em uma tigela misture a chalota, o vinagre e azeite de oliva. Tempere com sal a pimenta. Coloque este vinagrete sobre as lentilhas e sirva em potinhos ou ramequins. Coloque as sementes de romã e a ciboulete sobre as lentilhas com muita fé e pensamento positivo. Sirva morno e coma 7 garfadas em um pé só!

 

Feliz Ano Novo!!