Escondidinho de mandioquinha e shitake fresco!

Desculpe-me insistir com a mandioquinha (ou batata baroa ou batata salsa), mas é que eu adooorooo! E além disso, os nutricionistas dizem maravilhas desse tubérculo que tem o índice glicêmico menor que a mandioca. Pra quem é diabético ou que está de olho na balança é bom levar este índice em conta!

Apesar do escondidinho tradicional ser feito com mandioca e as versões sem carne terem quase sempre bastante queijo,  esse escondidinho não perde nada em sabor! E olha que tem um tiquinho de gordura!

Assisti um documentário outro dia, aliás recomendo chama-se Fat X Sugar, Gordura (carnes, manteigas e etc) versus Açúcar ( doces, carboidratos e etc) . São dois irmãos médicos gêmeos idênticos que em nome da ciência fizeram cada um , uma dieta com ênfase em um desses e evitando totalmente o outro e vice e versa, para descobrir o que faz mais mal. Pra resumir muuuito ( vale assistir mesmo, se você gosta do assunto), chegaram a conclusão que o grande perigo são os dois juntos, porque a mistura é incrivelmente palatável, engorda muito mais e prejudica ainda mais a saúde! Ahaha por isso que sorvete, mousse e os salgados, escondidinhos e lasanhas são quase uma unanimidade!

Pois é, por isso esta minha luta em provar que não precisa ter tanta gordura ou farinhas refinadas pra ser delicioso. E esse escondidinho é uma prova!É  Bom , muito bom, boníssimo!

Claro que não vamos abandonar a lasanha ou o escondidinho de carne seca, mas a gente pode deixar estes pratos para ocasiões especiais. Isto não quer dizer que o escondidinho de mandioquinha não deva ser servido em dias especiais, muito pelo contrário, depois que você experimentar, servirá no almoço de domingo e olha que para uma descendente de italianos, significa a glória total rs!

Espero realmente que aprovem! Beijo e até a próxima!

 

Escondidinho de mandioquinha e shitake
Print
Ingredients
  1. 1 kg de mandioquinha cozida
  2. 200g de shitake fresco cortados em fatias
  3. 1 cebola cortada em rodelas finas
  4. 1/4 de xícara de saquê
  5. 2 colheres de sopa de shoyo sem glutamato monossódico
  6. uma colher de chá de pimenta calabresa ou outra de sua preferência
  7. 2 colher de sopa de azeite de oliva extra virgem
  8. Sal
Instructions
  1. Cozinhe as mandioquinha, mas não as deixe desmanchar. Tempere com sal e o azeite e amasse até formar um purê firme ( será que isso existe rs). Em uma panela leve a cebola e refogue sem nenhum óleo. Acrescente o shitake, o saquê, o shoyo e a pimenta, deixe cozinhar por 5 minutos ou até o cogumelo ficar bem macio. Ajuste o sal, já que o shoyo sem glutamato não é muito salgado, ainda bem!
  2. Monte em um refratário uma camada com metade do purê, recheie com o cogumelo e cubra com o restante do purê. Se o purê estiver bem quente, nem precisa esquentar para servir.
Notes
  1. Dica importante: Não lave os cogumelos ( todos os cogumelos), limpe-os com um pano limpo ou papel e perceberá que o resultado depois é um cogumelo tenro, muito mais macio! Use a pimenta que preferir, mas a calabresa deve ser levada em consideração rs!
Memórias Gastronômicas http://memoriasgastronomicas.com.br/

Pode ser mandioquinha, batata baroa ou batata salsa, eu gosto muito e você?

Um monte de verduras, legumes e frutas tem nomes diferentes pelo Brasil a fora! Isso é divertido até um ponto e catastrófico em outros rs! Mas quem já morou em algumas cidades do Brasil como eu, aprende uma variedade de sinônimos interessantes. Aqui em Tietê não adianta procurar escarola, você só encontra chicória. Banana maçã é diferente das que eu conhecia até então, aliás com bananas já me embananei muito na vida rs. Banana nanica em São Paulo é caturra em Curitiba. E por aí vai. Decidi pegar a banana que eu quero e não pedir pelo nome, assim eu como aquela que eu quero rs!

E funcho? Erva doce! E aipo? Salsão! E mimosa? Mexerica ou  tangerina! E  mandioquinha que é batata baroa, batata salsa, os menos avisados acabam não saboreando uma boa receita, se não ficarem ligados! É com ela que eu apresento mais uma salada. Aliás, um prato completo porque vai frango e milho , também.

 

frango korinE por falar em frango, faz tempo que eu não como frango revendido por grandes empresas. Já li tantas matérias e vi tantos vídeos sobre o assunto que não consigo cozinhar este que me parece tudo, menos bicho. Já que eu não como mamíferos, acho uma sacanagem ingerir este monte de veneno que tem nas carnes de aves que vivem confinadas! Enfim, por isso eu pago um pouco mais caro e compro o frango korin. Se achar frango caipira é difícil pra você, Korin é uma opção, pois produz frangos e ovos livres do uso de antibióticos como promotores de crescimento ou de forma terapêutica! Volto a afirmar, a gente aqui não ganha nada divulgando produtos, mas se o produto é bom, porque não compartilhar a informação?!

Então lá vai a minha salada da semana: Mandioquinha, milho e frango! 

É um prato completo, super nutritivo e absolutamente delicioso! Vale a pena experimentar!

Beijo e até a próxima! 

Salada de Mandioquinha, milho e frango.
Print
Ingredients
  1. 500g de mandioquinhas cortadas em pedaços.
  2. 2 espigas de milho cortadas ao meio
  3. 1 sobrecoxa de frango sem pele
  4. 1 cebola em rodelas.
  5. azeite de oliva extra virgem
  6. um ramo alecrim
  7. um punhado de manjericão
  8. um punhado de orégano fresco
  9. pimenta a gosto
  10. sal agosto
Instructions
  1. Cozinhe o frango e o milho juntos em panela de pressão com 2 xícaras de água com sal e as ervas. Depois que começar a pressão desligue depois de 5 minutos. Deixe sair a pressão naturalmente, assim termina o cozimento. Desfie o frango depois de frio. Use a água do cozimento do frango e do milho, e cozinhe a mandioquinha por 5 minutos em panela normal. Ao terminar o cozimento, desligue o fogo e coloque a cebola em fatias. Neste momento a água já evaporou bastante. Corte a mandioquinha em cubos. Misture todos os ingredientes cozido com água também, que nesta altura já virou um caldo e o frango irá absorver. Tempere com azeite de oliva extra virgem, sal e pimenta.
Notes
  1. Essa é outra salada que dispensa grandes temperos, porque os sabores dos ingredientes são bem marcantes.
Memórias Gastronômicas http://memoriasgastronomicas.com.br/

Mais uma salada: arroz negro e berinjela!

 Eu estou com muita preguiça estes dias, acho que eu gosto tanto de dezembro que  janeiro tem jeito de ressaca! Até porque acabaram as festas, as pessoas viajaram e eu fiquei rs! Antigamente este era o mês de ficar longe da praia porque chovia invariavelmente  e agora que eu não vou mais, tem um sol pra cada um rs!

Brincadeiras a parte, acho que janeiro é a hora de começar a por em prática os planos do ano, mas todo mundo ainda está em ritmo de férias e eu cheia de gás tenho que ficar  esperando , esperando até o carnaval passar, quando o ano começa rs!

 Mas, não é por isso que não vou cumprir a minha promessa de publicar minhas saladas para o projeto verão! Esta é de arroz negro hummm! Se você ainda não incluiu o arroz negro na sua alimentação, está esperando o que? Ele tem 30% a mais de fibras e 20% a mais de proteínas quando comparado com o arroz branco, e possui menos gordura do que o arroz integral, além de menor valor calórico e elevado teor de ferro.

Essa salada é maravilhosa, fiquei orgulhosa dela e com certeza ela vai pro cardápio do meu projeto 2015! Aguardem-me rsrs!

Até a próxima!

Salada de Arroz Negro e Berinjela
Print
Ingredients
  1. 2 berinjelas cortadas em cubos
  2. 150 g de tomates cerejas cortados em fatias
  3. 2 dentes de alho moídos
  4. 1 xícara de arroz negro
  5. 2 xícaras de água
  6. Azeite de oliva extra-virgem
  7. sal a gosto
  8. pimenta a gosto
  9. folhas de manjericão
Instructions
  1. Asse os cubos de berinjela com o alho e o sal. Reserve. Cozinhe o arroz em 2 xícaras de água e sal. Ao secar a água, o arroz estará no ponto.Deixe esfriar.. Misture o arroz, a berinjela, o tomate e tempere com azeite de oliva, sal e pimenta. Sirva com folhas de manjericão, se tiver o francês melhor, porque as folhas são pequenas e fica perfeito..
Notes
  1. Se puder, acrescentar cubos de muçarela de bufala, hummmm! Delícia! Os sabores do arroz negro e da berinjela juntos combinam tanto e fica tão bom que dispensa temperos especiais!
Memórias Gastronômicas http://memoriasgastronomicas.com.br/

É hora de salada! Que tal uma de macarrão bem leve?

E 2015 chegou! Chegou rápido né? Conseguiu fazer tudo o que planejava em 2014? Algumas coisas eu fiz e outras não! Normal, eu acho!Consegui ver e estar com meus amigos, e com as pessoas que amo! Isso eu quero em 2015, também! Estudei bastante e quero mais! Perder peso…nem um quilo, na verdade até ganhei alguns, isso foi mal rs .  Consegui manter as corridas leves, yoga,  alimentação MEGA saudável, mas a quantidade não está legal. Eu digo que o triste é que eu gosto do que cozinho e então como demais,  minha camada adiposa vai crescendo, crescendo aiaiai! 

A primeira providencia é diminuir a quantidade, já que a qualidade vai bem! Mas e esse calor hein?! Salada, frutas e muita água nesta hora! 

Eu estou fazendo uma salada bacana por dia em casa esta semana e vou publicá-las aqui neste mês. Hoje para iniciar a série, ofereço uma de macarrão de milho, sem glúten, sem lactose, sem gordura, mas beeem gostosa rs! Eu dei o nome de salada oriental porque vai curry e uma omelete bem simples que  ajuda a completar o prato com uma proteína. Aliás, este é um truque que uso, quando o minha refeição vegetaiana está muito levinha e preciso de um pouco mais de substância rs!

Então, bem-vindo 2015 e traga muitas risadas, prazeres e experiências positivas! Eu quero rs!

Beijo e até a semana!

 

Salada Oriental de Macarrão de Milho
Print
Ingredients
  1. 250 g de macarrão de milho, mas pode ser de arroz
  2. 1 abobrinha média ralada
  3. 1 cenoura média ralada
  4. 1/4 de xícara de uvas passas
  5. Azeite de oliva extra virgem
  6. 2 dentes de alho amassados
  7. Sal a gosto
  8. Pimenta rosa a gosto moída na hora
  9. 1 colher de chá de curry
  10. Para o omelete
  11. 2 ovos
  12. um punhado de orégano fresco
  13. um raminho de alecrim
  14. Umas folhinhas de sálvia
  15. sal
  16. pimenta a gosto
Instructions
  1. Cozinhe o macarrão, mas cuidado para não passar do ponto, este tipo de massa cozinha muuuito rápido! A parte, em uma panela refogue a cenoura, a abobrinha, as uvas passas e o alho por 2 minutos. Desligue o fogo. Acrescente o curry, a pimenta e o sal. Prepare o omelete em uma frigideira pequena. Depois de pronto, corte em cubinhos. Junte o macarrão, o refogado e o omelete em cubos e ajuste o sal. Finalize com um fio generoso rs de azeite extra virgem.
Notes
  1. Você pode trocar os legumes por seus preferidos. No omelete você pode usar todas as ervas que quiser, mas se não estiver contando calorias como eu, pode acrescentar queijo ou qualquer outro ingrediente seu predileto.
Memórias Gastronômicas http://memoriasgastronomicas.com.br/

Opções leves para ceia, também é preciso!

Fiquei num tal de publico ou não publico esta foto. Mas para o bem de quem precisa de opções leves para a ceia, decidi publicar.

Mamãe não anda bem, então resolvi  fazer peixe no domingo porque auxilia a memória, aliás foi um pedido da tia Mélia preocupada com sua irmã mais velha. Naquele domingo, fui à feira em São Paulo, com certeza um passeio delicioso.  Eram tantas cores e cheiros que me empolguei comprei peixe, camarão e muito mais.

O resultado foi um peixe feinho, mas delicioso no forno, farofa de cenoura e camarão e batata sauté versão light.  Então, entre um “hum que delícia e hum ficou muito bom”, pensei que estas poderiam ser opções de pratos leves para oferecer entre os quitutes do Natal, afinal ultimamente muita gente está de dieta ou tem restrição de lactose, glúten, gordura que se beneficiaria com estas receitas.

Minha irmã de  novo na produção da foto tentou disfarçar o peixinho feio rsrs! Aqui vai como o fiz: cebola e tomate em rodelas fazendo a cama para os filés de pescada temperados com sal, pimenta e regados de suco de limão em um refratário. Cobri com papel alumínio. Forno 15 minutos e voilá!

 Eles são fáceis, práticos e baratos e dá pra somá-los às delícias que já estão no cardápio natalino!

Natal tem que ter gosto de Natal, mas pra quem não pode ou não deve dá pra ser feliz com pratos como estes, também!

Caraca, na semana que vem já é Natal! Então, até lá!

Beijos 

Farofa de cenoura e camarão, batata sauté versão leve
Print
Ingredients
  1. Para a batata sauté
  2. 1 e 12 kg de batatas cozidas cortadas em cubos
  3. 1 xícara de salsinha picada
  4. 3 colheres de sopa de azeite de oliva extra virgem
  5. sal a gosto
  6. Para a farofa
  7. 200 gramas de camarões limpos pequenos
  8. 2 tomates picados sem pele e sem sementes
  9. 2 xícaras de farinha de mandioca
  10. 3 cenouras médias raladas ( 1 e 1/2 xícaras bem servidas)
  11. 1 cebola média em cubos
  12. cebolinha a gosto
  13. orégano fresco a gosto
  14. 1 pimenta dedo de moça sem semente picada
  15. 3 colheres de sopa de azeite de oliva extra virgem
Instructions
  1. Para a batata
  2. Em fogo bem baixo, em uma frigideira coloque o azeite, a salsa e a batata e refogue até a salsinha envola toda a batata, tempere com sal. Finalize com um fio de azeite.
  3. Para a farofa
  4. Refogue a cebola, azeite, tomate, pimenta. Acrescente a cenoura refogue por 2 minutos. Acrescente a cebolinha e o orégano. Acrescente o camarão, refogue por uns 5 minutos. salgue. Quando os camarões estiverem macios, acrescente a farinha. Envolva todos os ingredientes, refogue por 2 minutos e pronto!Se tiver e gostar sirva com um fio de azeite de dendê.
Notes
  1. As quantidades não são exatas, você pode e deve abusar das ervas e pimentas, se for do paladar da maioria! Bom apetite!
Memórias Gastronômicas http://memoriasgastronomicas.com.br/

Coco, coco, cocada ♪♫♩♫ é cocada pro Natal!

Se tem coco, eu gosto! E cocada então, nem se fala! Cocada tem gosto de festa e de Natal também, por que não? 

Teve um tempo que eu fazia cocada e  presenteava! Colocava em um pote de vidro grande  e quem ganhava, chegava enjoar de tanta cocada rsrs!

Ok, com essa quantidade de açúcar e gordura ( mesmo sendo vegetal é gordura!) não é tão saudável, mas em dia de festa pode! O coco tem  excelente teor de sais minerais, como potássio, sódio, fósforo e cloro, assim como fibras.

O bacana é que os que estão evitando lactose podem comer! Essa cocada foi fotografada pela minha irmã para quem tenho cozinhado os quitutes sem lactose, na verdade ela é intolerante a caseína, a proteína do leite, a bichinha fica toda empolada se come algo com sua inimiga rsrs!

coco orgânico

 Pra quem não consegue encontrar coco fresco com facilidade  existe o Finococo que além de ser orgânico tem um preço bastante justo! Como sou viciada em coco,  sempre tenho em casa! Dura bastante porque é embalado a vácuo.

Enfim, uma sobremesa brasileira, deliciosa que pode até virar presente!

Até a próxima com mais ideias de Natal! Beijos.

 

Cocada
Print
Ingredients
  1. 3 xícaras de coco ralado orgânico
  2. 3 xícaras de açúcar orgânico
  3. 1 1 1/2 de água
Instructions
  1. Em uma panela, de preferência de cobre, em fogo alto, coloque a água, o açúcar e misture. Quando atingir o ponto de fio, adicione o coco. Misture bem. O liquido vai secando e você mexendo de vez em quando. Quando a quantidade de líquido diminuir por mais da metade está pronta. Em uma superfície limpa, de preferência de mármore, coloque a cocada às colheradas.Quando estiver seca, vai soltar facilmente.
Notes
  1. Ponto de fio é quando ao derramar o liquido de uma colher a última gota desce densamente formando um fio bem fininho. Para saber se a cocada está no ponto, coloque uma colher de chá de cocada sobre uma superfície limpa e lisa, o mármore, se o liquido escorrer, se separando da cocada, ainda não está pronta. O ponto é quando o liquido fica denso e não escorre sobre a superfície, assim a cocada ficará molhadinha por dentro.
Memórias Gastronômicas http://memoriasgastronomicas.com.br/

Cenoura e beterraba, cores vibrantes e sabor impressionante!

Minha cozinha está nas mãos do que está disponível em  uma horta de orgânicos Isto é muito novo pra mim! Já faz tempo que tinha um planejamento no mínimo semanal. Quer saber? Eu gosto assim, também! 

Aliás, planejamento na cozinha é herança de família. Segunda-feira virado. Quintas e domingos tínhamos macarrão. Peixe às sextas.  Terças e sábados abertos à criatividade da mamãe rsrs. Planejamento faz com que gastemos menos nas idas ao supermercado! 

Minha família vive na cidade grande há 3 gerações. Sempre tive tudo o que inventei cozinhar à mão. Mas como faziam as mulheres que viviam nas chácaras, sítios e fazendas há 30 ou 40 anos? Conforme relatos do povo daqui de Tietê, se comia o que se tinha disponível. Então, com essa nova realidade, comecei a usar toda a minha capacidade criativa, o que fez e faz bem à beça pro meu cérebro rsrs! 

Então com as cenouras pequeninas, mas bonitinhas demais e beterrabinhas tchucas fiz esse assado vegetariano ( assando legumes de novo! Mas fica tão bom que tenho que repetir rsrs) que além de lindo, ficou uma delícia! 

E pra dizer que não falei das eleições… nada mudou, e mudanças urgem no governo brasileiro! Estou apreensiva! Mas se a maioria escolheu que assim seja, democracia é isso! E amo viver em um país democrático!Tomara que ela nos surpreenda positivamente! Pelo nosso bem, pelo bem do Brasil!

Enfim,  gostei muuuito deste assado, espero que vocês curtam também! Beijos

Cenouras e beterrabas assadas.
Print
Ingredients
  1. 500 g de cenouras de preferência orgânicas
  2. 500 g de beterrabas de preferência orgânicas
  3. 3 colheres de sopa de azeite de oliva extra virgem
  4. 1 colher de sopa de aceto balsâmico
  5. 5 folhinhas de sálvia bem picadinha
  6. 2 dente de alho picados
  7. sal a gosto
Instructions
  1. Se forem orgânicas corte as cenouras e beterrabas em pedaços pequenos com casca. Em uma assadeira misture bem todos os ingredientes e leve ao forno preaquecido a 200°. Asse até os legumes ficarem macios por volta de 20 minutos.
Notes
  1. Já temos disponível sal com sálvia ou sal com aipo. Pode substituir o sal normal e a erva fresca, fica uma delícia também. Além de acompanhar uma salada de folhas, pode e deve acompanhar carnes, peixes e aves!
  2. Ah, como foi um maço de cenouras e um maço de beterrabas, este peso é aproximado, pode considerar umas 3 cenouras/ beterrabas grandes ou 5 médias ou 6 pequenas.
Memórias Gastronômicas http://memoriasgastronomicas.com.br/

Bolo de laranja e mel, versão funcional!

Estava eu com algumas laranjas pera deliciosas, daquelas doces sabe, farinha de amêndoas e um desejo: bolo de laranja. Mas tinha que ser um bolo com gosto marcante e cheiro de laranja. Vocês sabem, as receitas tradicionais são muito gostosas, mas o sabor é suave, vocês não acham?

 A minha busca foi no memórias porque eu me lembrava de ter comido um delicioso que Letícia tinha postado no ano passado, exatamente do jeito que eu queria. Receita encontrada, fiz a minha versão funcional, sem farinha de trigo, sem açúcar refinado e voilá! Ficou tão tão bom que resolvi dar vida a um projeto nosso de ter sempre duas versões do mesmo prato: uma leticiana e uma valeriana, ou seja uma gourmet e outra mais natureba rs!

Como é sem glúten ( ah, sem lactose hein!), resolvi fazê-lo em forminhas de cupcake, assim não esfarela tanto!

Para os puristas, segue o link da versão original que vale o repeteco sempre porque é simplesmente MARAVILHOSA. http://memoriasgastronomicas.com.br/2013/09/bolo-de-laranja-com-mel-para-adocar-o-fim-de-semana/

E, se quiser uma mais natureba ou funcional, experimente essa. Essa versão é também em quantidade reduzida pra gente comer menos, portanto menos calorias rs, simples assim rsrsrs!

Esse bolo combina  perfeitamente com o café da tarde!

Bom apetite! 

Bolo de Laranja e mel versão funcional
Print
Ingredients
  1. 2 ovos caipiras
  2. 1 xícara de farinha de amêndoas
  3. 1/2 xícara de flocos de amaranto
  4. 1/2 xícara de farinha de arroz integral
  5. 2 laranjas pera sem caroços, uma com casca e uma sem casca.
  6. 1/2 xícara de mel
  7. 1/2 xícara de açúcar demerara orgânico
  8. 1/2 xícara de óleo de girassol
  9. 1 colher de chá de bicarbonato de sódio.
Instructions
  1. Bata no liquidificador os ovos, as laranjas cortadas em 4 ou 6 ( para facilitar o processamento), mel, açúcar, óleo. A parte misture bem a farinha de amêndoas, farinha de arroz, flocos de amaranto e bicarbonato. Junte as duas misturas bem e delicadamente. Unte forminhas de cupcake ( 10 a 12), Asse em forno preaquecido a 180º por aproximadamente por 30 minutos.
Notes
  1. A receita original tem uma calda, mas esta versão é tão molhadinha que não tem a menor necessidade. Usei aproximadamente 2/3 das quantidades. Outra mudança foi no tipo da laranja que era bahia e por isso são duas porque as pera são pequenas, se quiser a bahia, use uma e meia..
Adapted from Leticia Villela
Adapted from Leticia Villela
Memórias Gastronômicas http://memoriasgastronomicas.com.br/
http://memoriasgastronomicas.com.br/2013/09/bolo-de-laranja-com-mel-para-adocar-o-fim-de-semana/

Sobrou arroz integral? Faça uma torta cremosa!

Estou em guerra contra o desperdício, principalmente depois que o contingente aqui em casa diminuiu. Somos só dois agora! Faço pequenas quantidades e as sobras SEMPRE  viram novos pratos. Meu lixo orgânico é um saquinho bem pequeno, sou muito orgulhosa por isso rs.  Ouvi mamãe a minha infância toda: “que absurdo jogar comida fora com tanta gente morrendo de fome”. Esta influência é boa e ruim, boa está claro, ruim que eu sempre como tudo, mesmo que não queira e isso engorrrda rs! O supermercado que faço compras que fica a três quadras de casa é meu armário! São bem poucas coisas que eu estoco, somente aquilo que é difícil encontrar em Tietê. Normalmente, eu decido o que vou fazer e depois  compro os ingredientes.  E também, com acesso aos orgânicos, vejo quais os ingredientes disponíveis e decido o que casino online vou fazer com eles. Pronto, geladeira enxuta, pequena família e planeta felizes! E essa torta nasceu de um arroz integral cateto misturado que foi feito num momento de delírio rs e sobrou demais. O errado que deu certo, a massa ficou muito cremosa e a casquinha que formou, delicios!. Ah,  detalhe a gordura é somente do frango, portanto mais leve que o normal! Fiz a foto de um pedaço para vocês perceberem a textura, ficou legal, concordam? Ficou bonita e gostosa! Uia! Experimentem, vale a pena cozinhar um pouquinho a mais de arroz integral, mas só desta vez heim rs?! Até a próxima! Beijo    

Torta creme de frango com massa de arroz integral
Print
Ingredients
  1. 1e 1/2 xícaras de arroz integral cozido de preferência cateto misturado
  2. 2/3 xícara de água
  3. 2 ovos
  4. sal
  5. Para o recheio
  6. 250 g de frango caipira cozido
  7. 1 cebola em rodelas
  8. 1 xícara de couve flor refogada
  9. sal
  10. pimenta
  11. 1 colher de chá de curry
Instructions
  1. Se você compra um frango caipira inteiro pequeno e não quer simplesmente assar, aqui vai uma dica: separe o peito e as contra-coxas para grelhar ou outro prato especial. Retire bem a pele e a gordura. Pegue as coxas, as asas e a carcaça e leve ao fogo com água ultrapassando uns dois dedos. Acrescente três dentes de alho com casca e as ervas que tiver disponível. Cozinhe até descolar bem a carne dos ossos. Desligue o fogo, deixe esfriar. Separe o caldo . Desosse o frango. A carne da carcaça, asas e etc que seria impossível usá-la crua vira recheio de torta! Para a massa: coloque o arroz e a água em uma tigela e deixe até esfriar, assim a massa ficará bem cremosa. Processe o arroz, água,os ovos e o sal. Para o recheio: misture o frango, o couve-flor, a cebola e o curry. Ajuste o sal. Se você fez o frango e "gerou" um caldo, acrescente duas colheres de sopa, caso contrário não é indispensável. Unte uma assadeira de 22 cm de diâmetro. Despeje a massa e depois coloque o recheio de tal maneira que ocupe toda a assadeira. Misture a massa e o recheio com um garfo delicadamente para não comprometer o fundo untado. Leve ao forno preaquecido a 200° por aproximadamente 30 minutos ou até dourar a massa, pois os todos os ingredientes já estão cozidos.
Notes
  1. Se não tiver intolerância a lactose, acrescente uma colher de requeijão na massa.
Memórias Gastronômicas http://memoriasgastronomicas.com.br/

Bolo de biomassa de banana verde.

Faz uns 5 anos que eu ouvi falar na biomassa de banana verde. Fernanda, nutricionista amiga querida, me contou as maravilhas deste alimento sem igual.  Aprendi a fazê-la e era tão de vanguarda que não fez tanto sucesso na época rs.

Segundo a nutricionista funcional Helouse Odebrecht “a biomassa é um alimento funcional pois, quando cozida, apresenta um teor excelente de amido resistente, que tem ação semelhante a das fibras. Por ser resistente, ele não é digerido e nem absorvido. No intestino, a biomassa é utilizada por bactérias boas do nosso organismos, chamadas de probióticos, como uma fonte de energia, mantendo assim a integridade da mucosa intestinal. É rica em vitaminas como A, B1, B2 e minerais essenciais como fósforo, magnésio, potássio e sódio.”

Trata-se um creme que não tem sabor, por isso você pode usá-lo em salgados e doces. É muito simples de fazer- um cacho de bananas BEM verdes ( qualquer qualidade, de preferência as grandes com 12 bananas mais ou menos) bem lavadas, devem ser cozidas por 20  minutos na panela de pressão.  Depois de cozidas e já em temperatura para manuseá-las, descasque e bata no liquidificador com 200 ml de água para formar um creme. Pronto, use 250g para esse bolo e o restante congele. Se quiser, use um recipiente de gelo para ajudar no processo. Além deste bolo, você pode usar a biomassa em vitaminas,  bolos, tortas e muuuuito mais. Ah, tem pronto para vender. Nas cidades grandes fica mais fácil de achar.

 

Além desse bolo, use nas vitaminas matinais ( uma colher de sopa por copo), o sabor não se alterará e você consumirá fibras importantes, como vimos acima.

Esse bolo é delicioso, nutritivo, leve e de chocolate, não tudo que você sempre quis? Ajuda na TPM rs. Espero que gostem.

Até a próxima. Beijos.

Bolo de cacau e coco com biomassa de banana verde
Print
Ingredients
  1. 5 ovos
  2. 250g de biomassa de banana verde
  3. 3 colheres de sopa de cacau em pó
  4. 2 colheres de sopa de coco ralado orgânico
  5. 3 colheres de sopa de açúcar fit ( stevia+açúcar demerara)
  6. 1 colher de chá de bicarbonato de sódio
Instructions
  1. Bater no liquidificador os ovos e a biomassa até até formar um creme uniforme. A parte, misture bem os ingredientes secos. Junte o creme aos ingredientes secos. Em assadeira untada, asse em forno preaquecido a 200 º por aproximadamente 30 minutos. Quando estiver pronto ( pode fazer o teste do palito, ao espetá-lo, se sair limpo, o bolo estará pronto), deixe no forno até esfriar.
Notes
  1. Como o bolo não tem nenhuma farinha, a textura é bem diferente quase um suflê. Para ajudar que o bolo não murche, deixe o bolo no forno até esfriar. Você pode substituir o açúcar fit por açúcar orgânico ou demerara.
Memórias Gastronômicas http://memoriasgastronomicas.com.br/