Natal à brasileira com sobremesa de cupuaçu!

Creme de Cupuaçu com castanha do para Natal

É Nataaal!!!!

Creme de Cupuaçu com castanha do para Natal

 

 Sabe quando os dias já tem cheirinho de natal? Aqui em casa (ato falho: na casa dos meus pais) já está neste clima. Todos mais festivos, mais animados, mais amorosos. Da cozinha, vem aromas que me fazem viajar em minhas memórias. Encontros com os amigos, visita à familiares. Tudo me faz ter um fascínio especial por este período. Estar em Belo Horizonte me encanta mais ainda. Engraçado como estranhamente no meu coração tenho certeza que não volto a morar aqui, mas me sinto revigorada a cada volta. São as montanhas…

E sempre falta tempo.

Pela primeira vez na minha vida, não passarei o Natal aqui. É estranho. Quebra de paradigmas. Sou piegas. Achei estranho. Mas será bom. : /

Por sorte – foi mais por coincidência que por juízo – conseguimos nos reunir neste fim de semana anterior. Foi um Natal antecipado.

Uai! Tá ficando bom: 2 Natais em uma semana. Troca de presentes, piadinhas sem graça, e uma bela ceia. Tudo como deve ser.

Quem diria… não foi desta vez que não tive Natal em BH. Tive, mesmo que na data errada.

Para brindar esta época tão especial, divido com você a sobremesa que servimos neste encontro. Algo bem brasileiro e delicioso: Creme de Cupuaçu com Castanhas do Pará. Ouse. MUde. Quebre seus paradigmas. Mas não mude a essência. Não mude data do Natal, faça esta sobremesa! : D

Boas festas!!!

Creme (ou sorvete) de Cupuaçu com Castanhas do Pará
Print
Ingredients
  1. - 5 pacotinhos de polpa de cupuaçu
  2. - 1 xícara de açúcar
  3. - 2 latas de leite condensado
  4. - 3 latas de creme de leite sem soro
  5. - 100g de castanha-do-pará picadas finamente
Instructions
  1. 1- Colocar a polpa e o açúcar em uma panela e levar ao fogo brando para cozinhar por cerca de 20 minutos até soltar da panela como brigadeiro mole. Ele fica com o tom levemente dourado. Colocar para esfriar.
  2. 2- Despejar o leite condensado e creme de leite em uma batedeira ou liquidificador. Acrescentar o doce de cupuaçu já frio. E bater até ficar um creme firme.
  3. 3- Despejar na vasilha que você servirá e salpicar castanha-do-pará.
  4. 4- Levar à geladeira até a hora de servir.
Notes
  1. 1- Você pode utilizar o doce de cupuaçu já pronto se for fácil em sua região.
  2. 2- Você pode aumentar a quantidade de castanhas-do-pará e alternar as camadas: doce, castanha, doce, castanha. Vasilhas individuais dão um charme especial.
  3. 3- Neste calor, leve este creme ao congelador. Ele virará um sorvete especial!
Adapted from Receita da D. Alfa, vizinha da minha mãe em BH
Adapted from Receita da D. Alfa, vizinha da minha mãe em BH
Memórias Gastronômicas http://memoriasgastronomicas.com.br/

Torta de Santiago, simples assim.

Torta de Santiago

Torta de SantiagoNevou em Curitiba e eu não estava lá! Apesar de estar feliz de ter fugido do frio, fiquei com vontade de estar lá neste momento histórico! Bateu uma saudade de casa.

; )

Nas últimas semanas, antes de partir em férias ainda em Curitiba, andei meio chateada por algumas questões profissionais… Na verdade, não valia nem metade da minha preocupação. E de fato, tenho sido tão agraciada que é até injusto reclamar.

Mas é difícil passar ileso à uma postura desleal. No mínimo, faz você repensar alguns pontos. Como dizem por aí, se ficou lembrança boa, é uma recordação, se o que sobrou é ruim, foi uma experiência. E, como toda experiência, esta foi repleta de aprendizados!

Acho que foi isso, somado ao tempo sem recarregar as energias na terrinha, que me fez curtir tanto esta última passagem por BH. Sensação de alívio!

E, por isso também, apesar de já estar no Rio, ainda escrevo a sequência {Saudades de BH}. Misturando tudo: Rio de Janeiro com visita do Papa, saudades de BH, perdão e agradecimento, resolvi escrever sobre esta torta que mamãe faz.

Ela é de comer ajoelhada. À cada dia, sua receita se aprimora mais…De tão boa, a incorporei ao meu cardápio e é um dos sucessos de encomendas.

É uma receita espanhola à base de amêndoas, cuja tradição é expressada até em sua apresentação final: açúcar de confeiteiro salpicado, destacando o formato da Cruz de Santiago, repleta de significados.

Aí, não tem jeito: amêndoas, ovos, manteiga e açúcar… impossível não amar! Huuummm… e é perfeita para acompanhar um café!

A receita foi executada por D. Eloíza, a foto foi tirada pelo meu primo Thiago, a quem agradeço a participação especial novamente!

Nota: acabei de receber uma foto que incluo aqui da torta feita por uma leitora assídua. No mesmo dia já executou a receita. Obrigada, Marília Paes.

Torta de Santiago

Receita da Torta Santiago de D. Eloíza

Ingredientes para Massa:
– 1 xícara e meia de farinha de trigo
– 150 g de manteiga sem sal
– 1 ovo
– 1 colher (de chá) de casca de limão ralada
– 3 colheres (de sopa) de  açúcar
Ingredientes para o Recheio:
– 350 g de amêndoas, grosseiramente processadas
– 5 ovos
– 280 g de açúcar
– 1 colher (de chá) de canela
– 1 cálice (50ml) de licor de amêndoa
 – açúcar de confeiteiro para polvilhar
Modo de Preparo:
1- Em uma tigela colocar o ovo, o açúcar, as raspas da casca de limão, a manteiga.  Misturar até incorporar os ingredientes.
2- Aos poucos, adicionar a farinha de trigo, mexendo sempre, até obter uma massa lisa e homogênea.
3- Forrar uma forma de 24 ou 30 cm de diâmetro.  Se for de fundo removível, coloque um tabuleiro para amparar, pois pode vazar manteiga. Caso contrário, polvilhe o fundo e as laterais, para não agarrar.
4- Misturar todos os ingredientes (exceto 3 col. sopa das amêndoas trituradas) – pode ser no liquidificador ou à mão.
5- Despejar o recheio sobre a massa e polvilhar a amêndoa sobre o recheio.
6- Levar ao forno preaquecido à 180 graus e assar por 40 minutos ou até dourar.
7- Retirar do forno. Esperar esfriar. Desenformar. Polvilhar o açúcar de confeiteiro.
Nota: para fazer a cruz, fazer um molde em acetato ou papelão, colocar sobre a torta e polvilhar o açúcar. O molde que deixo aqui é diferente do aplicado na torta, mas mais correto. Deixo a imagem para molde abaixo.
 Cruz de Santiago Molde

Torta de limão siciliano com gostinho de quero mais

Torta de Limão Siciliano

Torta de Limão SicilianoFinalmente, fui autorizada a viajar. Última chance antes da chegada da minha outra pequena. Por isso, não pensei duas vezes. Destino: BH e Rio. Beber na fonte, recarregar as energias, resgatar as raízes. Enfim, a definição que você quiser para o famoso matar a saudade!

O tempo, para variar foi curto para tantas vontades, até porque tive que ficar um pouco mais quieta. Mas a energia já é outra! Não sei se são as montanhas, as pessoas, as recordações, ou tudo junto misturado. Mas a sensação de voltar para onde você foi criado é muito boa!

Em um destes poucos dias, fui conhecer o filho de um primo querido que nasceu há pouco tempo. Por sinal, este primo é filho do meu tio Ronaldor, que eu havia mencionado no post anterior. E já que estávamos com aquele clima nostálgico, ele preparou uma torta de limão para nos encher de lembranças e acabar com qualquer dieta! Nem preciso dizer que ainda estou sonhando com mais um pedaço…

 

 

Receita da Torta de Limão Siciliano (receita do Thiago, notas minhas)

Massa:
– 2 gemas de ovo (as claras serão usadas no suspiro)
– 2 col. (sopa) manteiga
– 2 xic de farinha de trigo peneirada (aproximadamente)
– 1 pitada de sal
– 3 col (sopa) de açúcar
– 3 col (sopa) de leite
– 1 col (sopa) rasa de ferment em pó
Recheio:
– 2 latas de leite condensado
– 1 xíc de suco de limão siciliano (antes, retirar as raspas da casca para salpicar sobre a torta)
Suspiro:
– 2 claras de ovo
– 4 col (sopa) de açúcar
– 1 pitada de sal
Modo de preparo:

Massa:
1- Misturar todos os ingredientes, exceto a farinha. Acrescentar aos poucos a farinha até a massa desgrudar da tigela (pode ser que você não utilize toda a farinha ou que precise de um pouco mais). Ficar atento ao ponto.

2- Distribuir a massa em uma forma com fundo removível e fazer furos com um garfo em oda a massa, inclusive nas laterais. Levar ao forno pré-aquecido a 180 graus por 7 minutos. Retirar a massa, fazer mais furos com o garfo e deixar no forno por mais 5 minutos. Retirar do forno e reservar.

Recheio:
– Misturar(pode ser no liquidificador, batedeira ou à mão) todos os ingredientes até a mistura ficar homogênea. Reservar.

Nota da autora: eu gosto de bater bem no liquidificador ou batedeira, pois o creme já fica bem firme.
Suspiro:
– Bater as claras em neve. Quando já estiver esbranquiçando, acrescentar a pitada de sal e depois, aos poucos, o açúcar até ficar em ponto de neve (se você virar, ela não cai ou, menos arriscado, forma picos que não se desfaz).

Nota da autora: ao invés deste suspiro tradicional, pode-se utilizar também o merengue italiano. Para ele, você faz uma caldade açúcar em ponto de fio grosso e despejar sobre a clara batida em neve. Bater até esfriar. Deste modo, ele dissora menos. 

Torta de Limão como fazerMontagem:
– Colocar o recheio sobre a massa pré-assada, espalhar o suspiro e salpicar as raspas de limão sobre a torta. Levar ao forno novamente para ficar levemente dourada (cerca de 7 minutos). Levar para a geladeira e sevir gelado.

Arroz doce, arroz de leite ou mesmo arroz de festa?

Arroz Doce Brulée

Arroz Doce BruléeEu sempre amei esta época de festas juninas. Adorava ir às festas das paróquias de BH, dos condomínios, dos clubes. Gosto do clima, da animação da turma e principalmente das comidas!!!! Aqui no blog já postamos algumas receitas tradicionais desta época. A de hoje porém nem acho que é só de festa junina. Na verdade, há muito tempo planejava escrever sobre este doce tão tradicional e comum na nossa vida… Vc pode esta com aquela cara: arroz-doce????? Não dava para arrumar coisa melhor????

Mas acho o arroz doce uma sobremesa que aquece a alma, claro que se bem feito. Quase nunca fazia em casa. Mas nas minhas últimas viagens, sem mais nem menos, trombava com o que? Arroz doce! Com isso, fui descobrindo que o arroz doce faz parte da cultura e paixão mundial. E aí, não resisti, neste período de “molho”, tive que pedir para fazerem para mim. O pior é que arrumei uma concorrente de peso, que devorou tudo!

Antes da receita, algumas curiosidades: você encontra arroz doce praticamente no mundo todo. Esta receita é de origem turca. Lá, em alguns restaurantes, você encontra o arroz doce como uma das opções de sobremesa. Foi em um deles que comi a versão que mais gostei, brulée e com sorvete e xerém de pistache.

Na Grécia, também é comum encontrá-lo, mas servido como opção de café da manhã. Na Itália, é uma opção mais caseira, para o dia a dia, como aqui no Brasil.

Enfim, pode-se chamar, arroz doce, arroz de leite, risoto doce, como preferir… o importante é que é bom demais da conta!

Receita de Arroz Doce:

– 200g de arroz (1 xícara)

– 500ml de água

– 1,25 l de leite integral

– 4 gemas

– 10 colheres (sopa) de açúcar (160g)

– casca de 1/2 laranja bahia

– 1 canela em pau

– 2 cravos

– 2 cardamomos

Modo de Preparo:

Em uma panela ferever o leite com a casca de laranja. Reservar. Em outra colocar o arroz, a água e as especiarias para ferver. Quando levantar fervura, adicionar o leite (dica da vovó: colocar um pires emborcado – virado para baixo – dentro da panela para o leite não entornar). Deixar ferver até o arroz ficar macio.

À parte, enquanto cozinha o arroz, bater à mão, as gemas com o açúcar até esbranquiçar. Adicionar uma concha do caldo do arroz à gemada e virar esta mistura ao arroz já cozido (este processo é importante para evitar grumos). Deixar ferver novamente. Desligar e colocar em vasilhas individuais ou em uma única de sua preferência.

Variações:

– Você pode servir o arroz doce brulée. Para isso, salpique açúcar sobre o pote e doure com ajuda de um maçarico. Fica moderninho e delicioso.

– Para uma versão mais mineira, acrescente uma colher de doce de leite por cima.

– Outra opção é como eu comi na Turquia, sirva quente com uma bola de sorvete de pistache por cima e salpique pistaches quebrados… Divino!

Apaixone-se!

 

Bolo especial de frutas e castanhas para um Feliz Natal!

Bolo Especial de Natal com frutas secas e castanhas

Bolo Especial de Natal com frutas secas e castanhasQuerido Papai Noel (e leitores mais que queridos)

Sei que não fui a escritora mais assídua neste blog nos últimos meses. Que muitas vezes não me comportei bem, deixando-me vencer pelo cansaço e não fotografei aquela receita perfeita.

Mas, para compensar um pouquinho, coloco aqui uma receita muito especial de Natal.

A escolha desta receita foi pelo sabor e pela simplicidade. Todo mundo consegue fazer mesmo! E o sabor é mais que especial, remete a carinho, conforto, como as lembranças que tenho  desta data.

Então, se você, como eu trabalhou um montão e ainda não conseguiu organizar os detalhes do seu Natal, esta receita vale muito a pena. Ah! E é um ótimo presente para quem você ama (se a preguiça ainda prevalecer, da próxima vez, pode encomendar de mim… rsrsrsrs).

PS: Só não vale ser o meu presente, Papai Noel!

Coloco abaixo a receita e deixo aqui meus carinhosos desejos de Feliz Natal e um Ano Novo ainda mais doce!!!!

Receita de Bolo Especial de Frutas e Castanhas

– 300g de castanhas dos pará

– 140g de ameixas pretas sem caroço

– 140g de damascos secos

– 150g de cereja em calda escorridas (sei que algumas pessoas não gostam, mas a cor é especial…)

– 140g de figos secos cortados pela metade

– 5g (uma colher de chá) de canela em pó

– 5g de cardamomo em pó

– 5g de gengibre em pó

– 1 colher de chá de baunilha

– 3 ovos

– 70g de açúcar mascavo (pode ser retirado da receita para quem não pode ingerí-lo, mas fica mais gostoso com…)

– 80g de farinha de trigo

– 1 colher de chá de fermento em pó

– 1 colher de chá de bicarbonato de sódio

– Opcional: Chocolate amargo suficiente para decorar (uns 100g é suficiente)

Modo de Prepero:

Untar e enfarinhar uma forma de bolo inglês (aquela retangular que parece de pão de forma). Reservar. Pré-aquecer o forno a 180 graus.

Misturar as frutas e castanhas, acrescentar as especiarias,baunilha, os ovos levemente batidos, o açúcar, farinha, fermento e bicabornato. Misturar e incorporar tudo e espalhar pela forma.

Levar para assar por cerca de 1 hora ou até ficar firme e dourado. Retirar, deixar esfriar e desenformar.

Se quiser dar mais um toque, derreta o chocolate em potência média no microondas ou em banho maria. Faça o choque térmico do chocolate até chegar à temperatura de 29 – 30 graus (fria ao toque) e espalhe com a colher por cima do bolo. Fazendo pequenos risquinhos de chocolate.

Feliz Natal!!!!

 

Um (pedacinho) pecadinho de bolo de mandioca com côco

bolo

Nos últimos dias, andei testando várias receitas para um trabalho super especial que surgiu…

Aí, entre uma receita e outra, bateu um desejo de fazer um bolo que amo, mas siceramente, apesar das minhas raízes, nunca tinha feito. Só que ele tinha tudo a ver com o projeto: bolo de mandioca (como boa mineira ou aipim) com côco. Pedi para minha mãe a receita dela e fui testar… Na verdade, existem várias formas de fazer este bolo. Nos próximos dias, testarei outras e comento aqui.

A hora de fazer foi  uma novela a parte, pois não tinha um prato fundo daquele das antigas, tive que bater na porta da vizinha, qua acabou presentada com um dos testes… então, para facilitar a sua vida, medi as porções e coloco as duas opções de receita. Lembro que este bolo não é fofinho, aerado como os outros. É mais compacto por causa da mandioca. Mas tem uma liga, um sabor… huuuuummmm! Me acabei no bolo, acompanhado de um bom café coado… e assim virou mais uma história de um pedacinho que virou pecadinho…

Receita de Bolo de Mandioca com Côco – receita da D. Eloíza

– 1 prato fundo, cheio atá a borda,  de  côco fresco  ralado – isso dá cerca de 200g. Se vc preferir o côco seco, coloque-o de molho em 2 garrafas de leite de côco para hidratar por cerca de 30 min e depois pese.

–  1 prato fundo, pelo friso, de mandioca ralada, grosseiramente – cerca de 480g

– 1 xícara  e meia  de  açúcar – eu diminuí um pouco o açúcar. Pus só 1 xícara, gostei. Ficou equilibrado. Mas para quem ama açúcar pode ter ficado sem graça. – equivalência de xícara, veja no nosso “Pesos e Medidas”.

– 1  xícara  de queijo meia cura

– 4 ovos, sendo as claras em neve

– 1/2 copo de óleo ou 2 colheres de manteiga – usei a manteiga

– 1  colher (sobremesa) de canela – não pus

– 1 pitada de sal

– 1 colher (sopa rasa) de fermento

Modo de preparo:

1-Préaquecer o forno a 180 graus.

2- Misturar todos os ingredientes, menos as claras.

3- Acrescentar as claras em neve e colocar em forma untada.

4- Levar ao forno a 180 graus e quando  crescer, abaixar para 160 até dourar.

Amanhã de manhã, vou servir um café… (mas com croque monsieur, é claro!)

Croque Monsieur

Croque MonsieurOk! Vai ter gente que vai achar o título péssimo, super clichê, mas não resisti. Pois foi a primeira música que me veio a cabeça… Afinal, o que seria da vida sem os clichês!!!

Este post é dedicado a uma receita simples, clichê, mas que AMO!!! E que dá um toque  todo especial ao seu café da manhã, brunch ou até mesmo lanche de fim do dia… É o Croque Monsieur.

Como a música, esta é o tipo de receitas que traz recordações deliciosas, pois sempre é um prazer devorá-la!!!!

Bom apetite!

Receita de Croque Monsieur (serve 2 pessoas – neste clima não podia ser diferente…)

– 4 fatias de brioche (ou um pão de forma bem gostoso)
– 2 ovos
– 1 copo de creme de leite fresco (dá para usar o comum, mas prefiro o fresco)
– 200g Queijo ralado tipo gruyère ou emmental
– 2 fatias de presunto cozido
– Sal, noz-moscada e pimenta-do-reino a gosto

Modo de Preparo:

1- Pré-aquecer o forno a 240 graus.

2- Misturear os ovos e o creme de leite, até formar um creme uniforme.

3- Acrescentar 1 pitada de sal, noz-moscada e pimenta-do-reino.

4- Em uma forma untada com manteiga, colocar os pães e espalhar o creme sobre eles.

5- Coloque metade do queijo ralado sobre o creme.

6- Coloque as fatias de presunto sobre o pão com o creme e queijo.

7- Finalize com o restante do creme e finalize com uma porção de queijo ralado.

8- Leve ao forno pré-aquecido para gratinar (tostar embaixo e gratinar por cima) e sirva imediatamente.

Dias frios aquecidos com a ambrosia da vó Nhá.

Ambrosia

AmbrosiaComo passaram o Dia das Mães? Espero que com tanto carinho como eu. É tão bom ser paparicada né?

Aqui, em Curitiba, começou o friozinho…

[Nota mental – Definitivamente preciso me organizar melhor, o tempo está voando e eu não consigo fazer tudo que me proponho]. Mil idéias na cabeça e pouco tempo para executá-las! Acho que o negócio vai ser largar os doces de lado e abrir uma fábrica de idéias… Surtos à parte, como fiquei muito envolvida com as produções da Dorothy nos últimos tempos, acabo ficando muito tempo sem beber a água das Minas Gerais e isso me faz muita falta.

Então, resolvi matar a saudade vasculhando os cadernos de receitas… sei que não é a mesma coisa de comer aquele prato feito especialmente pela sua mãe especialmente para você, mas não foi nada mal!

Escolhi uma receita da minha avó, que minha mãe e tias contam ter sido uma cozinheira e principalmente doceira de mão cheia. [Mais nota mental: Será que foi dela que herdei este interesse pelos doces???]. Infelizmente, não tive o prazer de conhecê-la, por isso, fico só com os casos e com algumas das suas deliciosas receitas muito bem executadas por minha mãe ( o dia das mães já passou, mas o paparico continua aqui…).

Mas voltando à receita, a eleita, foi uma bem mineira e, por incrível que pareça, fácil de fazer. Eu tinha uma fantasia que fazer ambrosia era difícil. Na verdade, tem seus truques, mas realmente não é difícil. Tentem e contem-me.

 

Receita de Ambrosia da Vovó Nhá

– 1 litro de leite

– 240g de açúcar

– 250 ml de suco de laranja

– 6 ovos

– 2 cravos e 1 pauzinho de canela

– casca de um limão

 

Modo de Preparo:

1- Em uma panela, coloque o leite para ferver com o açúcar, pau de canela, cravos e casca de um limão.

2- Quando levantar fervura, colocar o suco de laranja. Ele talhará.

3- Enquanto levanta fervura novamente, em uma tigela à parte, coloque os ovos e os misture com um garfo.

4- Assim que começar a ferver, acrescente os ovos, mas não mexa neste momento (este é o pulo do gato).

5- Com uma colher grande ou concha, vire cuidadosamente a calda que está na panela sobre os ovos para que ele cozinhe. Mas não misture até que ele cozinhe por completo, assim, seus pedaços ficarão maiores.

6- Quando os ovos já estiverem cozidos, pode partí-los na panela mesmo com a ajuda da colher.

7- Abaixe o fogo e deixe cozinhar até formar uma calda grossa e cor levemente dourada. Deixe esfriar e leve-o para geladeira até a hora de servir.

Bom demais da conta!

 

 

De volta à ativa com cocada de fita especial

Cocada de fita

Estava louca de vontade de voltar ao ritmo com as matérias do blog. Não foi por falta de presença na cozinha. Na verdade, foi pelo excesso e por um probleminha básico: meu computador está sem memória por causa das fotos… sei que alguém vai dizer, faça um backup em um HD externo. A verdade é que já fiz, mas estou com medo de deletar estas fotos e perder parte da minha história… bons tempos aqueles dos negativos…. hahahaha. Mas serei corajosa e resolverei isso logo. Por enquanto… peguei o leptop da sogra emprestado…

Bem, e como estou de pernas para o ar nestas 2  semaninhas de férias,  será mole botar a vida em dia… ou não (como diria o Caetano)…

Nesta última semana, fiz os doces de um evento muito especial: o casamento da Lua e do Ted. Foi em Búzios, em um espaço lindo, a beira da Praia com direito a um pôr-do-sol espetacular! Para isso, mudei a sede da Dorothy temporariamente para este paraíso. É… a Dorothy Pot avançando fronteiras!!! Foi uma aventura!

Um dos doces desta festa deliciosa foi uma cocada de fita. É um doce simples, mas lindo, bem brasileiro, casino online src=”http://memoriasgastronomicas.com.br/wp-content/uploads/cocada-de-fita-300×225.jpg” alt=”Cocada de fita” width=”300″ height=”225″ />super alinhado com o evento e de sabor especial! Divido aqui a receita com vocês, mas se ficarem com preguiça de fazer… podem encomendar de mim!!! ; )

Receita de Cocada de Fita:

– 500g de açúcar refinado

– 200ml de água

– 300g de coco em fita (pode ser seco ou fresco, sendo que o primeiro tem uma durabilidade maior)

– 1 cravo

– 1 canela em pau pequena

Modo de Preparo:

Em uma panela, colocar todos os ingredientes (exceto o côco) para fazer uma calda. Quando levantar fervura, retire o cravo e a canela e acrescente o côco. Misture até a calda ficar bem incorporada ao côco e começar a cristalizar (esbranquiçar). Neste momento, desligue o fogo e vá retirardo as colheradas da cocada para formar montinhos para fazer unidades da cocada e deixar esfriar. Pronto! É uma delícia!!!

Nota: apenas umas dicas para fazer os montinhos de cocada, você pode utilizar forminha de empada para facilitar. E se começar a ficar muito quebradiça, leve ao fogo baixo para derreter o açúcar de novo.

Camarão na abóbora para celebrar a vida!

Camarão na Abóbora

Camarão na AbóboraOs últimos dias foram difíceis, de surpresas desagradáveis, mas de aprendizado enorme (momento pollyana). O que tirei de mais importante dos acontecimentos deste período foi realmente temos que aproveitar a nossa existência ao máximo e não deixar que as horas, dias, semanas se percam na loucura do dia-a-dia. Quero sempre me questionar, tipo pesquisa de revista: o que eu fiz nas últimas 24 horas valeu a pena? Foi inesquecível? Se na maior parte dos dias a resposta for sim, ótimo! Se não, “bora” rever isso aí!

Pós avalanche, veio a alegria! Hoje, celebramos os 80 anos de vida do meu pai. Uma data como esta não podia deixar passar em branco. E para comemorar e paparicá-lo muito, em primeiro lugar, importei a família pra cá. Com todos reunidos, restava pensar no menu (casa de ferreiro, espeto de pau – tudo sendo feito na correria…). Resposta do meu pai foi imediata: camarão na abóbora e bolo de côco.

Correria para preparar tudo, divisão de tarefas feita… mãos à obra! Ufa! Deu tempo para curtir todo mundo…

Para surpresa de todos, não fui eu que fiz a sobremesa. Minha sobrinha se ofereceu para fazer o bolo, segundo ela, o mais fácil do mundo – depois posto a receita aqui! E para mim, sobrou o camarão na abóbora… hummmm… ficou bom demais!

Divido aqui a receita e o desejo que tenhamos ainda muitos mais aniversários para comemorar a vida e reunir a família e amigos! Cheers!

Receita de Camarão na Abóbora (serve 10 pessoas)

– 1 abóbora de mesa (aquelas tipo haloween) inteira

– 1,5 kg de camarão graúdo sem casca

– 8 camarões graúdos com casca para enfeitar

– suco de 2 limões

– 6 tomates pomodoro

– 1 cebola grande picada

– 2 dentes de alho

– 1 xícara de molho de tomate

– 200 ml de leite de côco

– 200g de catupiry ou requeijão cremoso

– cheiro verde a gosto

– azeite de dendê a gosto

– sal e pimenta a gosto

– 3 colheres de sopa de farinha de trigo

-óleo de canola suficente para untar a abóbora

 

Modo de Preparo:

1- Cortar a tampa da abóbora (fica mais bonita se cortar em zigue-zague). Retirar toda a semente, deixando a sua cavidade limpa mas com sua polpa.

2- Passar óleo em toda sua casca, inclusive na tampa. Levar ao forno já pré-aquecido a 225 graus até a moranga ficar ao dente (teste colocando um garfo em sua polpa. Se afundar, ams ainda tiver um pouco de resistência é o ponto). Reserve.

3- Limpe o camarão sem casca, fazendo um corte leve na sua curva exterior e interior e retirando os fios pretos (intestino). Colocar o suco 1 limão e sal para temperar. Reservar.

4- Temperar o camarão com casca da mesmo forma. Reservar.

5- Picar a cebola e alho em cubinhos miudinhos. Reservar

6- Retirar a semente do tomate e bater com um pouco de água. Reservá-la junto com o molho de tomate. Cortar o restante dos tomates em cubinhos miúdos. Reservar.

7- Em uma panela grande, colocar o azeite de dendê, refogar a cebola. Quando estiver transparente, acrescentar o alho. Em seguida, o tomate. Após cerca de 3 minutos, acrescentar o sal, a pimenta e a farinha de trigo e mexer. Acrescentar o molho de tomate, deixar levantar fervura, mexendo sempre. Acrescentar o leite de côco.

8- Por último, acrescentar o camarão sem casca e misturar rapidamente. Testar e ajustar o tempero. Se estiver com muito caldo, acrescentar mais farinha de trigo torrada. Desligar a panela com o camarão, ainda parcialmente cozido. Acrescentar o cheiro verde, reservando um pouco para enfeitar na hora de servir. Colocar a mistura na abóbora, acrescentar o requeijão e legar ao forno já quente até começar a fazer borbulhas.

9- Enquanto isso, em uma frigideira com um pouco de azeite de dendê, refogar o camarão com casca até ficar rosa.

10- Na hora de servir, salpicar o cheiro verde e enfeitar com o camarão com casca.

Bom apetite!